PETROBRAS adere ao Programa de Parcelamento e afeta o 4T17 em R$ 1,1 bilhão

A Petrobras aderiu ao programa de pagamento e parcelamento instituído pela Lei nº 13.586/2017, que abrange os processos relativos à exigência de Imposto de Renda Retido na Fonte sobre as remessas ao exterior para pagamento de afretamento de embarcações no período de 2008 a 2014. A companhia realizará o pagamento de R$ 1,7 bilhão, em doze parcelas mensais e sucessivas, no montante aproximado de R$ 144 milhões cada, sendo a primeira vencível em 31/01/2018, e as demais no último dia útil dos meses subsequentes, atualizadas pela taxa SELIC. A adesão é benéfica já que permitirá o encerramento de discussões administrativas e judiciais relativas ao IRRF referentes ao período de 2008 a 2013, que totalizam R$ 28 bilhões.

Processo de privatização da CESP será retomado

A empresa informou que o Conselho Diretor do Programa Estadual de Desestatização – CDPED, reunido na data de hoje, deliberou pela retomada do processo de alienação do controle acionário da CESP, tendo em vista a publicação do Decreto federal nº 9.271, de 25 de janeiro passado, conforme ata a ser publicada na edição do dia 30 de janeiro de 2018 do Diário Oficial do Estado de São Paulo. Notícia positiva, mas já conhecida pelo mercado. A privatização deve ser viabilizada pela prorrogação do contrato de concessão da principal usina da empresa: UHE Porto Primavera.

Banda larga fixa tem crescimento de 7,15% em 2017

Entre janeiro e dezembro de 2017, se comparado ao mesmo período do ano anterior, foram adicionados ao sistema 1,91 milhão de novos contratos de banda larga fixa no país. Um crescimento de 7,15% em relação a 2016. A expansão do serviço de banda larga fixa foi puxada pelos provedores regionais responsáveis por 1,28 milhão de novos contratos, aumento de 43,72%, totalizando 4,21 milhões de contratos ativos neste seguimento no final do ano de 2017. Notícia positiva para o setor.