Conhecer a rentabilidade no Tesouro Direto pode ser o que faltava para você sair da poupança de vez.

Os juros baixos da economia reduziram ainda mais o rendimento da caderneta.

Caso a projeção de inflação em 3,50% se concretize, este será mais um ano em que a poupança terá retorno real negativo.

Enquanto isso, a rentabilidade no Tesouro Direto continua acima do CDI – sem contar que trata-se de um investimento seguro para o seu dinheiro.

Antes de começar a investir, você deve conhecer o funcionamento desse ativo e como escolher o melhor para a sua carteira.

Diante disso, preparamos este artigo sobre rentabilidade no Tesouro Direto com simulações incríveis para motivá-lo a fazer o seu primeiro aporte ainda hoje.

 

Veja o que você vai aprender:

 

  • Qual a rentabilidade do Tesouro Direto?
  • Quanto rende 100 mil reais no Tesouro Direto?
  • Qual a rentabilidade do Tesouro Direto em 2020?
  • Rentabilidade do Tesouro Direto hoje
  • Como calcular quanto rende ao mês o Tesouro Direto
  • Simulador do Tesouro Direto
  • Taxas do Tesouro Direto
  • Histórico de rentabilidade acumulada do Tesouro Direto
  • Como escolher um título do Tesouro Direto
  • Outros títulos públicos para você investir

 

Boa leitura!

Qual a rentabilidade do Tesouro Direto?

Faça o seu dinheiro render mais e ajude no desenvolvimento do Brasil

 

A rentabilidade varia conforme alguns fatores, como expectativas dos futuros, tipo de título, comportamento do indexador e data de vencimento.

A maioria dos ativos disponíveis para a negociação possuem rentabilidade bruta próxima de 4,25% ao ano.

Basicamente, quando há expectativa de alta nos juros da economia no futuro, a rentabilidade do Tesouro Direto aumenta, e o seu preço unitário diminui.

Isso acontece porque a dívida pública se torna mais cara. Então, o governo precisa oferecer retorno maior aos investidores para compensar o risco.

O efeito dos juros futuros são ainda mais perceptíveis nos títulos com data de vencimento mais avançada.

Intrinsecamente, eles já oferecem risco maior. Então, o ideal é ter cautela na hora de investir.

O que é Tesouro Direto?

Ele é um programa do governo para a emissão de títulos da dívida pública. O seu funcionamento é semelhante a um empréstimo.

Em troca, você receberá uma taxa de juros, que é a própria rentabilidade do Tesouro Direto. No vencimento, o seu dinheiro será corrigido e devolvido.

A captação desse programa é voltada para o financiamento de áreas, como infraestrutura, saúde e educação.

Os títulos do Tesouro Direto são oferecidos em três modalidades:

  • Tesouro IPCA+: trata-se de um título com rentabilidade híbrida, ou seja, possui uma parte fixa mais a variação da inflação, por exemplo, 3% + IPCA ao ano;
  • Tesouro Prefixado: ele possui taxa de rendimento fixa, por exemplo, 5% ao ano.
  • Tesouro Selic: esse título rende 100% da taxa Selic ao ano.

 

Vale lembrar que o Tesouro IPCA+ e o Tesouro Prefixado possuem opções de pagamento de cupons de rendimento semestrais.

 

Nesses casos, a rentabilidade no Tesouro Direto pode ser ligeiramente menor do que para um ativo que paga os retornos apenas no vencimento.

 

Vale lembrar que o Tesouro IPCA+ e o Tesouro Prefixado possuem opções de pagamento de cupons de rendimento semestrais.

Nesses casos, a rentabilidade no Tesouro Direto pode ser ligeiramente menor do que para um ativo que paga os retornos apenas no vencimento.

Quanto rende 100 mil reais no Tesouro Direto?

Os prefixados e atrelados ao IPCA podem ser boas alternativas

 

Mesmo com a queda de juros, a rentabilidade no Tesouro Direto continua atrativa.

O investimento de R$ 100 mil por doze meses em Tesouro Selic, com vencimento em 2025, pode trazer retorno de R$ 3.171,81.

Enquanto que o mesmo aporte no título com taxa de 3,21% + IPCA, pelo mesmo período, tem retorno estimado em R$ 6.405,58.

Já ao investir o valor em prefixado com rentabilidade 6,23% ao ano, o resultado será de R$ 5.519,54 em 12 meses.

Agora, vamos estimar a rentabilidade no Tesouro Direto pelo prazo de cinco anos utilizando os mesmos títulos.

No Tesouro Selic, o retorno líquido estimado é de R$ 17.745,49. Já no prefixado, o rendimento será de R$ 32.686,11. E no título atrelado ao IPCA, temos R$ 38.753,96.

Perceba que a rentabilidade no Tesouro Direto tende a aumentar com o período de investimento.

Então, se você busca lucros mais atrativos, o ideal é investir focado no médio e longo prazo.

Rentabilidade no Tesouro Direto em 2017

De acordo com o relatório do Tesouro Nacional, os títulos renderam mais de 11% no ano. Veja a tabela:

Rentabilidade no Tesouro Direto em 2017 - Fonte: Tesouro Nacional

Rentabilidade no Tesouro Direto em 2017 – Fonte: Tesouro Nacional

 

O destaque foi o prefixado de vencimento em 2023 com rendimento de 19,13%.

O Tesouro Selic fechou o ano com retorno de 10,11%. A rentabilidade média do Tesouro IPCA+ ficou em torno de 12,50%.

Rentabilidade no Tesouro Direto em 2018

O relatório do Tesouro Nacional, referente a 2018, mostra que o título mais rentável do ano foi o Tesouro IPCA+ 2045 com retorno de 17,78%. Confira a tabela:

Rentabilidade no Tesouro Direto em 2018 - Fonte: Tesouro Nacional

Rentabilidade no Tesouro Direto em 2018 – Fonte: Tesouro Nacional

 

Já o título prefixado rendeu 12,11% no ano. E o Tesouro Selic trouxe rendimentos de 6,21%. Em 2018, a rentabilidade no Tesouro Direto foi, em média, de 11,00%.

Rentabilidade no Tesouro Direto em 2019

O principal destaque no relatório do Tesouro Nacional de 2019 foi o Tesouro IPCA+ 2045 com rendimento de 58,09%. Veja abaixo:

Rentabilidade no Tesouro Direto em 2019 - Fonte: Tesouro Nacional

Rendimentos nos títulos públicos em 2019 – Fonte: Tesouro Nacional

 

Enquanto isso, a rentabilidade no Tesouro Direto ficou, em média, próxima de 20% no ano.

O Tesouro Prefixado trouxe rendimento em cerca de 22,5% e o Tesouro Selic fechou 2019 com retorno de 5,96%.

 

Qual a rentabilidade do Tesouro Direto em 2020?

Os juros no Brasil têm demonstrado estabilidade. Assim, a rentabilidade no Tesouro Direto deve continuar atrativa.

Com a Reforma da Previdência, privatizações e demais ajustes, a relação entre dívida pública e PIB, em 2019, recuou pela primeira vez em seis anos.

Ela chegou a 76,5% do PIB em 2018. Já no final de 2019, diminuiu para 75,8%. O corte na taxa Selic também pode trazer alívio às contas públicas.

As projeções feitas pelo Ministério da Economia são de que, entre 2019 e 2022, o governo vai economizar R$ 418 bilhões em juros.

Dessa forma, a tendência é que o Tesouro Nacional faça a emissão de títulos com vencimentos mais longos.

Já a rentabilidade no Tesouro Direto deverá ficar próxima do CDI e sem grandes surpresas durante 2020, o que pode ser positivo, principalmente para os atrelados ao IPCA e prefixados.

Rentabilidade do Tesouro Direto hoje

Com os juros baixos, os prefixados tendem a render mais

 

O rendimento dos títulos públicos hoje depende dos juros da economia. O IPCA acumulado em 2020 está em 0,21%. A taxa Selic sofreu corte para 4,25% ao ano.

No mês de janeiro, a rentabilidade no Tesouro Direto Prefixado .

Já o título indexado ao IPCA com vencimentos longos, renderam cerca de -1%. Os ativos com prazos menores trouxeram retorno de 0,50%.

O Tesouro Selic fechou janeiro com rentabilidade de 0,35%, seguindo a taxa Selic.

Como calcular quanto rende ao mês o Tesouro Direto

Os retornos dos atrelados ao IPCA e à taxa Selic são apenas estimados

 

A rentabilidade no Tesouro Direto é anual. Para estimar o seu retorno mensal, basta dividir a taxa anual por 12.

Porém, o resultado pode variar, principalmente nos títulos atrelados ao IPCA e nos prefixados.

Isso acontece por conta da volatilidade de mercado desses ativos que, por sua vez, dependem do comportamento da taxa Selic no futuro.

Assim, a rentabilidade no Tesouro Direto mensal pode ser negativa, exceto no Tesouro Selic, que possui baixa volatilidade.

Vale lembrar que, se você manter o título na carteira até o vencimento, receberá conforme acertado no momento da compra.

Simulador do Tesouro Direto

Simular a rentabilidade no Tesouro Direto pode ajudá-lo a tomar as melhores decisões para o seu dinheiro.

 

Para isso, você pode utilizar aplicativos de celular ou acessar o site do Tesouro Nacional.

 

Assim, é só escolher o título desejado, informar o montante a ser investido e o prazo de investimento. Veja como é simples simular:

 

  • Escolha um ativo para investir e informe o aporte:

tesouro selic 2025

 

  • Compare os seus resultados com demais alternativas de investimentos:

Tesouro Selic 2025

Além do simulador do Tesouro Nacional, ao investir com o modalmais, nosso aplicativo já simula na hora o quanto o seu dinheiro poderá render até o vencimento.

Para ter acesso e escolher o título perfeito para a sua carteira, é só abrir a sua conta gratuita agora mesmo.

Taxas do Tesouro Direto

Mesmo com os custos, o Tesouro rende mais do que a poupança

 

Antes de investir em títulos públicos, é preciso considerar os seus custos. Afinal, eles são responsáveis por levar parte dos retornos.

A rentabilidade no Tesouro Direto está sujeita ao desconto do IOF (imposto sobre operações financeiras).

Ele incide sobre os rendimentos apenas nos primeiros trinta dias de aplicação. Então, se você solicitar o resgate nesse período, terá que pagar o tributo.

Há também o Imposto de Renda (IR). Ele é calculado sobre a rentabilidade do Tesouro Direto. A sua alíquota é regressiva, conforme mostra a tabela abaixo:

 

Prazo de investimentoAlíquota de IR (%)
Até 180 dias22,5
De 180 até 360 dias20
Entre 361 a 720 dias17,5
Acima de 720 dias15

Alíquota de IR no Tesouro Direto – Fonte: Tesouro Nacional

 

Além destes impostos, a rentabilidade no Tesouro Direto possui incidência da taxa de custódia.

Ela é cobrada semestralmente pela B3 para manter a guarda dos seus títulos, equivalendo a 0,25% ao ano.

Histórico de rentabilidade acumulada do Tesouro Direto

O site do Tesouro Nacional disponibiliza o histórico do rendimentos dos títulos públicos. Eles podem ser importantes na sua tomada de decisão.

A maior rentabilidade acumulada até 20 de fevereiro de 2020, é do Tesouro IPCA+ 2035. Ele valorizou cerca de 500% em dez anos.

Em seguida, temos o Tesouro IPCA+ 2045 com retorno próximo de 220% desde 2017.

Nos prefixados, o título de maior rentabilidade foi o de vencimento em 2023. A sua valorização ultrapassou 100% em cerca de três anos.

Por fim, o Tesouro Selic 2025 acumula ganhos sólidos e positivos de, aproximadamente, 6,0% desde 2019.

Como escolher um título do Tesouro Direto

O Tesouro Selic é um dos títulos mais recomendados para os iniciantes

 

A seleção de ativos deve ser feita com base nos seus objetivos como investidor. Assim, é possível definir a taxa rentabilidade e vencimento mais adequado.

Geralmente, o Tesouro Selic é uma boa alternativa para investimentos em qualquer prazo, principalmente para reserva de emergência.

Ele pode ser resgatado a qualquer momento sem perdas significadas. Sem contar que o seu rendimento é sempre positivo.

O Tesouro IPCA+ tende a ser a escolha certa se você deseja manter o seu poder de compra no futuro, como, por exemplo, na aposentadoria. Ele oferece ganho real sobre a inflação.

Já o título prefixado pode ser utilizado em momentos de juros baixos. Nesse cenário, ele tende a pagar rendimentos maiores.

Caso o seu objetivo seja gerar uma renda enquanto investe na renda fixa, os ativos que pagam cupons semestrais tendem a ser boas escolhas.

Conclusão

Saia da poupança e faça o seu dinheiro render de verdade com o modalmais!

 

Entender como funciona a rentabilidade no Tesouro Direto é o segredo para fazer o seu dinheiro crescer mais.

Os títulos públicos costumam ser recomendados para os investidores que buscam bons rendimentos sem abrir mão da segurança.

Tenha em mente que o Tesouro Direto é emitido pelo governo, que é a máxima instituição financeira no Brasil.

Então, os títulos públicos podem ser mais seguros do que a poupança, além de ter rentabilidade em média de 30% maior.

Não podemos deixar de destacar que o Tesouro Direto possui liquidez imediata. Então, você pode resgatar a qualquer momento sem se preocupar com o aniversário da aplicação.

Continue a aprender sobre renda fixa com estes outros artigos do nosso blog:

 

 

De acordo com o relatório do Tesouro Nacional de dezembro de 2019, há mais de 5,2 milhões de investidores cadastrados, um aumento de 80,7% em doze meses.

A expectativa para a economia é de que os juros permanecerão baixos até 2023. Portanto, faça como os mais de 5 milhões que já investem em títulos públicos.

Abra a sua conta no modalmais e faça o seu dinheiro render de verdade e com segurança a partir de agora.

 

Obrigado por ler até aqui!