Aprender como declarar os seus investimentos em Tesouro Direto no Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) 2020 é importante para se manter em dia com a Receita Federal.

Do contrário, você estará sujeito ao pagamento de multas pesadas e a prestar contas ao Leão.

Saber como declarar Tesouro Direto pode ser difícil à primeira vista, principalmente se você começou a investir faz pouco tempo.

Isso porque cada operação relacionada aos títulos públicos deve ser preenchida de forma diferente.

Mas, fique tranquilo: estamos aqui para ajudar você a declarar o  Tesouro Direto no IRPF de maneira prática e sem erro.

A primeira dica é ficar atento ao prazo de entrega da declaração à Receita Federal. Caso não sofra alteração, como o que ocorreu em 2020, o prazo para a entrega da Declaração Anual de Imposto de Renda é às 23h59m de 30 de abril de 2021.

Não espere até o último dia fazer o seu IRPF. Lembre-se de que qualquer erro pode levá-lo a cair na malha fina. Então, o momento de aprender é agora.

Boa leitura!

 

Como o Imposto de Renda incide sobre o Tesouro Direto?

O Imposto de Renda (IR) é tributado apenas sobre os rendimentos do seu título no momento do resgate, vencimento ou sobre o recebimento de juros semestrais de alguns títulos. Basicamente, essa tributação segue uma alíquota regressiva, conforme a tabela a seguir:

 

Período de investimentoAlíquota de IR (%)
Até 180 dias22,5
Entre 181 até 360 dias20
De 361 até 720 dias17,5
Acima de 720 dias15

Alíquotas do IR para o Tesouro Direto – Fonte: Tesouro Nacional

Perceba que, quanto maior o tempo de investimento, menor será a alíquota de Imposto de Renda incidente. O melhor de tudo é que ele já é descontado automaticamente, por ser tributado direto na fonte.

Nesse caso, portanto, não é necessário se preocupar em como recolher o IR. O valor recebido na sua conta será o líquido de impostos e taxas.

Por outro lado, é importante saber como declarar Tesouro Direto de forma correta para evitar inconsistências no Fisco

Como declarar o Tesouro Direto no Imposto de Renda 2021?

Saber como declarar Tesouro Direto no IRPF consiste em informar à Receita se você mantém algum título público ou se o teve em sua carteira no ano anterior.

Lembre-se de solicitar à instituição de investimentos onde você realiza suas aplicações, o Informe de Rendimentos correspondente ao Ano-Calendário de 2020.

No modalmais, para obter o seu é simples: basta acessar sua conta no site e no menu à esquerda, em “Meu Dinheiro”, clicar em “Informe de Rendimentos” no submenu “Conta corrente”.

Nesse documento, você terá todas as informações sobre as suas posições. Assim, fica mais fácil declarar suas aplicações em Tesouro Direto no IRPF 2021.

Declaração do saldo no Tesouro Direto

O preenchimento de saldo deve ser feito se você possui algum título público na carteira, ou se possuía até o último dia do Ano-Calendário (2020) a ser declarado no Exercício do ano atual (2021). Assim, só é necessário informar à Receita Federal a sua posição no ano anterior.

 

Para isso, basta seguir os passos:

  1. Clique na aba “Bens e Direitos”;
  2. Selecione o código 45 – “Aplicação de Renda Fixa (CDB, RDB e outros).
  3. Informe a sua localização, que é a 105 – “Brasil”;
  4. Preencha o campo CNPJ correspondente à instituição por onde você investiu, como, por exemplo, o CNPJ do modalmais;
  5.  No campo “Discriminação”, informe o emissor do produto e detalhes do título, como por exemplo, “Tesouro Direto – título Tesouro Selic 2025”;
  6. Agora, é só preencher os seus saldos na aplicação em 31/12/19 e 31/12/20 conforme consta no seu Informe de Rendimentos.

É importante destacar que, caso você possua diferentes títulos do Tesouro Direto, ou seja, mais de um, o procedimento de declaração de saldo deverá ser repetido para cada um deles.

Para isso, você deve repetir o passo a passo, como o exemplificado acima, discriminando cada título por nome (Tesouro Selic 2025, Tesouro IPCA+ 2035, Tesouro IPCA+ 2045 etc) e seus respectivos valores, bem como preenchendo os demais campos solicitados.

 

Declaração dos ganhos no Tesouro Direto

Caso tenha encerrado suas posições em títulos públicos, ou apenas alguma delas, você precisará informar ao Leão os rendimentos obtidos. Para isso, siga o passo a passo:

  1. . Clique na aba “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva”;
  2.  Após clicar na opção “Novo”, selecione o tipo de rendimento de código “06 – Rendimentos de aplicações financeiras”;
  3.  Defina o tipo de beneficiário: titular ou dependente;
  4.  Informe o CNPJ da fonte pagadora, ou seja, a instituição onde você mantinha a custódia do seu título até o momento da venda ou vencimento, como por exemplo, o CNPJ do modalmais;
  5. Digite o rendimento referente ao título, conforme indicado em seu Informe de Rendimentos.

 

Assim como no processo anterior, você deve declarar cada um dos títulos da sua carteira de forma separada.

Siga o Informe de Rendimentos fornecido pela instituição onde você investe e evite problemas com o Fisco.

Declaração dos títulos resgatados ou que venceram

Para o procedimento de como declarar Tesouro Direto em caso de resgate ou vencimento, você só precisa seguir o passo a passo anterior, ou seja, informar os rendimentos entre 31/12/19 até 31/12/20.

 

Tributação do Imposto de Renda (IR) para Tesouro Direto

O Tesouro Direto é semelhante aos demais investimentos de renda fixa que não são isentos de IR, como CDB.

Além disso, o recolhimento é obrigatório e fica a cargo da instituição financeira pela qual você resgatou o título.

Portanto, aprender a declarar Tesouro Direto, além de evitar que você tenha problemas com o Fisco, também ajuda você a discernir quais ativos têm tributação exclusiva na fonte.

Há investimentos, como Fundos Imobiliários e ETFs, por exemplo, onde o recolhimento do Imposto de Renda é de responsabilidade do investidor.

Para as operações realizadas com esses investimentos, independentemente do valor negociado no mês, não há isenção de impostos, como ocorre nas ações.

Nesse caso, você precisa preencher o DARF (Documento de Arrecadação de Receitas Federais) até o último dia útil do mês subsequente à operação.

Por fim, a tributação do Tesouro Direto segue a tabela regressiva mostrada neste artigo. Lembre-se de que o capital que você investiu não é tributado, visto que isso ocorre somente sobre a rentabilidade obtida.

Para evitar alíquotas de IR altas, uma dica é manter o título na carteira até o vencimento, principalmente se ele possuir mais de dois anos de prazo.

 

Tesouro Direto no Imposto de Renda: obrigatoriedade da declaração

Antes de iniciar o processo de declaração anual de Imposto de Renda, é necessário verificar se você se enquadra em algumas das seguintes situações:

  •  Teve a soma de rendimentos tributáveis como salário, férias, aluguéis, investimentos, entre outros, superior a R$ 28.559,70;
  •  Recebeu mais de R$ 40 mil em rendimentos não tributáveis;
  •  Teve ganho de capital com a venda de imóveis, ou outros bens ou em operações realizadas em Bolsa de Valores e em Mercado Futuro;
  •  Possuiu até 31 de dezembro do Ano-Calendário a ser declarado um total de R$ 300 mil em bens como imóveis, veículos, joias, entre outros, considerando o valor de aquisição;
  • Receita bruta superior a R$ 142.798,50 mil obtida em atividades rurais;

Se você atende a algum desses critérios (e investe em títulos públicos), será necessário aprender a declarar no IRPF 2021.

 

Invista no Tesouro Direto

Depois de aprender passo a passo como declarar Tesouro Direto ao Leão, provavelmente a sua jornada ficará mais tranquila.

A Receita Federal tem aprimorado o seu sistema para torná-lo mais intuitivo e fácil para que todas as pessoas, dessa forma, possam entregar as suas declarações dentro do prazo.

Além disso, o processo é totalmente on-line. Então, é possível preencher sua declaração de IR em qualquer lugar.

Tenha em mente que, no Tesouro Direto, você pode investir de forma tranquila, visto que esse é um investimento que possui baixo risco e costuma ser considerado como mais seguro do que a poupança. Afinal, o risco de falência do Governo Federal é menor do que o dos bancos.

O investimento em Tesouro Direto pode ser utilizado para diferentes finalidades. Antes de investir, você precisa conhecê-las para definir qual dos títulos deve fazer parte da sua carteira.

Então, conheça agora cada um deles e saiba como começar a fazer o seu dinheiro render agora mesmo.

Quais são os tipos de investimento no Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é um programa do Governo Federal que possibilita que pessoas físicas possam comprar e vender títulos públicos, que gerarão recursos que serão utilizados para o custeio da dívida pública.

Assim, eles são emitidos pelo Tesouro Nacional e funcionam como um empréstimo do seu dinheiro para o Estado.

Em troca, caso leve o título até o vencimento, você receberá uma remuneração que é definida no momento da compra.

No Tesouro Nacional, é possível encontrar três diferentes títulos:

  • Prefixado: consiste em um título com taxa de rentabilidade fixa, por exemplo, 5% ao ano. Ele pode ser uma boa alternativa para momentos de taxa Selic baixa. Além disso, ao investir em um prefixado, você já sabe exatamente quanto o seu dinheiro renderá até o vencimento;
  • Atrelado à inflação: trata-se de um título com taxa de rendimento híbrida, ou seja, composta por uma parte fixa mais a variação da inflação no período. Um exemplo seria um título que oferece remuneração de 3%+ IPCA. Portanto, esse título costuma oferecer ganho real e proteção do poder de compra ao longo do tempo. O Tesouro IPCA+ costuma ser recomendado para objetivos de longo prazo, como é o caso da aposentadoria;
  • Indexado à taxa Selic: esse é um título com rentabilidade de 100% da taxa Selic. Ele pode ser a escolha ideal quando há expectativa de aumento na taxa básica. Além disso, o Tesouro Selic possui baixa volatilidade. Portanto, costuma ser indicado para objetivos em qualquer prazo, como, por exemplo, reserva de emergência. Isso porque o resgate antecipado não gera perdas significativas.

Como investir

O investimento no Tesouro Direto só pode ser realizado por meio de instituições financeiras, como o modalmais.

Vale lembrar que o aporte mínimo em títulos públicos está em torno de R$ 30.

O primeiro passo para fazer o seu dinheiro render é abrir a sua conta no modalmais. O cadastro é simples e rápido.

Feito isso, transfira o valor a ser investido em Tesouro Direto e entre na sua plataforma de investimentos.

Agora, é só escolher o título perfeito para os seus objetivos como investidor. A partir de hoje, o seu dinheiro já começará a render de verdade.

 

Conclusão

Aprender a declarar Tesouro Direto no IRPF 2020 pode evitar dores de cabeça com o Leão.

De acordo com a Receita Federal, em 2020, 910.996 contribuintes caíram na malha fina. Em 21% dos casos, o motivo foi a divergência entre os valores declarados e o que foi recolhido na DIRF (Declaração de Imposto Retido na Fonte).

Muitas delas podem ser erros na hora de preencher a declaração. Como vimos, de acordo com o caso, o procedimento para declarar suas aplicações e rendimentos no Tesouro Direto muda totalmente.

Então, para evitar que você caia na malha fina uma dica é reservar um tempo no seu dia para prestar contas ao Leão. Portanto, fique atento aos prazos e a eventuais alterações que possam ocorrer.

Além disso, é necessário fazer o download do programa do IRPF 2020 no site da Receita Federal.

Caso você ainda não tenha começado a fazer o seu dinheiro render, não perca mais tempo. Para isso, é só abrir a sua conta no modalmais.

Aqui, você encontrará uma enorme variedade de investimentos, além do Tesouro Direto, e terá acesso a materiais que ajudarão você a fazer a sua declaração de Imposto de Renda de forma simples e clara.

Obrigado por ler até aqui!

 

Nova call to action