A Bovespa, em recuperação na sessão de hoje, afastou um pouco o risco de maiores precipitações, que poderia ser determinada pelo vazamento do patamar de 98000 pontos do Ibovespa. Logo cedo, os investidores estavam mais otimistas com a retomada anunciada de teste da vacina contra covid-19 pela Astrazeneca e outras farmacêuticas, além de expectativa melhor para retomada das economias, mesmo com alguns países e regiões apresentando aumento de casos de contaminação pelo vírus.

O relatório da OEP, sobre demanda e oferta de óleo no mundo, mostrou redução da demanda global em 9,5 milhões de barris dia, mas também trouxe redução de oferta de países fora do grupo. A Opep também reduziu na margem o crescimento estimado para o PIB global para -4,1%, de anterior em -4,0%. Nos EUA, o secretário do Tesouro, Mnuchin, disse que o governo estava disposto a retomar negociações sobre o pacote fiscal, e as ações de tecnologia, muito afetadas nas duas últimas semanas, começaram a recuperar parte das perdas.

Já a União Europeia manteve encontro com representantes da China e ressaltou a importância de avançar na reciprocidade dos acordos comerciais. O Reino Unido, por sua vez, deseja relacionamento ótimo e acordo de livre-comércio com a União, mas também quer que respeitem a soberania do grupo e não interfiram nas relações com a Irlanda do Norte.

No mercado internacional, o petróleo WTI, negociado em NY, conseguiu recuperar perdas do início do dia e operava ainda em queda de 0,43%, depois de ter transitado pelo campo positivo. O óleo tinha queda de 0,08%, com o barril cotado a US$ 37,30. O euro era transacionado em alta para US$ 1,186 e notes americanos com taxa de juros de 0,67%. O ouro e a prata, apresentaram altas na Comex, enquanto as commodities agrícolas tiveram leve viés de alta na bolsa de Chicago. O minério de ferro é que teve dia de boa alta na China, encerrando com +1,4% e a tonelada cotada em US$ 130,17.

No segmento doméstico, a nova pesquisa Focus semanal do Bacen veio mostrando alta da inflação para o ano em curso, com o IPCA subindo para 1,94, de anterior em 1,78% e 2021 em 23,01%. Na visão das instituições, a Selic fica estável em 2,0% em 2020, e o PIB projetado melhorou para -5,11%, de anterior em -5,31%. Em compensação, a produção industrial encolheu mais, para queda de 6,90% (de -6,38%). O déficit primário, em relação ao PIB, subiu para 12,0% (de 11,7%); dólar estável em R$ 5,25 e saldo comercial subindo um pouco para US$ 55,15 bilhões.

O ministro Paulo Guedes, em encontro com prefeitos sobre fundo de compensação, disse que entraria em rota de implosão fiscal, mas também acrescentou que é possível acoplar o IVA (imposto de valor agregado) federal com o estadual. Já o IPEA identificou que a inflação da classe mais pobre foi de 0,38% em agosto, enquanto que a da classe dos mais ricos registrou deflação de 0,1%. O saldo da balança comercial acumulado até a segunda semana de setembro estava em US$ 3,4 bilhões e, no ano, acumula US$ 39,6 bilhões.

No mercado, dia de dólar em queda de 1,18% para R$ 5,277. Na Bovespa, na sessão de 10/09, os investidores estrangeiros retiraram recursos no montante de R$ 725,3 milhões, deixando setembro negativo em R$ 1,06 bilhão e o ano de 2020 com saídas líquidas de R$ 86,4 bilhões.

No mercado acionário, a bolsa de Londres terminou em queda de 0,10%, Paris com +0,35% e Frankfurt com -0,07%. Madri fechou com alta de 0,11% e Milão em queda de 0,14%. No mercado americano, o Dow Jones com +1,18% e Nasdaq com +1,87%. Na Bovespa, dia de recuperação de 1,94% e índice em 100274 pontos.

Na agenda de amanhã, dados de conjuntura da China durante a noite, índice Zew de expectativas econômicas da Alemanha e zona do euro do mês de setembro. Nos EUA, o índice de atividade de NY de setembro e produção industrial de agosto.

Boa noite.

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais