A integração e padronização de dados foi uma das facilidades que a tecnologia nos proporcionou. Ela impactou de forma significativa as empresas, que eliminaram uma série de processos manuais, garantindo mais rapidez e efetividade. Com o universo dos investimentos, essa padronização está sendo trabalhada em um conceito chamado de Open Banking.

Neste artigo, explicamos melhor como esse sistema vai funcionar e os benefícios que ele pode proporcionar para o investidor. Acompanhe!

 

O que é Open Banking?

Em tradução livre, o termo Open Banking significa “banco aberto”, ou ainda “sistema bancário aberto”. O conceito ou princípio por trás desse elemento é abrir o leque de opções para que o usuário do sistema bancário tenha mais liberdade para levar suas informações financeiras de uma instituição para outra, assim que ele desejar.

A base conceitual por trás do Open Banking é muito simples: todo o mercado financeiro precisaria adotar uma tecnologia padronizada, que facilite a comunicação e a transferência de dados entre as instituições bancárias.

Essa mudança no mercado financeiro já vem sendo esperada há muito tempo. O surgimento do PIX e a liberdade que ele proporcionou aos correntistas mostrou ao mercado financeiro a importância de adotar ferramentas que proporcionem integração, praticidade e baixo custo para os usuários das instituições que atuam no segmento financeiro.

Apesar de gerar benefícios interessantes para as pessoas, essa tecnologia também pode trazer algumas vantagens para as próprias instituições bancárias, tais como: aumento na competitividade e, consequentemente, na oferta de produtos e serviços financeiros que atraiam mais clientes para a instituição, com maior facilidade.

 

Quais são os benefícios desse processo?

A criação de tecnologias como a do Open Banking proporciona benefícios interessantes para o usuário, sobre os quais discorreremos nos próximos tópicos. Acompanhe!

 

Melhoria na experiência do usuário

O ponto principal do Open Banking é a melhoria na experiência do usuário de modo geral. A dificuldade para migrar seus dados de uma instituição financeira para outra, passa a não mais existir nesse cenário.

O usuário tem uma grande liberdade para mudar de uma companhia para outra, e isso obrigaria essas instituições a oferecerem produtos e serviços cada vez melhores para manter seus clientes em sua base.

A liberdade e a autonomia dada a um consumidor faz com que ele exija cada vez mais de uma empresa, independentemente do seu segmento.

Por outro lado, essa exigência facilita a fidelização desses mesmos consumidores, que enxergam, em determinada empresa, a solução perfeita para as suas necessidades.

 

Diversificação das fontes de receitas

Outro benefício agregado ao Open Banking é a facilidade na diversificação das fontes de receita. Afinal, o usuário do sistema pode ter várias contas e mais segurança para gerenciar as aplicações ou os recursos depositados em cada uma delas.

 

Aumento da eficiência

Por fim, temos o aumento da eficiência das instituições existentes no mercado financeiro. A padronização de informações agiliza os processos e elimina uma série de burocracias presentes em algumas empresas que têm uma operação engessada.

 

Quais são os desafios que o Open Banking enfrentará?

Apesar dos benefícios que o Open Banking proporcionará aos usuários — e até mesmo às instituições que atuam no mercado financeiro —, existem alguns desafios que precisam ser superados para que esse sistema funcione em toda a sua plenitude. Veja quais são eles!

 

Regulação

Sem dúvidas, um dos principais desafios que as instituições financeiras devem enfrentar é com relação à regulação desse tipo de processo. Afinal, quando tratamos de questões relacionadas a dados pessoais, deve ser ligado um sinal de alerta gigantesco para garantir o sigilo e a privacidade dessas informações.

Por isso, para que esse sistema funcione em toda a sua amplitude, serão necessárias algumas regulamentações aqui no Brasil, que podem ser bastante complexas de serem conquistadas.

 

Padronização

Outro ponto importante a ser destacado é a padronização demandada por esse sistema. Todas as instituições devem passar por um processo de adequação para que o benefício da integração possa efetivamente ser percebido pelos usuários.

Como cada companhia tem a sua forma específica de lidar com esses elementos, é importante que elas passem por um processo de padronização interno antes de começar a utilizar o sistema do Open Banking.  

 

Segurança

Por fim, temos a questão da segurança. Nos últimos anos, foi possível notar um aumento da preocupação das pessoas com relação aos seus dados pessoais de contato e até seus documentos.

Agora, se com um simples endereço de e-mail ou número de telefone já existe esse receio e cuidado por parte das empresas que lidam com eles, é fácil imaginar todo o sigilo que envolve as informações financeiras e bancárias.

Em outras palavras, se existe um nível de segurança altíssimo para dados relativamente simples, será necessário ter um cuidado ainda maior com o Open Banking, tendo em vista que ele trata de informações sensíveis e extremamente restritas das pessoas físicas jurídicas.

 

Quando o Open Banking será implementado?

A implementação desse sistema ocorrerá de acordo com algumas fases. A primeira iniciará no dia 1° de fevereiro e tem por objetivo garantir simplicidade e eficiência no sistema para os usuários. Essa será uma fase de testes iniciais.

A segunda fase está programada para iniciar no dia 15 de julho do mesmo ano. O foco principal é coletar informações do cadastro de clientes.

A terceira fase é aguardada para o dia 30 de agosto e tem o objetivo de iniciar a transação de pagamento e o encaminhamento de propostas de operações de crédito por meio do novo sistema.

A última fase, prevista para dezembro de 2021, prevê que todos os processos realizados no mercado financeiro por meio do Open Banking estejam em vigor.

Nesse sentido, o objetivo do Banco Central é que o sistema esteja em perfeito funcionamento até o final do corrente ano.

Como você pôde perceber, apesar dos muitos desafios que ainda tem pela frente, o Open Banking é um processo que promete revolucionar a forma com que as pessoas se relacionam com seus investimentos, proporcionando benefícios interessantes para o usuário.

Gostou da novidade? Que tal espalhá-la para todos seus amigos e familiares? Então, compartilhe este artigo nas suas redes sociais e ajude-nos a fazer este conteúdo chegar para o maior número possível de pessoas.

Se você gostou deste artigo e quer continuar recebendo dicas sobre investimentos, assine a nossa newsletter. Dessa forma, você será informado sempre que publicarmos um novo conteúdo.

Ainda não é Cliente? Abra a sua conta no Modal Banco Digital do Investidor