Conselho Diretor do Banco do Brasil aprova remuneração aos acionistas

O Conselho Diretor do Banco do Brasil aprovou o valor de R$ 212,47058824 milhões, equivalente a R$ 0,07629232788/ação. Os JCP serão pagos em 29/09/2017 e terão como base a posição acionária de 11/09/2017, sendo as transferências de ações a partir de 12/09/2017 efetuadas ex-direito.

Ministério das Minas e Energia separa os lotes para venda das usinas da Cemig

O Ministério de Minas e Energia publicou na quinta-feira, 24 de agosto portaria que altera os lotes das usinas da Cemig que serão vendidas no leilão de outorga. Agora são quatro lotes para cada usina que vai ser vendida no certame – São Simão (1.710 MW), Jaguara (424 MW), Miranda (408 MW) e Volta Grande (380 MW) – de setembro. Antes, era um lote para São Simão e outro para as demais usinas juntas. A expectativa do governo é arrecadar R$ 11 bilhões com o leilão. O leilão está suspenso por uma decisão judicial. A Agência Nacional de Energia Elétrica vai realizar na próxima sexta-feira, 25, uma reunião extraordinária da diretoria para votar as alterações no edital do certame, previsto para 27 de setembro. Notícia neutra.

Neoenergia consuma incorporação da Elektro

Tendo atendido todas as condições precedentes e aprovações regulatórias pertinentes, a Neoenergia anunciou a conclusão do processo de incorporação da Elektro Holding S.A. pela Neoenergia, conforme deliberado na Assembléia Extraordinária da Neoenergia, realizada em 24/08/2017. Notícia positiva.

Petrobras propõe reestruturação da BR Distribuidora

O Conselho da Petrobras aprovou a reestruturação societária da Petrobras Distribuidora, o que exigirá um aporte de capital da Petrobras na BR em aproximadamente R$ 6,3 bilhões. A ideia é fazer uma cisão parcial da BR para separar os recebíveis decorrentes de Contratos de Confissão de Dívida (CCDs) com o Sistema Eletrobras, os quais têm garantias reais dos recebíveis com outras sociedades do Sistema Petrobras. A parcela cindida será incorporada na Downstream Participações Ltda., subsidiária integral da Petrobras, que será incorporada a seguir pela Petrobras. O recurso gerado pela operação de aporte de capital será utilizado integralmente para o pré-pagamento de dívidas da BR garantidas pela Petrobras. Por se tratar de reestruturação entre sociedades cuja totalidade do capital social pertence à Petrobras, as operações serão realizadas a valor contábil com base em laudo de avaliação, não gerando impacto no resultado das empresas envolvidas. A operação também não gera alteração relevante no patrimônio líquido da Petrobras e da BR. Essas operações dependem da manifestação da Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais – SEST, nos termos do Decreto no 9.035/2017.

Usiminas: avanço em importantes negociações
Contrato de fornecimento com a Musa: A Usiminas celebrou um Term Sheet vinculante com a controlada Musa, estabelecendo alterações no contrato de fornecimento de minério atualmente em vigor entre ambas. Entre as alterações está a redução do volume de minério que a Usiminas está obrigada a adquirir da Musa, de 4 milhões de toneladas para 2,3 milhões de toneladas anuais.
Dispensa de Oferta de Permuta de Notas Promissórias: a siderúrgica mineira continua em negociações com os Bancos Japoneses e os Debenturistas para obter desses credores a dispensa da obrigatoriedade de realização da Oferta de Permuta de notas promissórias com vencimento em 2018 emitidas por sua subsidiária Usiminas Commercial. Em junho, a Usiminas obteve dos Bancos Privados Brasileiros e do BNDES a dispensa da obrigatoriedade de realização desta operação, mas a eficácia desse acordo está condicionada à obtenção de dispensa semelhante junto aos Bancos Japoneses e aos Debenturistas A Usiminas espera concluir tais negociações até a semana que vem.