Eletrobrás absorve SPE´s de controladas

O Conselho de Administração da Companhia aprovou a transferência para Eletrobrás holding de determinadas participações acionárias detidas pelas subsidiárias – Companhia Hidro Elétrica do São Francisco, Furnas Centrais Elétricas S.A., Centrais Elétricas do Norte do Brasil S.A. e Eletrosul Centrais Elétricas S.A.,em sociedades de propósito específico, assim como de certos empreendimentos corporativos. Essa operação representa uma das etapas previstas no Plano Diretor de Negócios e Gestão 2017/2021, divulgado ao mercado por meio do Fato Relevante de 17 de novembro de 2016. A transferência de ativos das referidas subsidiárias para a Eletrobras tem por objetivo promover a quitação de dívidas destas empresas com a Eletrobras e diminuir sua alavancagem financeira. Notícia positiva.

Gerdau cria joint venture na Colômbia

Informou na sexta-feira a conclusão da operação de criação de uma joint venture, a partir da venda de 50% de sua participação na Gerdau Diaco, na Colômbia, com a Putney Capital Management, que já é sócia em sua operação na República Dominicana. Esse movimento está alinhado ao processo de otimização de ativos da Gerdau, com foco em rentabilidade e na redução de sua alavancagem financeira. Notícia favorável.

Marfrig readequa capacidade fabril

Em função da maior disponibilidade de bovinos para abate no Brasil, decorrente do ciclo positivo de gado e maior retenção no 1º semestre do ano, e do atual cenário macroeconômico, a Marfrig decidiu readequar a capacidade fabril da sua divisão Beef. A readequação inclui a reabertura, a partir da 2ª quinzena de julho, das unidades frigoríficas de Nova Xavantina (MT) e Pirenópolis (GO); e a expansão da produção, iniciada em junho, de quatro unidades frigoríficas, nos estados de Goiás, Mato Grosso, Pará e Rondônia. Após a implementação total dessas ações estima-se que a operação brasileira da divisão Beef eleve sua capacidade efetiva em torno de 25% em relação ao patamar atual. Notícia positiva.

Petrobras e Ultrapar: alienação da Liquigás

O Cade publicou despacho declarando complexo o Ato de Concentração e determinando a realização de algumas diligências sobre o processo de alienação da Liquigás Distribuidora, subsidiária integral da Petrobras, para a Ultragaz, subsidiária da Ultrapar Participações. As principais diligências determinadas foram: aguardar informações diversas já solicitadas que subsidiarão a análise da Superintendência-Geral e do Departamento de Estudos Econômicos do Cade na elaboração de estudo quantitativo a respeito de impactos concorrenciais decorrentes da operação; requerer dados de fabricantes de botijões; requerer dados de concorrentes e clientes sobre o mercado de GLP como propelente em aerossóis e; requerer às partes a demonstração das medidas que serão adotadas para que as alegadas eficiências econômicas geradas pela operação sejam compartilhadas com o consumidor. Por enquanto a notícia é neutra.

Petrobras: Discussão sobre dedutibilidade de contribuição adicional ao Plano Petros

Uma decisão judicial no passado forçou a Petrobras a realizar um aporte adicional de R$ 5,57 bilhões ao Fundo de Pensão Petros e a companhia usou este valor para dedução da base de cálculo do IR e CSLL. A Receita Federal discordou do procedimento e autuou a Petrobras. A Petrobras recorreu e agora a Justiça Federal confirmou a decisão de 1ª instância, publicada em 19 de maio de 2017. A Justiça reconheceu a dedutibilidade na base de cálculo do IRPJ e da CSLL das despesas relacionadas à repactuação do Plano Petros, porém limitada a 20% da folha de salários dos empregados e da remuneração dos dirigentes vinculados ao Plano. A Petrobras alterou a expectativa de perda deste processo para provável e avalia a possibilidade de quitação do débito no âmbito do Programa Especial de Regularização Tributária, cuja adesão tem prazo limite até 31 de agosto de 2017. A estimativa atual de impacto negativo no resultado bruto consolidado do 2º trimestre de 2017 é da ordem de R$ 6,5 bilhões. Como dissemos no início de junho, a notícia é negativa.

Telefônica Brasil compra Terra

A subsidiária integral Telefônica Data S.A. adquiriu nesta data a totalidade das ações representativas do capital social da Terra Networks Brasil S.A., pertencentes à SP Telecomunicações Participações S.A., acionista controladora da Companhia. A Terra Networks é prestadora de serviços digitais (serviços de valor adicionado) próprios e de terceiros e carrier billing, bem como canais mobile para vendas e relacionamento) e publicidade. A TData é uma sociedade que se dedica à exploração de SVA, bem como de soluções empresariais integradas em telecomunicações, assistência técnica de equipamentos e redes de telecomunicações, manutenção de equipamentos e redes e elaboração de projetos. Notícia positiva.

Usiminas

A siderúrgica mineira obteve dos Bancos Privados Brasileiros e do BNDES, a dispensa da obrigatoriedade de realização da operação de oferta de troca das notas com vencimento em 2018 emitidas por sua subsidiária Usiminas Commercial Ltd., a qual tem sua eficácia condicionada à obtenção, em caráter definitivo, de dispensa semelhante junto aos Bancos Japoneses e aos Debenturistas. Os Bancos Japoneses e os Debenturistas, por sua vez, concederam uma extensão do prazo para realização da Oferta de Permuta até 31.08.2017, para permitir a avaliação da dispensa definitiva da obrigatoriedade de realização da Oferta de Permuta. Boa notícia.

Aprovada incorporação da Smiles pela WebJet

A Assembleia da Smiles Fidelidade, atual denominação social da Webjet Participações S.A., aprovou a incorporação da Smiles, que será extinta, com a sucessão de todos os seus bens, direitos e obrigações para a Smiles Fidelidade. O tipo e a quantidade de ações emitidas pela Smiles não serão alterados.

Consumo de energia recua 1,5% em maio

De acordo com a Empresa de Pesquisa Energética, o consumo de energia elétrica somou 37.955 Gwh em maio, representando decréscimo de 1,5% em relação ao mesmo mês do ano passado. A demanda de energia teve recuo nas regiões Sul (-2,4%), Sudeste (-1,9%) e Nordeste (-2,1%), enquanto avançava no Norte (1,8%) e Centro-Oeste (1,7%). Segundo a Empresa de Pesquisa Energética, no acumulado de 12 meses, o consumo nacional de eletricidade exibiu estabilidade em maio. Notícia negativa, particularmente para as distribuidoras.