Para investir, é preciso fazer um planejamento financeiro. Em vez de esperar o mês terminar para ver quanto sobra, a ideia é organizar as finanças para garantir uma aplicação contínua, a fim de fazer seu dinheiro render e trabalhar por você.

Foi assim que os investidores que garantiram uma renda passiva fizeram, e é isso o que os investidores que querem garantir essa renda no futuro, precisam fazer. Você pode alcançar esse patamar se tiver disciplina e focar no que é necessário. Também é necessário ter uma boa dose de educação financeira e conhecimento.

Como aliar todos esses aspectos e planejar suas finanças agora? É o que vamos mostrar neste conteúdo. Explicaremos em que consiste essa prática, para que ela serve, qual é sua importância e, claro, quais são as dicas para mudar o cenário do seu orçamento pessoal. Confira!

 

O que é planejamento financeiro?

O planejamento financeiro é uma estratégia em que você prevê os gastos e os ganhos atuais e futuros para tomar decisões inteligentes e alcançar seus objetivos. O propósito é fazer um diagnóstico da situação atual para pagar todas as contas, passar o mês de forma confortável e ainda investir.

O resultado é a melhoria da qualidade de vida e da sua educação financeira. O assunto é ainda mais relevante diante do cenário atual do País, onde a inadimplência atingiu 63,8 milhões de brasileiros em janeiro de 2020, segundo a Serasa Experian.

O Raio-X do Investidor 2019, relatório da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), ainda indica que apenas 33% da população guardou dinheiro em 2018. Desse total, 71% alcançaram o objetivo devido ao corte de gastos.

Para melhorar esse cenário, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) prevê a implantação da educação financeira nos Ensinos Infantil e Fundamental ainda em 2020. Com isso, a tendência é que mais pessoas façam seu planejamento no futuro e tenham dinheiro para deixar rendendo em algum investimento.

Qualquer elaboração de planejamento do orçamento pessoal ou familiar tem o objetivo de atingir as metas estabelecidas. Elas podem ir da formação de uma reserva de emergência à compra de um imóvel ou à conquista de uma aposentadoria confortável. Tudo depende do que você deseja.

Para alcançar esse propósito, você precisa passar por algumas etapas. Por exemplo, se tiver dívidas, o planejamento financeiro visa à sua quitação em um primeiro momento. Assim, paga-se o débito em aberto com mais rapidez e deixa-se de pagar juros.

Em seguida, chega o momento de formar sua reserva de emergência. Ou seja, guardar uma quantia suficiente para se manter, caso você perca a sua renda. Se já tiver passado por esses dois estágios, está na hora de investir.

Por isso, o planejamento das finanças é o primeiro passo para garantir a autonomia e a independência financeira. Essa é a chave para quem deseja ter um futuro mais promissor, ainda que hoje tenha uma quantia limitada para investir.

Podemos resumir essa estratégia com a seguinte frase do ex-presidente dos Estados Unidos, Thomas Jefferson: “Nunca gaste seu dinheiro antes de recebê-lo”. Essa é a regra máxima da educação e do planejamento financeiros.

 

Para que serve um planejamento financeiro?

Qualquer elaboração de planejamento do orçamento pessoal ou familiar tem o objetivo de atingir as metas estabelecidas. Elas podem ir da formação de uma reserva de emergência à compra de um imóvel ou à conquista de uma aposentadoria confortável. Tudo depende do que você deseja.

Para alcançar esse propósito, você precisa passar por algumas etapas. Por exemplo, se tiver dívidas, o planejamento financeiro visa à sua quitação em um primeiro momento. Assim, paga-se o débito em aberto com mais rapidez e deixa-se de pagar juros.

Em seguida, chega o momento de formar sua reserva de emergência. Ou seja, guardar uma quantia suficiente para se manter, caso você perca a sua renda. Se já tiver passado por esses dois estágios, está na hora de investir.

Por isso, o planejamento das finanças é o primeiro passo para garantir a autonomia e a independência financeira. Essa é a chave para quem deseja ter um futuro mais promissor, ainda que hoje tenha uma quantia limitada para investir.

Podemos resumir essa estratégia com a seguinte frase do ex-presidente dos Estados Unidos, Thomas Jefferson: “Nunca gaste seu dinheiro antes de recebê-lo”. Essa é a regra máxima da educação e do planejamento financeiros.

 

Qual a importância de um planejamento financeiro?

Pensar sobre as suas finanças permite tomar melhores decisões a longo prazo. Quando você sabe quanto tem a pagar e o montante que vai receber, deixa de ter dúvidas sobre o impacto que determinada ação terá no seu orçamento.

Ainda é necessário ter disciplina e responsabilidade. Evite se deixar levar pelas circunstâncias e realize apenas o que está ao seu alcance.

Você verá que há muitas vantagens ao realizar o planejamento financeiro. Entre as principais estão as que listamos a seguir.

 
Melhoria da qualidade de vida e dos hábitos de consumo

Adote o consumo consciente. Essa é uma forma de evitar gastos exagerados, viver bem e guardar seu dinheiro para investir. Isso também leva a uma adequação dos hábitos familiares à realidade financeira. Um aprendizado tanto para você quanto para quem está próximo.

 
Redução das dívidas

Estar endividado é uma realidade para milhões de brasileiros, como mostramos. Mais do que o total de inadimplentes, essas pessoas vivem à base de cartão de crédito e, muitas vezes, afirmam que “limite é renda”.

Essa realidade é prejudicial, porque confunde oportunidades de empréstimo e financiamento com o orçamento disponível. Além do mais, há aplicação de juros nessas condições. O ideal é pagar à vista e manter as contas em dia.

 
Manutenção dos gastos sob controle

Achar que o mês é muito longo para a renda disponível é um sinal de finanças desequilibradas. Controle todos os seus gastos e saiba quanto de dinheiro entra e sai com o passar dos dias. Esse monitoramento é fundamental para garantir o comando do seu orçamento.

 
Eliminação de gastos desnecessários

Pagar TV a cabo, internet, serviços de streaming, academia, restaurantes e outros pode ser importante para você. Ainda assim, analise o que é realmente necessário. Verifique o que é supérfluo, quais itens são menos utilizados e se o impacto na sua qualidade de vida será grande. Considere o custo-benefício para tomar decisões inteligentes.

 
Proteção e construção do seu patrimônio

Crie um futuro tranquilo com o planejamento financeiro de agora. Assim, caso surjam imprevistos, eles causarão menos impactos. Além disso, cuidar do seu orçamento é também uma forma de tomar conta de si próprio e de sua família, e com isso, garantir mais qualidade de vida agora e no futuro.

  • Constituição ou aumento de sua família;
  • Realização de viagens;
  • Compra de imóveis e carros;
  • Possibilidade de mudança para outra cidade ou país;
  • Melhoria do padrão de vida;
  • Realização de cursos;

Esse é um processo de autoconhecimento. Considere o que é importante para você. Em seguida, faça algumas suposições de custos para alcançar cada um dos objetivos. Calcule seus gastos atuais e compare-os.

Aqui, é mais importante começar a fazer previsões do que estar certo. O propósito é ter uma noção da sua realidade financeira para se planejar e se motivar.

 
Controle seus gastos

Saiba quanto, onde e quando gastou seu dinheiro. Parece exagerado? Não é. Sem ter essa visão, é impossível fazer um bom planejamento financeiro.

Nesse processo, use uma planilha ou um aplicativo financeiro. Lembre-se de anotar tanto os gastos quanto os ganhos, e fazer previsões para os próximos meses. É como em uma empresa: se você realiza estimativas, sabe quando se preocupar e encontrar alternativas.

Caso tenha dívidas, insira todas elas e o total de parcelas restantes. Tenha em mente que, durante esse processo, é normal ter surpresas com a quantia gasta. Conhecer sua situação atual é primordial para melhorar suas finanças.

Nova call to action


 
Elimine ou reduza gastos supérfluos
Citamos anteriormente sobre a eliminação de gastos desnecessários. Percebeu que eles ocupam uma parcela significativa do orçamento? Está na hora de fazer alguns cortes.

Considere o que é mais importante e faça mudanças na sua rotina. Avalie os serviços que não usa e cancele-os. Deixar de pagar, ainda que seja um valor pequeno, contribui para o alcance dos seus objetivos.

 
Elabore um orçamento
Refletindo sobre todos os seus gastos, chega o momento de estabelecer um orçamento.

Veja suas metas e quando será capaz de realizá-las. Tenha em mente que ter apenas um número e um prazo longo se torna desmotivador.

Para aumentar o seu engajamento, divida os objetivos e detalhe-os bem. Uma boa dica é usar a metodologia SMART, que prevê metas:

  • (S) Específicas;
  •  (M) Mensuráveis;
  • (A) Atingíveis;
  •  (R) Relevantes;
  • (T) Temporais.

Portanto, “quero construir minha reserva de emergência” não é um objetivo adequado. Mude para: “quero formar uma reserva de emergência em dois anos economizando R$ 1 mil por mês, porque preciso preservar meu patrimônio e começar a investir”.

Percebe a diferença?

 
Comece a poupar
Economizar, poupar e investir são conceitos diferentes. O primeiro se refere a gastar menos do que hoje. Isso nem sempre significa que vai sobrar dinheiro. Se você tiver dívidas, por exemplo, toda sua renda ainda está comprometida, mesmo que tenha gastado menos.

Poupar consiste em guardar dinheiro. De toda a sua renda, você paga as contas e outros gastos, e ainda tem dinheiro sobrando. Essa etapa é a chave para entrar no mundo financeiro e fazer aplicações, o próximo estágio.

 
Invista
Chegou ao ponto de aplicar e obter rendimentos? Então, defina uma estratégia. Veja qual é seu perfil de investidor — conservador, moderado ou arrojado — e sua tolerância a perdas. Como investidor, em qualquer estágio, mas especialmente quando se está começando, vale a pena dar prioridade à proteção do seu dinheiro.

Perceba que existem possibilidades para investir quantias pequenas. O importante é ter acesso a uma grande variedade de produtos. Assim, qualquer barreira é eliminada e seu dinheiro começa a render.

Aqui, também entra a diversificação da carteira. Afinal, investir em diferentes produtos reduz o risco e aumenta o potencial de rendimento.

Nesse momento, escolha uma instituição que ofereça variedade de produtos e uma plataforma de investimentos estável. Isso aumenta o potencial de retorno.

Viu como fazer um planejamento financeiro é mais fácil do que parece? Ainda que tenha várias etapas, vale a pena seguir as dicas para organizar seu orçamento a partir de agora.

E você, deseja começar a investir para ter rendimento? Abra sua conta no modalmais e tenha acesso a um banco digital completo, sem taxas de custódia e nem tarifas de manutenção de conta.

 
Nova call to action