Blog do modalmais

Investimentos: o que é e por que investir?

Nos dias de hoje, muitas pessoas não estão satisfeitas em se limitar aos rendimentos tradicionais de um salário ou apenas aplicar na poupança, ansiando por opções para complementar o orçamento e conquistar a independência financeira. Pensando nisso, preparamos um conteúdo falando sobre o que é investimento e por que investir.

O mercado financeiro vem se mostrando como uma alternativa extremamente atraente para muita gente no Brasil, aumentando o número de interessados em conhecer mais sobre a Bolsa de Valores e descobrir os ativos que podem entregar a melhor rentabilidade. Você também quer aprender? Então, continue sua leitura!

O que é um investimento?

Antes de qualquer coisa, é preciso conceituar melhor o que é um investimento. Na prática, trata-se de qualquer gasto ou aplicação de recursos feito com o intuito de obter retornos futuros, usando conhecimentos de mercado e análises estratégicas para isso. Ou seja, não é algo que pode ser feito de qualquer forma ou sem um preparo adequado.

Em termos simples, as pessoas que fazem investimentos estão, na maioria das vezes, “emprestando” o seu dinheiro para empresas ou mesmo para o poder público, que pagam o montante de volta acrescidos de juros. Para isso, é fundamental avaliar uma série de fatores, como a solidez da instituição, o tipo de aplicação, as regras do setor, e assim por diante.

Qual é a diferença de investimento para a poupança?

Historicamente, os brasileiros se acostumaram a aplicar seu dinheiro na poupança, especialmente quando contávamos com uma inflação fora de controle, que chegava aos dois dígitos por mês. No entanto, é preciso ter em mente que o cenário mudou e que, na prática, “investir” e “poupar” são termos com significados bastante distintos.

A poupança nada mais é do que uma forma de guardar recursos, que ficam depositados e contam com um discreto rendimento quando a aplicação faz aniversário mensal. Já o investimento é feito para haver remuneração no futuro e, dependendo das características do ativo, pode oferecer excelentes rentabilidades, embora também tenha riscos.

Qual é a diferença entre investimento e especulação?

Outra confusão comum para quem está pensando em entrar no mercado financeiro está nas diferenças de um investidor e um especulador. Entretanto, embora tenham similaridades, são figuras com características bastante distintas. O fato é que, uma operação de investimento depende de muita análise para oferecer os retornos adequados.

Já a especulação é diferente, pois joga com condições de muito mais incerteza e, eventualmente, relacionadas com questões até abstratas, como o instinto ou um “feeling” da pessoa. Tais condições de incerteza, portanto, podem acabar associadas a ganhos extraordinários ou perdas de quantias enormes de capital.

Por que o investimento não é uma aposta?

Como vimos, investir não é especular nem apostar. Os investidores de maior sucesso ao longo da história são justamente aqueles que contam com amplos conhecimentos do mercado financeiro, a ponto de identificar as melhores oportunidades e antever tendências muito antes dos outros. Lembre-se: nada impede que você também possa ser assim um dia.

Enquanto em uma aposta a gente depende exclusivamente da sorte para obter retornos, aplicar na Bolsa de Valores demandará bastante estudo e análise sobre os ativos, seu potencial e seus riscos. Embora isso não signifique que a rentabilidade é garantida, essa avaliação e esse cuidado são compatíveis com possibilidades muito maiores de lucro.

Por que investir é uma excelente ideia para você?

A princípio, investir deve ser uma excelente ideia para todo mundo. E isso se justifica por um grande motivo: é uma oportunidade relativamente simples de ganhar mais dinheiro. O mercado financeiro oferece possibilidades para todos os tipos de perfil, e, mesmo com as oscilações da economia mundial, a Bolsa brasileira opera em seus patamares mais altos.

Além disso, pode ser uma forma de atingir diversos objetivos, como a aquisição de um imóvel, mais tranquilidade para a aposentadoria, se capitalizar para a viagem dos sonhos ou garantir a faculdade das crianças. Dependendo da composição da sua carteira, também é uma maneira de criar uma reserva financeira para situações de emergência para qualquer eventualidade.

Por que definir o seu tipo de perfil de investidor?

Como dissemos, o mercado financeiro reserva alternativas para contemplar praticamente qualquer objetivo. Naturalmente, isso faz com que seja muito importante conhecer o seu perfil de investidor e o quanto você está disposto a arriscar diante de possíveis perdas. Alguns, por exemplo, são mais conservadores, preferindo aplicações seguras.

Já outras pessoas são mais agressivas ou arrojadas, lidando bem com a imprevisibilidade para ter altos ganhos em um tempo maior, mesmo que isso gere oscilações e eventuais prejuízos. Temos também os moderados, que são uma espécie de meio termo entre os extremos e aceitam arriscar-se em algumas situações.

Quais são as principais opções de investimento do mercado?

Pronto! Se você chegou até aqui, já sabe o que é um investimento, por que investir e até como identificar o seu perfil de investidor. Sendo assim, é altamente provável que esteja ansioso por dar os primeiros passos no mercado financeiro, mas, para ter sucesso, é preciso conhecer suas opções. Confira, a seguir, algumas das principais aplicações disponíveis.

TESOURO DIRETO

Não dá para falar nas principais opções de investimento do mercado financeiro no Brasil sem citar o Tesouro Direto, uma escolha muito comum nos dias de hoje. Isso ocorre, sobretudo, pelos seus numerosos benefícios, por se tratar de títulos públicos e oferecer retornos com um prazo já determinado, acrescidos de juros e certas correções, como a própria inflação.

É uma alternativa certeira para compor a carteira dos perfis conservadores e moderados, pois o recurso é emprestado para o Governo Federal, de forma que financie uma série de atividades governamentais. Por isso, as chances de que não sejam pagos são praticamente nulas, mesmo diante de uma crise ou situação econômica muito adversa.

CERTIFICADO DE DEPÓSITO BANCÁRIO (CDB)

O Certificado de Depósito Bancário, mais usualmente chamado pela sua sigla CDB, é uma aplicação bastante popular na renda fixa, pendendo apenas para o já citado Tesouro Direto. O seu funcionamento é mais ou menos o mesmo, mas com a diferença de que, ao invés de emprestar para o Governo Federal, o recurso é usado por grandes instituições bancárias.

Mesmo assim, a segurança também é muito elevada, pois os bancos são organizações muito sólidas, e você pode escolher o tipo de CDB que deseja aplicar. Como se isso não bastasse, ainda há a proteção do chamado Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que assegura o pagamento parcial ou total para os investidores em caso de inadimplência.

AÇÕES

Quando falamos em mercado financeiro, as ações costumam vir na cabeça das pessoas, pois são um ativo extremamente popular e que influencia o setor como um todo. Na prática, elas representam a menor parte de uma empresa de capital aberto. Quando você investe nelas, você vira uma espécie de sócio da organização, tanto nos lucros quanto nos prejuízos.

Da mesma forma que o investidor compartilha os riscos da companhia, ele pode obter ótimos rendimentos com eventuais ganhos alcançados com um bom desempenho. Por isso, para negociar esse tipo de papel, é muito importante conhecer os riscos que eles apresentam, tendo bastante conhecimento de causa ou apostando em instituições muito sólidas.

FUNDOS IMOBILIÁRIOS (FII)

O mercado imobiliário brasileiro é muito valorizado, e isso não é novidade por aqui. Porém, muitas pessoas não têm dinheiro para comprar uma casa, um apartamento ou mesmo um terreno. No entanto, isso não significa que não possam investir no segmento, pois os famosos Fundos Imobiliários abrem a prerrogativa por um valor muito menos do que o de uma propriedade.

Trata-se de uma aplicação financeira de renda variável, que reúne os recursos aportados por vários investidores para capitalizar empreendimentos, como shoppings, condomínios, galpões comerciais, e assim por diante. Usualmente, o retorno vem por meio do pagamento de aluguéis mensais. Além disso, o produto é isento de Imposto de Renda, o que é excelente.

LETRAS DE CRÉDITO

As letras de crédito nada mais são do que títulos emitidos por uma instituição financeira, cujo objetivo principal é o de financiar determinados setores. Na prática, isso quer dizer que funcionam mais ou menos como títulos públicos, mas se tratam de dívidas privadas, que pagam sua rentabilidade por uma taxa de juros.

Os bancos que fazem a capitalização do dinheiro e uma modalidade que vem fazendo muito sucesso nos últimos tempos são as LCIs (Letras de Crédito Imobiliário). Como o próprio nome sugere, são utilizadas para o financiamento do segmento de imóveis, com recursos destinados a pessoas físicas ou jurídicas que desejam construir, reformar ou comprar propriedades.

Ao longo do nosso conteúdo, você aprendeu o que é investimento e viu por que é tão importante começar a investir. Pode ser uma forma de viabilizar a realização dos seus projetos ou simplesmente ganhar mais dinheiro, em um setor com grande potencial de crescimento e ótimas possibilidades de retornos!

Se você gostou deste artigo e quer continuar recebendo dicas sobre investimentos, assine a nossa newsletter. Dessa forma, você será informado sempre que publicarmos um novo conteúdo.

Ainda não é Cliente? Abra a sua conta no modalmais

Siga o Blog modalmais no Telegram.

close

Seja notificado quando sair novos conteúdos.