Eternit anuncia o fim do uso do amianto crisotila

Finalmente a Eternit anunciou que utilizará exclusivamente fibras sintéticas em sua produção de telhas. A substituição do uso da fibra mineral amianto crisotila por fibras sintéticas de polipropileno será concluída até o mês de dezembro de 2018. Atualmente, as fábricas das cidades do Rio de Janeiro, Colombo, Simões Filho, Goiânia e Anápolis, utilizam em média 60% de fibra sintética e 40% de fibra de amianto crisotila na fabricação de telhas. A Sama, mineradora controlada pela Eternit, continuará a produzir fibras de amianto crisotila, que vem sendo gradualmente direcionada para o mercado externo, atendendo clientes em países onde o produto é permitido, tais como Alemanha, Estados Unidos e Índia. Boa notícia.

Le Lis Blan: bookbuilding indica preço da Oferta abaixo da faixa indicativa

A verificação das intenções de investimento junto a investidores profissionais mostrou a existência de demanda efetiva da Le Lis Blanc com preço por ação inferior aos R$ 38,50 da faixa indicada pelos coordenadores da oferta restrita. Agora o Conselho de Administração se reunirá na próxima quinta-feira e poderá deliberar pela fixação do preço indicado pela demanda efetiva; pelo preço de referência; ou pelo cancelamento da Oferta. A decisão será comunicada após o fechamento do mercado no próximo dia 30 de novembro.

Vale anuncia a assinatura do Project Finance para o Corredor Logístico de Nacala

As empresas do Corredor Logístico de Nacala assinaram ontem os contratos financeiros na forma de um project finance, pelo qual o Corredor vai receber US$ 2,730 bilhões de várias instituições financeiras. O instrumento de project finance será amortizado em 14 anos com os recursos provenientes da tarifa relacionada aos serviços de transporte de carvão e aos serviços de carga geral fornecidos pelo Corredor. A tarifa foi introduzida em abril de 2017. O project finance de Nacala completa a estrutura de investimento elaborada para apoiar o ramp-up do corredor logístico até a sua plena utilização de capacidade. Os fundos recebidos serão principalmente pagos à Vale para reembolsar parte dos empréstimos feitos pela empresa na forma de shareholders loans concedidos para a construção do Corredor Logístico de Nacala, e também serão usados para apoiar o ramp-up do corredor. Boa notícia.