Hoje tivemos alguns indicadores importantes encerrando uma semana de agenda cheia de eventos, decisões de bancos centrais relevantes (Bacen e BC inglês), safra de resultados do primeiro trimestre mexendo pontualmente com ações e culminando com a divulgação do payroll americano de abril, com a criação de vagas no conjunto da economia (setores público e privado).

A criação de vagas de 266 mil posições em abril, veio muito aquém do esperado de 1 milhão e a taxa de desemprego subiu para 6,1%, quando eram previstos 5,8%. O salário médio por hora trabalha cresceu 0,70% e na comparação anual +0,33%. Esse número pior de vagas criadas acabou por deflagrar o renovado apetite ao risco pelos investidores no mundo, trazendo nova valorização das bolsas e recordes de pontuação.

A leitura dos investidores soou como alívio nas tensões da semana, quando tivemos declarações sobre iniciar discussões de reduzir estímulos fiscais, monetários e elevações de taxas de juros básicas. Hoje, as declarações de formadores de opinião dos EUA foram todas no sentido de estarem na direção correta, mas ainda tendo que fazer muito, em longo caminho a ser trilhado. Assim se expressaram o presidente Biden, a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, a secretária do Tesouro, Janet Yellen, e ex-presidente do FED, entre de outros. Janet Yellen foi mais contundente ao dizer que esperam atingir o pleno emprego ainda em 2022 e dúvida que terão ciclo inflacionário na economia. Isso deu força para os programas sociais e de infraestrutura, que Biden quer ver aprovados.

Num outro enfoque, proliferam países que apoiam a postura americana de quebra de patentes da vacina contra o covid-19, também apoiada pela OMS, que diz que daria suporte para maior equidade, além do anúncio de que os EUA vão liberar 60 milhões de doses para outros países. Nos EUA, as hospitalizações e óbitos seguiram em queda por mais uma semana e 57% dos adultos já tomaram pelo menos a primeira dose.

Isso mexeu com os mercados em todo o mundo, incluindo commodities como o cobre que encerrou em patamar histórico e o minério de ferro com nova alta (ainda maior que a de ontem) de 5,21% em Qingdao, na China, com tonelada cotada em US$ 212,25. No mercado internacional, o petróleo WTI, negociado em NY, que tinha aberto em queda, voltou para o positivo e subia 0,15%, com o barril cotado a US$ 64,81. O euro era transacionado em boa alta para US$ 1,216 e notes americanos de 10 anos com queda dos juros para 1,568%. O ouro e a prata em altas na Comex e commodities agrícolas com comportamento misto na Bolsa de Chicago.

No segmento doméstico, o IBGE anunciou as vendas no varejo do mês de março com queda de 0,6% e contra igual período com alta de 2,4%, lembrando que por essa época do ano de 2020 passávamos por fase crítica. No ano ainda temos queda de 0,6% e em 12 meses com alta de 0,7%. O varejo ampliado que embute automotivo e construção encolheu em março, 5,3%, e em 12 meses mostra contração de 1,1%. O setor automotivo no comparativo de março cresceu 40,6%. Tivemos também a divulgação do IGP-Di de abril com a inflação em alta de 2,22%, contra o mês anterior de +2,17%. No ano a inflação por este indicador está em 1038% e em 12 meses em 33,46%.

No plano político, a sensação de muitos é que a decisão de fatiar a reforma tributária é como uma “pá de cal” para a chance de avançar. Já Bolsonaro trouxe nova polêmica ao defender o tratamento precoce com aquele protocolo (até aí nenhuma novidade), mas disse à CPI da covid-19 para “não encher o saco”. Em evento em Roraima disse também que “se Deus quiser, teremos força para continuar dirigindo a nação em 2022 e que o exército estava aí para proteger os cidadãos, repetindo que poderia decretar o pleonasmo de acabar com o isolamento.

No mercado, mais um dia de queda para o dólar, chegando até o patamar de R$ 5,20, e no fechamento mostrando queda de 0,93% e cotado a R$ 5,23. Na B3, os investidores estrangeiros voltaram a alocar recursos na sessão de 05/05 no montante de R$ 710,28 milhões, deixando o saldo do mês de maio positivo em R$ 633,4 milhões e o ano de 2021 com ingressos líquidos de R$ 19,7 bilhões.

No mercado acionário, dia de alta da Bolsa de Londres de 0,76%, Paris com +0,45% e Frankfurt com +1,34%. Madri e Milão com altas de respectivamente 0,86% e 0,48%. No mercado americano, o Dow Jones com +0,66% e o Nasdaq com +0,88%. Na B3 o dia foi de +1,77% e índice em 122.038 pontos, com destaque para alta das ações da própria B3 com a divulgação de sólidos resultados no primeiro trimestre.

RESUMO DA SEMANA
BOVESPA: +2,64%
DOW JONES: +2,66%
NASDAQ: -1,50%
DÓLAR: -3,68%
PETRÓLEO WTI: +2,10%

Bom final de semana, cuidem-se e nos encontramos na próxima segunda-feira.

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais