O banco digital modalmais incluiu uma parceria com as empresas de milhas Smiles, da companhia aérea Gol, e TudoAzul, da Azul, em seu programa de pontos. Agora, o cliente pode trocar um “ponto modalmais” por 25 milhas. Segundo o banco, não há limite de transferências.

O sistema de pontuação do modalmais varia de acordo com a categoria do cartão. No caso dos cartões Classic, de 0,75% a 1% do valor das compras virarão “pontos modalmais. Portanto, se um cliente gastar R$ 1 mil no cartão de crédito, ele receberá “de volta” de 7,50 a 10 pontos.

No caso dos cartões Platinum, a taxa de conversão aumenta: 1,1% a 1,5% do valor das compras vira “pontos modalmais”. Já nos cartões da categoria Infinite a conversão passa a ser de 1,5% a 2% do valor gasto.

 

Cashback

Além das milhas, o cliente também pode optar por trocar os pontos por mais produtos ou mesmo por dinheiro, em um sistema conhecido como “cashback”.

Nesse modelo, uma parte do dinheiro gasto no cartão pode ser “devolvido” ao cliente em sua conta-corrente ou até “abatido” da fatura do cartão. Nesse caso, cada “ponto modalmais” equivale a R$ 1.

 

Pontos rendem mais pontos

Um dos principais diferenciais do programa de fidelidade do modalmais é o rendimento automático dos pontos. Caso o cliente não “resgate” esses pontos, eles podem ser transferidos para um sistema chamado “Cash Forward” que, assim como em um investimento financeiro, farão os pontos se multiplicarem.

Segundo o diretor de cartões do banco digital modalmais, Ewerton Nadal, a ideia é “incentivar o cliente a poupar e investir”.

O rendimento muda a cada mês. No primeiro mês, o percentual de “valorização” dos pontos é de 1%. No 12º mês, essa valorização chega a 36%. O cliente, no entanto, pode resgatar a qualquer momento.

Segundo Nadal, a partir de um ano, os pontos param de se multiplicar, mas não expiram.

 

Vale a pena?

Para saber se um programa de pontos vale a pena, o usuário precisa calcular o quanto ele gasta para ter aquele cartão ou aquele programa e ver quanto ele consegue “resgatar”.

No caso do modalmais Classic, que é isento de anuidade, o programa custa R$ 15 por mês, ou seja, R$ 180 por ano. Portanto, para valer a pena, o cliente precisa resgatar mais de R$ 180 no ano. Logo, ele precisa gastar pelo menos R$ 2 mil por mês.

No caso do Modalmais Platinum, o cliente paga uma mensalidade de R$ 65 e a adesão ao programa é gratuita. Portanto, desembolsa R$ 780 para ter o cartão. Então, para o programa valer a pena, ele precisa resgatar mais do que R$ 780 com o programa de pontos, o que equivale a R$ 5.909 por mês.

No caso do Infiniti, a mensalidade é de R$ 100 e a adesão ao programa também é gratuita. Portanto, o cliente paga R$ 1.200 por nesse cartão por ano. Para resgatar um valor acima disso, ele deve gastar mais de R$ 6.667 por mês.

 

Fonte: Por Nathália Larghi, Valor Investe — São Paulo