Escolher entre poupança ou Tesouro Direto pode determinar o futuro do seu patrimônio.

Os juros da taxa Selic estão em mínimas históricas. Então, o almoço grátis da renda fixa acabou e chegou a hora de buscar novas alternativas para o seu capital.

Como sabemos, a caderneta de poupança é a aplicação mais conhecida pelos brasileiros. Porém, o seu rendimento têm caído vertiginosamente desde 2016.

O principal ponto para decidir entre poupança ou Tesouro Direto pode ser o ganho real, que, por sua vez, é o retorno sobre a inflação.

Em 2019, a caderneta rendeu menos do que o IPCA. Portanto, o dinheiro aplicado nele perdeu poder de compra.

Já os títulos públicos trouxeram ganho real próximos de 1,50% no ano, ou seja, o capital, de fato, se valorizou.

 

Neste guia completo, você encontrará dicas incríveis para decidir de vez entre poupança ou Tesouro Direto e fazer o seu dinheiro render de verdade. Hoje falaremos sobre:

 

  • É melhor investir em poupança ou Tesouro Direto?
  • Como funciona a poupança?
  • Como funciona o Tesouro Direto?
  • Rentabilidade da poupança x rentabilidade do Tesouro Direto
  • Poupança ou Tesouro Direto: principais diferenças
  • Poupança ou Tesouro Direto: prós e contras
  • Qual o melhor investimento para a aposentadoria: poupança ou Tesouro Direto?
  • Como investir no Tesouro Direto com o modalmais

 

Boa leitura!

É melhor investir em poupança ou Tesouro Direto?

Os títulos públicos são essenciais em todas as carteiras

 

Essa decisão depende dos seus objetivos como investidor e das características de ambos os ativos.

Ao fazer a comparação entre poupança ou Tesouro Direto, você vai perceber que eles possuem baixo risco.

Por isso, costumam ser as preferências para guardar dinheiro, principalmente com foco no longo prazo.

De acordo com o Raio-X do Investidor, divulgado pelo Anbima, em 2018, 88% dos entrevistados preferem a poupança.

Entre os principais motivos da escolha está a segurança, o costume e a facilidade de aplicação.

Já o relatório do Tesouro Nacional, referente a dezembro de 2019, revelou que há mais de 5,6 milhões de investidores em títulos públicos, um aumento de 80,7% em doze meses.

Além disso, de acordo com dados do Banco Central, em janeiro de 2020, houve a retirada de R$ 12,36 bilhões da poupança, a maior desde 1995.

Note que os investidores estão se dando conta de que a caderneta não é um boa opção para guardar dinheiro.

Como funciona a poupança?

A caderneta é um das aplicações mais tradicionais no Brasil

 

Ela consiste em um empréstimo do seu dinheiro para um banco. Em troca, você receberá uma taxa de rentabilidade anual.

A poupança surgiu ainda durante a época do império, quando Dom Pedro II criou a Caixa Econômica Federal.

Os recursos captados pelas instituições podem ser utilizados para as operações de CDI, oferecimento de crédito e financiamentos.

Portanto, os bancos usam o capital da poupança para lucrar e pagar os rendimentos da sua aplicação.

Características

A poupança é regulamentada pelo Banco Central (Bacen). Independentemente do banco escolhido, ela terá os mesmos parâmetros.

O rendimento dessa aplicação é calculado mensalmente (para pessoa física). Isso é feito para que as instituições tenham tempo hábil para repassar os retornos para a sua conta.

Além disso, a poupança possui garantia do FGC (Fundo Garantidor de Créditos) de até R$ 250 mil por CPF e instituição.

Como é calculada a rentabilidade

O rendimento da poupança é definido pelo Bacen. Desde 2012, o seu cálculo é feito da seguinte forma:

 

  • Se a taxa Selic estiver acima de 8,5% ao ano: rentabilidade de 0,5% ao mês + Taxa Referencial (TR);
  • Com a taxa Selic menor ou igual a 8,5% ao ano: retorno de 70% da taxa básica + TR.

 

Com a taxa Selic em 4,25% a.a, o rendimento da poupança está em 2,97% ao ano.

Custos e taxas

A regulamentação da poupança faz com que ela seja isenta de custos e impostos. Então, o seu rendimento vem direto para o bolso do poupador.

Como funciona o Tesouro Direto?

Ganhe dinheiro e ajude no desenvolvimento do país

 

O Tesouro Nacional é um programa do governo para a emissão de títulos da dívida pública.

Assim, esse investimento funciona como uma promessa de pagamento futura do dinheiro emprestado ao Estado corrigido por uma taxa de rentabilidade.

O dinheiro captado pelo Tesouro Direto pode ser utilizado para custeio de áreas importantes, como educação, saúde e infraestrutura.

Características

O programa do Tesouro Nacional surgiu em 2002. Desde então, o número de investidores não para de crescer.

Além disso, o investimento em títulos públicos pode ser realizado através de bancos ou corretoras de valores.

Como é calculada a rentabilidade

O Tesouro Direto pode ser ofertado de três formas:

 

  • Tesouro Selic: trata-se de um título com rendimento de 100% da taxa Selic ao ano;
  • Tesouro IPCA+: ele é um ativo de rentabilidade híbrida, composta por uma parte fixa mais a variação da inflação, por exemplo, 3,5% + IPCA;
  • Tesouro Prefixado: esse título possui taxa de retorno fixa, como 6,0% ao ano.

 

A rentabilidade do título, junto com o valor investido é pago no vencimento do título, porém, o tesouro direto tem como benefício a recompra diária, ou seja, diariamente o tesouro se compromete a recomprar os títulos, caso queira vender antecipadamente.
Existem também títulos com cupom, que semestralmente pagam juros ao investidor.

Assim, você receberá parte dos rendimentos a cada seis meses já descontados de impostos e taxas.

Vale lembrar que o rendimento do Tesouro Direto é na forma de juros compostos. Então, o retorno de hoje é calculado sobre o montante do dia anterior.

Dessa forma, o seu dinheiro poderá render mais, principalmente no longo prazo.

Custos e taxas

Ao investir no Tesouro Direto, você estará sujeito à cobrança do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

Ele incide apenas sobre os rendimentos até o 30º dia da aplicação. Então, ao solicitar o resgate nesse período, terá que pagar o tributo.

O Tesouro também possui a cobrança de Imposto de Renda (IR). Ele segue alíquota regressiva, conforme mostrado na tabela a seguir:

 

Prazo de investimentoAlíquota IR (%)
Até 180 dias22,5
Entre 181 até 360 dias20,0
De 361 até 720 dias17,5
Acima de 720 dias15,0

Imposto de Renda no Tesouro Direto – Fonte: Tesouro Nacional

 

Vale destacar que o IR é calculado apenas sobre os rendimentos. Então, o montante investido permanece intacto.

Perceba que, ao investir por um prazo maior, a alíquota a ser paga diminui.

Outro custo do Tesouro Direto é a taxa de custódia. Ela é cobrada pela B3 semestralmente sob a alíquota de 0,25% ao ano.

Rentabilidade da poupança x Rentabilidade do Tesouro Direto

No longo prazo, a diferença de retorno é ainda mais perceptível

 

Ao comparar entre poupança e Tesouro Direto, é notável a diferença de rendimento entre ambos.

Geralmente, os títulos públicos rendem próximo de 100% do CDI, ou seja, cerca de 4,25% ao ano.

Enquanto isso, a poupança possui rentabilidade de 2,97% a.a., uma das menores da renda fixa.

Em 2019, o CDI fechou em 5,96%. Ao descontar a inflação acumulada de 4,31%, o ganho real foi de 1,59%.

Já a poupança rendeu 4,26% com retorno real (ou seja, descontando a inflação) de -0,05% sobre o IPCA. A última vez que ela perdeu para a inflação foi em 2015.

Para 2020, com a taxa Selic em 4,25% ao ano. A caderneta pode trazer ganho real negativo novamente.

Considere que você investiu para comprar uma casa de R$ 300 mil daqui 10 anos.

Com o seu dinheiro perdendo poder de compra, será necessário mais do que R$ 300 mil para realizar este sonho.

A projeção do CDI para 2020 é de ganho real próximo de 1%. Então, o seu capital poderá continuar a se valorizar.

Por isso, ao comparar poupança ou Tesouro Direto, o segundo tende a ser a melhor opção para a sua carteira.

Poupança ou Tesouro Direto: principais diferenças

As diferenças entre poupança ou Tesouro Direto vão muito além da rentabilidade

 

Elas vêm das características de ambos os ativos e que devem ser consideradas na tomada de decisão.

 

Segurança do Tesouro x segurança da caderneta

Os títulos públicos não possuem a garantia do FGC. Em contrapartida, eles são emitidos pela máxima instituição financeira no Brasil, que é o governo.

Então, a possibilidade de que o Tesouro Nacional falte com os pagamentos dos rendimentos ou quebre é baixa.

Caso isso aconteça, as demais instituições, como os bancos, vão à falência primeiro.

Portanto, na comparação entre poupança ou Tesouro Direto, o segundo pode ser considerado como o ativo mais seguro do país.

Liquidez dos títulos do Tesouro x liquidez da poupança

Essa característica consiste na facilidade de converter um ativo em dinheiro. Em ambos os casos, a liquidez é imediata.

Na poupança, o capital fica disponível para o poupador a qualquer momento. Basta solicitar o saque.

Já no Tesouro, ocorre o mesmo. Porém, o valor estará disponível apenas no próximo dia útil.

Apesar de parecer negativo, aqui temos uma vantagem sobre a poupança. Os títulos públicos não possuem aniversário de aplicação.

Então, se você solicitar o resgate, não perde os rendimentos do período, como ocorre na poupança.

Aplicação mínima do Tesouro Direto e da poupança

Ao comparar poupança ou Tesouro Direto, você perceberá que ambos são acessíveis. Na primeira, qualquer quantia pode ser aplicada.

Nos títulos públicos, o aporte mínimo equivale a 1% do todo. De acordo com os valores atuais, é possível começar com menos de R$ 30.

Prazo de vencimento Tesouro Direto x poupança

A poupança não possui data de vencimento. Então, você pode deixar o dinheiro aplicado sem se preocupar.

O Tesouro Direto tem prazo definido. Ele não deve ser encarado como impedimento para investir.

Isso porque, na data do vencimento, você pode reinvestir em um título semelhante ou realocar em outras alternativas. Existem títulos com prazo acima de 2030.

Tributação do Tesouro x poupança

Um dos motivos que levam as pessoas a permanecer na caderneta é a isenção de custos. Mas, isso pode não compensar.

Considere o investimento de R$ 10 mil na poupança e Tesouro Selic por cinco anos. Veja os resultados:

Simulação poupança ou Tesouro Direto - Fonte: Tesouro Nacional

Simulação poupança ou Tesouro Direto – Fonte: Tesouro Nacional

 

Perceba que, mesmo com os custos, o título público rendeu R$ 676,81, ou seja, são cerca de 16,8% mais que você leva para a casa sem abrir mão da segurança.

 

Poupança ou Tesouro Direto: prós e contras

Os títulos públicos contam com a opção de investimento automático

 

A caderneta é uma forma simples de guardar dinheiro. Afinal, tudo pode ser feito através da sua conta no banco.

Já no Tesouro, você precisa também ter uma conta em uma corretora de valores. Então, é essencial pesquisar para evitar taxas.

Em contrapartida, há diversas instituições que possuem taxa zero para títulos públicos, como o modalmais.

Por fim, ao decidir entre poupança ou Tesouro Direto, note que o segundo oferece três modalidades de produtos.

Assim, fica mais fácil encontrar aquela que mais se encaixa aos seus objetivos. Na poupança, você fica preso ao que ela tem a oferecer.

Qual o melhor investimento para a aposentadoria: poupança ou tesouro direto?

O Tesouro IPCA+ é um dos mais recomendados para este objetivo

 

Investir para a aposentadoria requer um ativo seguro e rentável. Apesar do baixo risco da poupança, ela tende a ser uma opção ruim para o seu capital.

O Tesouro Direto possui dois títulos que podem fazer toda a diferença no seu futuro, que são o Tesouro Selic e o Tesouro IPCA+.

O primeiro acompanha a taxa básica e os rendimentos são sempre positivos. Então, o seu dinheiro só tende a crescer.

Além disso, se a taxa Selic subir, os retornos também aumentam.

Já o Tesouro IPCA+ oferece ganho real sobre a inflação, o que é positivo para manter o seu poder de compra ou proteger o seu dinheiro ao longo do tempo.

Por isso, se você está em dúvida entre poupança ou Tesouro Direto para a aposentadoria, o segundo pode ser a melhor escolha.

Como investir no Tesouro Direto no modalmais

O primeiro passo para sair de vez na poupança e fazer o seu dinheiro render mais é abrir a sua conta no modalmais agora mesmo.

O cadastro é rápido e você já pode começar no mesmo dia. Assista o vídeo incrível e veja como fazer o seu primeiro investimento:

 

Conclusão

Abra a sua conta no modalmais e invista em títulos públicos agora mesmo

 

Escolher entre poupança e Tesouro Direto se tornou bastante comum após a queda da taxa Selic para 4,25% ao ano.

Apesar de que o Bacen sinalizou fim do ciclo de cortes, chegou a hora de alocar o seu dinheiro em ativos que ofereçam bons rendimentos, como os títulos públicos.

Isso porque a expectativa da própria instituição é de que os juros permaneçam baixos até 2023.

Continue a aprender sobre investimentos com estes outros artigos do nosso blog:

 

 

Ao comparar poupança ou Tesouro Direto, lembre-se de que a segunda opção permite o uso de estratégias para ganhar mais.

Uma delas é a de marcação à mercado. Em 2019, o Tesouro IPCA+ 2045 rendeu os incríveis 58,09% em doze meses.

O investidor que vendeu o título em dezembro levou rendimento de 1.000% do CDI. Enquanto que, na poupança, o retorno foi de 71,7% do índice.

Portanto, este pode ser o momento certo para sair da caderneta e abrir a sua conta no modalmais agora mesmo.

Aqui, você encontrará os títulos do Tesouro Direto para fazer o seu dinheiro render de verdade e com segurança.

 

Obrigado por ler até aqui!