Eternit paralisa sua produção de amianto

No final de novembro, a Eternit anunciou o fim do uso do amianto crisotila na produção de telhas, mas havia afirmado que a produção de suas controladas continuaria normalmente orientada para a exportação. Agora, em função da decisão do julgamento no Supremo Tribunal Federal referente a declaração incidental de inconstitucionalidade do artigo 2º da Lei Federal n.º 9.055/95, a Eternit paralisou as atividades das controladas Sama e Precon Goiás, empresas fabricantes de telhas de fibrocimento, até decisão definitiva da ação. As demais unidades de produção de telhas de fibrocimento seguem operando normalmente apenas com a fibra sintética de polipropileno produzida na unidade de Manaus. A Eternit diz que acompanhará eventuais embargos de declaração que poderão ser opostos pela entidade representativa do setor para, posteriormente, se posicionar de forma definitiva sobre a consequência de tal decisão em suas atividades.

Petrobras assina contrato de financiamento e contrato comercial

A Petrobras assinou, com o China Development Bank, um contrato de financiamento no valor de US$ 5 bilhões e vencimento em 2027. Assinou também um contrato comercial com a Unipec Asia Company, estabelecendo o fornecimento preferencial de um volume total de 100 mil barris de óleo equivalente por dia, atendidas as condições de mercado, pelo prazo de 10 anos. O acordo com o banco chinês prevê o desembolso de metade do valor total em dezembro de 2017 e da outra metade em janeiro de 2018, quando também ocorrerá o pré-pagamento do saldo devedor de US$ 2,8 bilhões referente ao empréstimo contratado em 2009 com o banco. Adicionalmente, o pré-pagamento resultará no encerramento antecipado do contrato comercial assinado com a Unipec Asia Company em 2009, com vencimento em 2019, para fornecimento preferencial de um volume total de até 200 mil barris de óleo equivalente por dia. Boa notícia.

Telefonia fixa tem nova redução em outubro de 2017

No mês de outubro de 2017, a telefonia fixa registrou 40.998.519 linhas em operação, sendo 17.165.290 para as autorizadas e 23.833.229 para as concessionárias. Esse total se deveu a um aumento de 12.514 linhas das autorizadas e redução de 120.016 linhas das concessionárias, causando uma redução de 107.502 linhas, na comparação com setembro. Dentre as autorizadas, a Claro Brasil apresentou a maior evolução entre as prestadoras, com 12.400 novas linhas no mês de outubro quando comparado com setembro de 2017. A empresa que apresentou maior queda foi a Vivo com menos 7.472 linhas. Nos últimos 12 meses, a Tim liderou o aumento de linhas nas autorizadas, com 195.717 novas linhas, seguida da Algar com 79.940 novas linhas. A prestadora que registrou maior queda foi a Claro Brasil, com perda de 351.116 linhas. Notícia negativa.