Eletrobras esclarece notícias

Com relação a uma nova operação da Polícia Federal, no âmbito da Lava Jato e na qual inclui busca e apreensão na sede da subsidiária Furnas, a empresa declarou que é a principal interessada no esclarecimento dos fatos. Além disso, relembra que, por iniciativa própria, já está realizando uma investigação interna, tendo para isso contratado o escritório especializado norte-americano Hogan Lovells US LLP. Notícia neutra.

Fitch revisa rating da Light de perspectiva negativa para estável

A agência de classificação de risco Fitch Ratings, através de relatório emitido em 31 de maio de 2017, afirmou o rating nacional de longo prazo “A-(bra)” para a Light e também para suas subsidiárias Light Serviços de Eletricidade S.A. e Light Energia S.A. A perspectiva dos ratings foi revisada de negativa para estável. A mudança na perspectiva dos ratings da Light e de suas subsidiárias reflete a visão da Fitch de que a revisão tarifária da Light SESA, concluída em março de 2017, foi bastante positiva, fortalecendo o EBITDA do grupo Light e permitindo a gradual redução da alavancagem. Além disso, a Fitch considera que a melhora nas métricas de crédito tornam mais favoráveis as condições para que o grupo Light equacione suas necessidades de rolagem de dívida de curto prazo e fortaleça sua posição de liquidez. Notícia positiva.

Natura e L’Oréal iniciam negociação pela The Body Shop

A Natura Cosméticos S.A. e a L’Oréal firmaram contrato de exclusividade para a aquisição de 100% das ações da The Body Shop International Plc e seu grupo de subsidiárias pela Natura ou por qualquer de suas subsidiárias com operações no exterior. O fechamento da operação estará condicionado às aprovações regulatórias aplicáveis, notadamente no Brasil e nos EUA. Em 2016, The Body Shop gerou receitas líquidas de EUR 921 milhões. A Natura ainda não divulgou o valor do negócio mas fará uma teleconferência na próxima segunda-feira, às 9h00, para comentar a possível aquisição. Notícia positiva.

Usiminas: mais um capítulo no desentendimento entre os sócios

No final de abril a justiça de Belo Horizonte rejeitou recurso da acionista Nippon Steel em que esta pleiteava a anulação da deliberação da RCA de março deste ano, quando os conselheiros aprovaram a substituição de Rômel Erwin de Souza por Sergio Leite de Andrade do cargo de Diretor Presidente da Usiminas. Agora, a mesma varal indeferiu o pedido, também apresentado pelo acionista Nippon Steel, de suspensão da eficácia da aprovação, pela Assembleia Geral Ordinária realizada em 27 de abril, de ação de responsabilidade contra Rômel Erwin de Souza. A briga neste caso é que a Ternium-Techint afirma que o ex-presidente perdeu credibilidade junto ao Conselho de Administração da Usiminas quando assinou um MOU que alterou condições de um contrato de fornecimento de minério de ferro. Reiteramos que o desentendimento entre os sócios da Usiminas é negativo para a gestão da mineradora.

ICVM 583: Governança Corporativa em empresas de capital aberto

A Comissão de Valores Mobiliários publicou ontem a Instrução 583 que altera regras de governança corporativa para empresas de capital aberto. A nova Instrução determina que as empresas divulguem informações sobre a aplicação de governança prevista no Código Brasileiro de Governança Corporativa, lançado em novembro do ano passado. Em tempos de tantas falhas de governança praticadas por companhias abertas, este pode ser um instrumento de proteção aos acionistas minoritários, uma vez que as companhias terão o dever de esclarecer e explicar aos investidores seus respectivos graus de aderência às práticas de governança. Esperamos que a nova regra permita que analistas e investidores tenham melhor condição de avaliar, cobrar e precificar as estruturas de governança das companhias abertas.