Como país emergente desorganizado e com liquidez em seu mercado de capitais, o Brasil acaba sofrendo mais quando existe precipitação de saída, mudanças táticas dos gestores e rotatividade nos ativos. Isso explica parte do fato de estarmos com performance pior que outros mercados de risco e câmbio pressionado. A outra parte fica mesmo por conta das incoerências de gestão e complicações políticas.

Seguimos fazendo “piquenique na beira do vulcão”. Hoje mesmo, a OMS (Organização Mundial da Saúde) declarou que a pandemia no Brasil é claramente crítica, e que os vacinados devem continuar a seguir protocolo de não aglomeração e uso de máscaras. Enquanto isso, a economia vai demonstrando sinais novos de desaceleração, como estava sendo previsto.

No exterior, os pedidos de auxílio-desemprego nos EUA na semana anterior cresceram 61 mil posições para 719 mil, quando o previsto era que ficasse em 675 mil. Já o PMI industrial de março subiu para 59,1 pontos e o ISM industrial de Chicago também em alta para 64,7 pontos, de previsão de 61,7 pontos. Já o importante indicador de investimentos em construção caiu 0,8%, mas a previsão era de -1%.

O presidente Biden e a vice Kamala já estão conversando com parlamentares sobre o pacote de infraestrutura lançado ontem e se mostram abertos a ouvir sobre aumento da carga tributária. Mary Daly, do FED de S. Francisco, disse que o pacote de infra não afetará a inflação e Janet Yellen, do Tesouro, disse que o plano tornará a economia americana mais competitiva e vai revitalizar o sistema tributário.

Outro evento importante foi a decisão muito aguardada da OPEP+ sobre cortes na produção de petróleo. A Rússia projeta melhora da demanda ao longo do ano e a decisão adotada foi de ampliar a produção gradualmente, começando em maio com mais 350mil barris/dia. Até lá, vão sentir o encaminhamento da demanda e ajustar. A Arábia Saudita vai manter seu corte de 1 milhão de barris dia, mas também irá avaliando. A postura da OPEP+ foi interpretada como prudente e o petróleo passou a subir forte no mercado internacional. O minério de ferro negociado em Qingdao na China registrou alta durante a madrugada de 1,48%.

O petróleo WTI negociado em NY mostrava alta de 3,53%, com o barril cotado a US$ 61,25. O euro era transacionado em alta para US$ 1,177 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 1,68. O ouro e a prata com altas na Comex e commodities agrícolas em quedas na Bolsa de Chicago. O minério de ferro negociado em Qingdao na China registrou alta durante a madrugada de 1,48%, com a tonelada negociada em US$ 167,60.

No segmento local, o banco dos BRICS aprovou empréstimo de US$ 153 milhões para obras em rodovia no Pará. O IBGE mostrou contração da produção industrial no mês de fevereiro de 0,7%, maior do que o previsto, e interrompendo sequência de nove meses de alta. No ano, a produção cresce 1,3% e em 12 meses, tem queda de 4,2%. Destacamos a queda de bens de capital no mês de 1,5% e veículos com -7,2%. A produção industrial está 13,8% abaixo do pico ocorrido em maio de 2011 e bens de capital 22,7% menor que o pico de setembro de 2013.

Quanto ao orçamento de 2021, o relator aceita rever cerca de R$ 10 bilhões em emendas parlamentares (insuficiente) e o governo parece querer vetar situações que chegam a R$ 37 bilhões. Vamos ver o que acontecerá nos próximos 15 dias. Já a ANP indicou que a produção de óleo e gás em fevereiro foi de 3,64 milhões de barris equivalentes/dia, sendo que no pré-sal foram 2,6 milhões de BOE/dia. O saldo da balança comercial de março foi superávit de US$ 1,48 bi, acumulando no ano de 2021 US$ 1,65 bilhão.

No mercado, dia de dólar novamente oscilando bastante para encerrar com +1,54% e cotado a R$ 5,71. Na Bovespa, na sessão de 30/3, os investidores estrangeiros voltaram a alocar recursos no montante de R$ 1,34 bilhão, deixando o saldo líquido do mês ainda negativo em R$ 3,34 bilhões, mas com ingressos líquidos no ano de R$ 13,43 bilhões.

No mercado acionário, dia de alta da Bolsa de Londres de 0,35%, Paris com +0,59% e Frankfurt com +0,66%. Madri praticamente estável com -0,03% e Milão em alta de 0,25%. No mercado americano, dia de Dow Jones com +0,52% e Nasdaq com +1,76%. Na Bovespa -1,18% e índice em 115.253 pontos.

Amanhã, feriado no Brasil e em muitos outros países com mercados fechados, mas com divulgação do Payroll nos EUA,  com a criação de vagas no conjunto da economia, setores público e privado.

Bom feriado e protejam-se! Voltamos na segunda-feira.

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais