Ontem a Bovespa engatou o terceiro pregão seguido de alta e conseguiu vazar a faixa de 120 mil pontos do índice, como vínhamos anunciando com antecedência. Fechou com valorização de 0,84% e índice em 120.294 pontos, enquanto o dólar terminou o dia em queda de 0,82% e cotado a R$ 5,67. Os mercados dos EUA fecharam com comportamento misto, mas o noticiário positivo ajudou bastante na performance da Bovespa, aliado ao afrouxamento dos juros dos treasuries.

Hoje, mercados da Ásia terminaram o dia com comportamento misto. Europa está começando o novo dia com altas e o mesmo acontece com os futuros do mercado americano. Aqui, se conseguirmos passar com consistência a faixa de 120 mil pontos, abrimos objetivo para o recorde de pontuação obtido lá em 08/01, quando atingimos 125.323 pontos.

Investidores locais estão exaustos do imbróglio do orçamento de 2021 e preocupados com o quadro fiscal extremamente complicado. Sendo assim, passaram a focar no fluxo externo retornando para a Bovespa, na recuperação econômica global e na vacinação crescente, aqui e no mundo contra a covid-19. Além disso, o órgão americano que fiscaliza vacinas adiou decisão sobre denúncia de coágulo em vacinas da J&J por falta de dados.

Na Coreia do Sul, o banco central manteve a taxa de juros estabilizada em 0,5%, o mesmo acontecendo com a Turquia em 19%, com a lira turca em queda pela interrupção do aperto monetário. Na Alemanha, a inflação de março pelo CPI (consumidor) ficou em 0,5% e na comparação anual com alta de 1,7%. Os EUA vão anunciar sanções contra a Rússia por conta da Ucrânia e devem expulsar diplomatas.

O presidente Biden e a Austrália anunciaram que vão começar a retirar tropas do Afeganistão. Já a safra de balanços do primeiro trimestre, divulgada hoje, mostrou bons resultados e isso afetou positivamente o pré-mercado americano. Saíram resultados de BofA, Citi, Pepsico, BlackRock; todos mostrando altas das ações.

No mercado internacional, o petróleo WTI, negociado em NY, mostrava queda de 0,49%, com o barril cotado a US$ 62,84, realizando lucros depois da forte alta de ontem. O euro era transacionado em queda para US$ 1,197 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros em queda para 1,615%. O ouro e a prata com altas na Comex e commodities agrícolas com valorizações na Bolsa de Chicago.

Aqui, Bolsonaro aparenta estar numa encruzilhada. Se sancionar o orçamento de 2021 como aprovado, não só agrava mais ainda o quadro fiscal, como poder perder parte da equipe econômica. Se vetar trechos, pode perder o apoio do Congresso e complicar a gestão. Ontem, o parecer da Câmara identificou maquiagem de R$ 21,3 bilhões no orçamento, mas admite a sanção integral.

A FGV anunciou o IGP-10 do mês de abril com a inflação desacelerando para 1,58%, vindo de +2,99%. No ano, a inflação está em 9,16% e em 12 meses atinge 31,74%. O IPA agrícola teve alta no período de 1,30% e o IPA industrial com +1,99%.

O dia ainda guarda indicadores importantes que serão anunciados, como o volume de serviços prestados, que pode ter crescido 1,30% na mediana das previsões. Além dos indicadores de atividade industrial de NY, da Filadélfia e das vendas no varejo de março.

Expectativa para o começo do dia com Bovespa em alta (atenção para eventuais realizações de lucro recente), dólar em alta e juros em queda.

Bom dia e bons negócios!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais