Tesouro Direto é um título de renda fixa emitido pelo Governo Federal como uma forma de empréstimo para financiar setores como a área da educação, saúde, tecnologia e infraestrutura.

Nos últimos anos, investir em tesouro direto tem ganhado grande notoriedade devido a sua rentabilidade ser superior à poupança e por ser um dos investimentos mais seguros, pois é garantido pelo governo federal. (Não há garantia maior que a do governo).

Além disso, você não precisa de muito para começar a investir!

A partir de R$ 30,00 você consegue investir em um dos títulos do tesouro, tendo como retorno, taxas com boa rentabilidade e maior segurança.

Como começar a investir no Tesouro Direto?

Para começar a investir, o primeiro grande passo é abrir uma conta em uma corretora ou banco. Depois do envio da documentação e abertura da conta, será necessário que você transfira o valor que será investido e realizar a aplicação no investimento.

Fácil né?

Porém, antes de tudo, é muito importante saber que o tesouro direto possui alguns títulos disponíveis para serem investidos e cada um para um tipo de objetivo diferente, por isso é muito importante se atentar a particularidade de cada um e conhecer quais são as suas características, visando sempre o SEU objetivo com o investimento.

Que tipo de investimento posso fazer no no Tesouro Direto?

O Tesouro Direto possui alguns títulos de renda fixa disponíveis e é muito importante conhece-los e saber as diferenças de cada um:

Para saber a diferença entre todos os diferentes investimentos que você pode fazer no Tesouro Direto, veja o vídeo baixo e depois continue lendo esse texto.



Tesouro Prefixado (Taxa de Juros Fixa)

O Tesouro Prefixado possui dois títulos: Tesouro Prefixado e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais.

A característica deste título é que ele possui uma taxa prefixada, ou seja, no momento da aplicação, você irá saber qual o retorno que irá ter neste investimento, caso fique com ele até o vencimento, independente se houver queda ou não da taxa de juros. É muito importante se atentar a este detalhe, pois caso você precise resgatá-lo antes do vencimento, a venda será feita a mercado, onde a taxa negociada poderá ser menor ou maior do que a contratada.

Por isso, este é um título indicado para quem acredita na queda da taxa de juros no futuro, a fim de se “proteger” e ter um investimento que pague acima da taxa de juros.

O Tesouro Prefixado com Juros Semestrais, além de ter a taxa fixa contratada até o vencimento, a cada seis meses, você recebe o rendimento do período que esteve com o título, sem precisar esperar até o final do investimento para resgata-lo e sem correr risco de perda de rentabilidade.

Tesouro IPCA (Inflação)

IPCA é o Índice de Preços ao Consumidor, que representa o índice oficial da inflação no Brasil, logo o Tesouro IPCA acompanha este índice que é medido mês a mês pelo IBGE.

Sendo assim, o Tesouro IPCA além de ter uma taxa fixa, também acompanha a inflação, sendo considerado um título híbrido.

Ao investir neste título, você se protegerá contra a inflação, pois ele irá acompanhá-la. Porém, ao acompanhar estas variações, poderá ter momentos em que você terá ganhos maiores ou ganhos menores.

É um título indicado para longo prazo, visando proteger o seu poder de compra em cenários de inflação alta.

O Tesouro IPCA também possui a opção de pagamentos semestrais dos rendimentos, sendo este o Tesouro IPCA com Juros Semestrais.

Tesouro Selic (taxa de juros variável)

O Tesouro Selic é indicado por muitos especialistas para investir sua reserva de emergência. Mas quais são as características deste investimento?

O Tesouro SELIC, assim como Tesouro IPCA, acompanha um índice, que no caso é a Taxa Selic, a taxa básica de juros da economia.

Em resumo, a Taxa Selic é uma taxa de referência que direciona todas as nossas outras taxas, como as cobradas pelos bancos em seus empréstimos, por exemplo.

Desta maneira, assim como todo investimento pós fixado, não é possível saber a rentabilidade final do Tesouro Selic no momento da aplicação, porém o Tesouro Selic é o título com maior liquidez, ou seja, caso você precise resgatá-lo antes do vencimento, não correrá risco de perda de rentabilidade, devido a sua baixa volatilidade.

É um título indicado para aqueles investidores conversadores e que precisam do valor a disposição para resgate, sem correr risco de perda da rentabilidade, pois ele é um título onde você não terá rentabilidade negativa, sempre irá render de forma positiva.

Veja o Vídeo abaixo com a Nathalia Arcuri do canal Me Poupe! para aprender a investir no Tesouro Selic:



É muito importante ressaltar que…

Antes de aplicar em qualquer um destes títulos, tenha definido o seu OBJETIVO para este investimento, seja ele qual for, pois tendo um ou mais objetivos definidos, fica mais fácil escolher o título ideal com prazos e rentabilidades que seja de acordo com o seu perfil.

Para consultar os títulos disponíveis, valores mínimos para aplicação, taxas e rentabilidades, basta acessar o site do Tesouro Nacional.

Quais são as taxas do Tesouro Direto?

É muito importante antes de escolher qual banco ou corretora que você irá começar a investir, se atentar quais são as taxas que estes irão cobrar sobre os seus investimentos e manutenção de conta.

Sendo assim, visando uma maior comodidade e rentabilidade no seu investimento, nós do modalmais, não cobramos taxa de manutenção de conta e nem taxa de custódia para tesouro direto!

Porém, há alguns descontos que você precisa conhecer e falaremos disto agora…

As taxas do tesouro direto que você precisa saber que incidirão no seu investimento no momento do resgate são: IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e Imposto de Renda.

O IOF é cobrado em cima dos rendimentos da sua aplicação, caso você resgate antes dos 29 dias, contando a partir do primeiro dia da aplicação. Após este período, se você continuar com o investimento, ele não será mais cobrado. Por isso, para não haver a cobrança de IOF, indicamos que você fique com o título pelo menos um mês.

O outro desconto, trata-se do Imposto de Renda, que é descontado no momento da venda, sobre o seu rendimento. A alíquota que será cobrada, dependerá do período que você permanecer no investimento. Quanto maior o prazo que você manter a sua aplicação, menor será a alíquota.

Lembrando que você não precisa declarar o Tesouro Direto mensalmente igual os outros investimentos, pois o Imposto de Renda será retido na fonte quando você solicitar o resgate. Portanto, só precisará declarar o investimento na declaração anual do Imposto de Renda.

Abaixo, segue a tabela da alíquota regressiva de imposto de renda cobrada e o prazo:


imposto de renda do tesouro direto

Fonte: Tesouro Direto

Além destas taxas, que incidem sobre o rendimento no momento do resgate, o Tesouro Direto cobra uma taxa de custódia. Vale destacar que o modalmais cobra zero de taxa de manutenção de tesouro direto.

A taxa de custodia é cobrada semestralmente, sendo a primeira cobrança de 0,1250 % no primeiro dia útil de janeiro e a segunda de 0,1250% no primeiro dia útil de julho, totalizando 0,25% a.a. sobre o valor total dos títulos.


Veja este vídeo, onde a Nathalia Arcuri esclarece as maiores dúvidas do Tesouro Direto:




Saiba também:

1) Qual o horário que eu consigo realizar compra/venda de Tesouro Direto?

As negociações do Tesouro Direto são de segunda a sexta feira das 9h30 às 18h.

2) Consigo agendar uma compra programada para todo mês?

No momento da aplicação, aparecerá a opção se você deseja agendar a compra programada.

Nesta opção, você determina o valor mensal e em qual título que pretende aplicar no Tesouro Direto.

3) O que acontece caso eu não tenha o valor da compra do título na conta no dia da liquidação?

É importante se atentar que é necessário ter o saldo em conta, se não, a operação será cancelada.

Se a sua compra for cancelada por falta de saldo, você receberá uma advertência via e-mail do próprio Tesouro Direto, informando sobre o ocorrido e sobre as penalidades em caso de reincidência.

Caso tenha, o investidor será bloqueado no Tesouro Direto para novas aplicações por 15 dias, podendo se estender para 30 dias caso tenha mais uma ocorrência e 60 dias em situações onde ocorra mais de 2 vezes.
Lembrando que, durante o bloqueio, você conseguira vender seus títulos normalmente, só não conseguira realizar novas aplicações.

4) Como consigo simular qual o melhor título para investir?

No próprio site do Tesouro Direto tem disponível um simulador de investimentos. Só acessar este link.

5) Posso investir mais de uma vez no mesmo título?

Sim, você pode!

Quando você faz uma compra de um determinado título, você compra um “pedaço” dele, que irá ser somado a aquele de mesma categoria que você já tinha na sua custódia.