Eletrobrás esclarece notícias

A respeito de suposto acordo bilionário que teria sido realizado pela Companhia com uma joint venture internacional denominada AAE Management LLC, a empresa informou que a informação não é verídica, não tendo a Eletrobrás conhecimento sobre as referidas dívidas referentes a títulos vencidos pela Companhia, conforme informações divulgadas, e tampouco sobre qualquer acordo judicial ou extrajudicial com a referida joint venture. As Obrigações ao Portador da Eletrobras foram emitidas para dar quitação ao Empréstimo Compulsório, para período específico, conforme Lei nº 4.156/62 e Decreto nº 20.910/32. A prescrição das Obrigações ao Portador da Eletrobras foi confirmada por julgamento proferido pelo Superior Tribunal de Justiça e é de observância obrigatória e vinculante a todos os tribunais judiciais brasileiros, conforme Recurso Especial número 1.050.199/RJ. Notícia neutra.

Suzano compra a Facepa, empresa de tissue

A Suzano comprou 99,99% do capital ordinário da Facepa – Fábrica de Papel da Amazônia S.A., pelo qual pagou R$ 310 milhões. Com fábricas em Belém e Fortaleza, a Facepa produz e comercializa uma vasta gama de produtos de papel, inclusive, mas não se limitando, a toalhas de papel, guardanapos, fraldas, papel higiênico e lenços de papel sob diversas marcas, com forte presença nesse segmento no Norte e Nordeste do Brasil. A operação de aquisição em questão está, assim, alinhada aos objetivos da Suzano de expansão de suas atividades para os mercados de produtos adjacentes à celulose e contribui para as operações da unidade de negócios de bens de consumo da Companhia no segmento de tissue. Boa notícia.

IATA anuncia os resultados de tráfego de passageiros globais de outubro

E os dados da IATA mostraram que a demanda, medida em passageiro-quilômetro transportado, ou RPKs, cresceu 7,2% em relação ao mês de outubro de 2016. A capacidade cresceu 6,2% e a taxa de ocupação subiu 0,8 p.p., para 80,8%, o que foi um recorde para o mês. A demanda doméstica subiu 7,2% em outubro em relação a outubro de 2016, enquanto a capacidade aumentou 6,6%. Índia e China continuaram a liderar o crescimento, com taxas de dois dígitos. Já para o Brasil, que tem 1,2% do share mundial, a IATA apontou avanços de 7,7% na demanda e de 2,7% na oferta.