O programa utilizado para o preenchimento e envio da declaração de Imposto de Renda Pessoa Física 2021 (ano-base 2020), disponível como aplicativo de dispositivos móveis e de computador e online no site da Receita Federal, está disponível para download e acesso, a partir de hoje, 25.

A ideia é que você possa se antecipar e evitar atrasos: a entrega da declaração tem início na segunda-feira, dia 1º de março, às 8h, e vai até o dia 30 de abril, às 23h59.

No caso de quem irá realizar o download em smartphones ou tablets, o programa está disponível nas respectivas lojas de aplicativos de iOS (App Store) ou de Androids (Google Play) e sem grandes alterações: tanto o preenchimento do formulário, quanto o envio da declaração, continuam sendo realizados por meio do serviço “Meu Imposto de Renda”.

Quem optar por utilizar a página da Receita Federal para realizar essa manutenção anual para com o Fisco, deverá utilizar o Programa Gerador da Declaração (PGD) e precisará de um certificado digital para isso.

Confira a seguir, como não errar na hora de baixar o programa e iniciar sua declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física.

 

Para computador:

  • Acesse o site da Receita Federal, clique na opção “Meu Imposto de Renda” e, em seguida, em “Baixar o Programa”. Nessa etapa o site solicitará uma confirmação sobre qual o sistema operacional (Windows, Linux ou Mac) do computador. Após selecionada essa opção, a página será redirecionada à conclusão do download.

 

Para dispositivos móveis:

  • Acesse a loja virtual de seu dispositivo móvel iOS ou Android, busque pelo aplicativo “Meu Imposto de Renda” e inicie o download como de costume com outros aplicativos;
  • Após realizar o download, abra o aplicativo, leia a primeira tela informativa (se achar necessário) e, após fechá-la, clique em “Declaração de Ajuste Anual”;
  • A princípio você terá duas opções: iniciar uma declaração do zero, informando nome completo e CPF, após clicar em “Iniciar declaração em branco” ou importar os dados da declaração do ano anterior;
  • Por fim, uma janela abrirá e recomendará que você realize o preenchimento de todas as fichas nas telas seguintes para, no final, escolher entre os modelos simplificado ou completo.

 

Atenção às novidades

Na tela informativa, mencionada no tópico anterior, estão as novas regras sobre a DIRPF deste ano. Em relação aos valores, não houve reajuste na tabela, que permanece igual à do ano passado.

No entanto, dentre as regras vigentes para 2021, entra uma importante para quem recebeu o auxílio emergencial em 2020: mesmo quem recebeu, em 2020, auxílio emergencial, independentemente do valor, e, além dele, outros rendimentos que tenham superado o limite de isenção (de R$ 22.847,76) excluindo o benefício , devem fazer a declaração de Imposto de Renda.

Caso a soma dos outros ganhos, ainda excluindo o benefício, em 2020, não tenha superado o limite de isenção, o contribuinte fica isento de declarar, mesmo que a soma total do benefício com a de outros rendimentos ultrapasse esse patamar.

Concluindo, caso o contribuinte tenha recebido mais de R$ 22.847,76 em 2020 e também recebido o auxílio emergencial, ele precisará declarar. Caso tenha recebido uma soma de rendimentos inferiores a isso, estará isento de declarar.

Gostou deste conteúdo? Aproveite para compartilhá-lo em suas redes sociais. E para ficar sempre por dentro de tudo o que rola no universo financeiro, assine, hoje mesmo, nossa newsletter gratuita.