Na semana passada a Bovespa terminou acumulando perda de 3.785, com índice em 120.348 pontos, enquanto o Dow Jones e Nasdaq observaram quedas menores. Aqui, as ações líderes foram fortemente pressionadas. O dólar por aqui terminou a semana com queda de 2,14% e cotado a R$ 5,30, ao mesmo tempo em que o petróleo WTI negociado em NY mostrou queda de 2,71%.

Hoje, mercados da Ásia encerraram o dia com comportamento misto, Xangai em alta de 0,84% e Tóquio com queda de 0,97%, Europa operando em queda, mas já afastada das mínimas e futuros do mercado americano com leve queda, em dia de feriado de Martin Luther King. Aqui seria importante não perdermos o patamar de 119.000 pontos do Ibovespa, em dia complicado de liquidez pelo feriado e vencimento de opções para o prazo janeiro.

Investidores seguem tensos por agenda extensa da semana que inclui reuniões dos bancos centrais do Japão (BOJ) e Europeu (BCE), com possibilidade de mudanças na condução da política monetária. Também teremos a posse de Joe Biden e Kamala Harris com forte aparato de segurança e, claro, a tensão sobre contaminação pelo covid-19 e vacinação.

No Brasil, a coronavac e a vacina Oxford/Astrazeneca foram aprovadas pela Anvisa ontem para vacinação emergencial e, hoje pela manhã, o ministro Pazuello faz entrega simbólica aos governadores do lote de 6,0 milhões aprovados para distribuição.

Na China foi anunciado o PIB de 2020 com expansão de 2,3% e o quarto trimestre anualizado em alta de 6,5%, maior que o previsto de 6,0%. A produção industrial cresceu em dezembro 7,3% e em 2020 com +2,8%. Já as vendas no varejo encolheram em 2020 -3,9% e cresceram 4,6% em dezembro. A taxa de desemprego em 5,2% e investimentos em ativos fixos com alta em 2020 de 2,9%, mas em 2019 tinha crescido 5,4%.

O BOJ pode flexibilizar a política monetária e ampliar a faixa de variação dos juros JGBs, enquanto o BCE pode ajustar também sua política. Além disso, a semana incorpora anúncio de resultados da safra de balanços do quarto trimestre, com algumas das big techs.

No mercado internacional, o petróleo WTI negociado em NY mostrava queda de 0,02%, com o barril cotado a US$ 52,35. O euro era transacionado em queda para US$ 1,207, o ouro e a ´rata com altas e commodities sem abertura na Bolsa de Chicago. O minério de ferro negociado na China em alta de 0,22% e cotado a US$ 174,07.

Aqui tudo vai girar ao redor da vacinação e eleições para presidência da Câmara e Senado com ruídos e as pressões sobre Bolsonaro. A nova pesquisa semanal Focus veio com poucas alterações e a FGV anunciou que o IPC-S da segunda quadrissemana desacelerou para 0,52%, vindo de 0,70%. Em 12 meses a inflação está em 5,10%.

O dia é complicado e a Bovespa pode tentar alguma recuperação, mas vai precisar de ajuda externa e melhor comportamento do vencimento de opções. O dólar pode até ceder por vacinas, mas a tendência curta é de alta e juros podem ficar mais fracos também.

Bom dia e bons negócios.

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais