Comentários:

  • O ISM manufacturing de janeiro veio melhor do que o esperado pelo mercado, mostrando um avanço para 50.9 (esperado: 48.5; anterior: 47.8). A composição do índice mostrou avanço relevante em production e new orders.
  • Esta foi a primeira leitura acima de 50 após cinco meses consecutivos em território contracionista (< 50). Analisando-se pelas médias móveis (MM) percebe-se clara reversão do headline na MM3M, enquanto a MM6M aponta para estabilidade (sub-50) e a MM12M segue na tendência de desaceleração.
  • Por dentro, destaque absoluto para o avanço de production, que avançou 9.5 pontos para 54.3 e voltou a patamares semelhantes ao observado no segundo trimestre de 2019. As MMs seguem o mesmo comportamento do headline.
  • Ainda em tom positivo, destaca-se o avanço de new orders (+4.4 para 52), com informação relevante sobre a atividade à frente.
  • Backlog of orders (+2.4 para 45.7) e employment (+1.4 para 46.6) também avançaram, mas permanecem em patamar contracionista, com as MMs mostrando evidente desaceleração.
  • No statement, vale mencionar os comentários negativos da indústria de transporte e de maquinário, bem como otimismo na parte de computadores e materiais eletrônicos.
  • Em suma, o relatório veio com composição positiva e pode ter mostrado o início da reversão de tendência de diversos indicadores internos do ISM. No entanto, algumas métricas importantes seguem com leitura em patamar contracionista, indicando que o setor manufatureiro pode permanecer com dinâmica negativa pelos próximos meses. Especificamente, a expansão da crise da Boeing pode exercer pressão negativa na indústria aeronáutica americana.

Por Felipe Sichel, estrategista-chefe Modalmais.