BR MALLS PART

As vendas totais cresceram 5,5% excluindo efeito de vendas de participação. Ocorreu nova redução de pagamentos em atraso, alcançando 9,5% com inadimplência líquida de 1,7%. A taxa de ocupação aumentou em 0,5 p.p em relação ao 2T17 alcançando 95,2%. A receita líquida apresentou retração de 1,8%, totalizando R$ 322,4 milhões e o lucro líquido foi de R$ 1,8 milhão no 3T17 contra lucro de R$ 35 milhões no 3T16.

CELESC

O lucro líquido do trimestre alcançou R$ 59,3 milhões, uma queda de 51,2% frente aos R$ 121,7 milhões alcançados no 3T16. A Receita Líquida cresceu 25,7%, mas houve acréscimo substancial de despesas, fazendo o resultado da atividade cair 38,1%, com perda de 4,6 p.p. de margem. O resultado financeiro líquido sofreu reversão, passando de positivo no 3T16 para negativo no 3T17, contribuindo para a fraca performance do trimestre.

CEMIG

A empresa encerrou o trimestre com prejuízo de R$ 83,8 milhões vs lucro líquido de R$ 433,4 milhões no 3T16. Observou-se forte elevação dos custo da Parcela A (particularmente energia comprada para revenda e encargos de uso da rede), provocando reversão no resultado da atividade, de positivo no 3T16 para negativo no 3T17. A Receita Líquida cresceu 4,9%. O resultado financeiro líquido também teve reversão, de negativo no 3T16 para positivo no 3T17, compensando parte da performance operacional desfavorável.

CONTAX

Receita líquida de R$ 419,5 milhões no 3T17, comparada aos R$ 477,9 milhões no 3T16, queda de 12,2%. O prejuízo líquido trimestral saltou de R$ 54,4 milhões no 3T16 para R$ 107,6 milhões no 3T17.

FERBASA

A receita líquida da Ferbasa no 3T17 se mante estável quando comparada com o 2T17, registrando apenas um leve crescimento de 2,2%. O lucro líquido no 3T17 atingiu R$ 64,4 milhões ante os R$ 6,5 milhões do 3T16, e respectivamente, margem líquida e margem Ebitda foram de 22,4% e 23,3%.

NATURA

A Natura reportou crescimento expressivo da receita líquida consolidada, com avanços em todos os negócios. Incluindo um mês de receita da The Body Shop TBS, a receita cresceu 24,3% sobre o 3T16 para R$ 2,365 bilhões. Em bases comparáveis o crescimento seria de 11,4%. O lucro líquido consolidado foi de R$ 61 milhões no 3T17, mas sem os efeitos não recorrentes no período, como despesas com a aquisição e ajustes em provisões específicas, o lucro líquido teria sido de R$ 166,7 milhões, 136,8% superior ao obtido no 3T16.

SABESP

O bom resultado alcançado no trimestre (lucro líquido de R$ 900,5 milhões contra lucro líquido de R$ 573,9 milhões no 3T16) se deveu, primordialmente à reversão do resultado financeiro líquido, de negativo (R$ 176,8 milhões no 3T16) para positivo (R$ 222,9 milhões no 3T17). A Receita Líquida caiu 5,6% e o resultado da atividade cresceu 7,8%, com ganho de 4 p.p. na margem.

UNIPAR

A receita operacional líquida do 3T17 foi 8% superior à do 2T17, atingindo R$ 799 milhões, explicada principalmente pelo aumento no volume de vendas, aumento no preço de PVC e soda no mercado internacional e desvalorização das moedas locais frente ao Dólar. O lucro líquido atingiu R$ 138,3 milhões no 3T17, 417% acima do lucro do 2T17, impactado pela equivalência patrimonial positiva e pelo resultado financeiro líquido também positivo.