Desde o início da manhã já vínhamos alertando sobre o mau dia para os mercados de risco em todo o mundo. Em nossa tradicional live (às 8h30) voltamos a falar disso, indicando que os investidores estavam buscando proteção para seus investimentos e fugindo de ativos de maior risco. Aqui, além de todo o estresse internacional, ainda tivemos que conviver com as idiossincrasias locais.

Investidores, em todo o mundo, acordaram sob tensão dos relatos de aumento da contaminação pelo covid-19 no mundo, com destaque desde sexta-feira pelos EUA estimando que haveria aumento de contágio nas próximas semanas. Hoje, a OMS (Organização Mundial da Saúde) declarou que na última semana houve aumento de 11,5% nos casos de contaminação, com as Américas com 25% do total e 40% dos óbitos. Além disso, a OMS divulgou que a cepa delta já está presente em pelo menos 111 países.

Investidores e gestores também passaram a ajustar posições para o acordo firmado na OPEP+ entre a Arábia Saudita e Emirados Árabes com aumento de produção de 400 mil barris/dia já a partir de agosto, mas ainda bem aquém do nível de corte anterior. Mas isso ocasionou forte queda do óleo no mercado internacional na sessão de hoje, com queda generalizada pelas commodities. Lembramos também que a China cortou cota de exportação de óleo do Brasil. Como se não bastasse, na sexta-feira foi vencimento de opções no mercado local e como tal, em dias seguintes também ocorre ajustes de posições.

Logo cedo o BOJ (BC japonês) disse identificar contínua recuperação da economia, mas com vírus voltando a assustar. Registraram também o terceiro caso de covid-19 entre atletas que vão participar dos jogos olímpicos. Destoando um pouco do clima reinante a nova dirigente do BOE (BC inglês) fez alerta sobre a retirada precipitada de estímulos da economia britânica, e o primeiro-ministro, Boris Johnson, segue com a abertura da economia, mas não garante a continuidade e determinou que em eventos com aglomeração a vacinação será obrigatória.

O presidente Joe Biden repetiu que a vacinação da população e fundamental, mas reforçou que a alta dos preços é temporária e o FED está atento. A Casa Branca também manteve aberta a possibilidade de novas ações contra a China por atividades de harckers e que o Congresso americano deveria aprovar o pacote de infraestrutura para ampliar a competitividade e baratear custos.

No mercado internacional, o petróleo WTI, negociado em NY, mostrava queda superior a 7% e pouco antes do encerramento estava em queda de 7,28%, como barril cotado a US$ 66,35. O euro era transacionado em leve queda para US$ 1,18 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 1,183%, por busca por proteção. O ouro e a prata com quedas na Comex e commodities agrícolas com perdas na Bolsa de Chicago. O minério de ferro também cedeu 0,18% nas negociações em Qingdao, na China, com a tonelada fechando em US$ 221,04.

No segmento local, a nova pesquisa semanal Focus, do Bacen, mostrou a inflação novamente em alta para 6,31%, de anterior em 6,11%, a taxa Selic em alta para 6,75% (de 6,63%) e dólar estável em R$ 5,05. O PIB projetado para 2021 em 5,27% e 2020 com +2,10%. A produção industrial com expansão para 6,36%, de anterior em 6,29%. Também estimou o déficit em conta-corrente zerado para o ano em curso e superávit da balança comercial em US$ 70,0 bilhões, vindo de US$ 68,70 bilhões. O superávit da balança comercial até a terceira semana de julho estava em US$ 5,06 bilhões e no acumulado do ano com US$ 41,79 bilhões.

Bolsonaro voltou a falar grosso para apoiadores dizendo que o presidente em exercício da Câmara (Marcelo Ramos) era tão insignificante que esquecera o nome. Atacou também dizendo que quem tirou Lula da prisão e o tornou elegível é que vai contar votos de forma secreta. Arrematou que eleição sem voto auditável é fraude e citou que a compra da Coronavac, da China, feita por estelionatários, que não vingou.

No mercado, dia de dólar em forte alta de 2,64% e cotado a R$ 5,25. No segmento Bovespa, da B3, na sessão de 15/07, os investidores estrangeiros novamente sacaram recursos no montante de R$ 951 milhões, deixando o saldo do mês negativo em R$ 3,46 bilhões, mas com o ano de 2021 com ingressos de R$ 44,63 bilhões, já tendo beirado R$ 49,0 bilhões. O CDS (credit default swap), uma espécie de seguro contra não pagamento do Brasil, subindo acima de 180 pontos.

No mercado acionário, dia de queda de 2,34% para a Bolsa de Londres, Paris com -2,54% e Frankfurt com -2,62%. Madri e Milão com quedas de respectivamente 2,40% e 3,34%. No mercado americano, dia de Dow Jones com -2,09% e Nasdaq com -1,06%. Na Bovespa, queda de 1,24% e índice em 124.394 pontos. Na mínima do dia chegou a 123.317 pontos.

Na agenda fraca de amanhã teremos a segunda prévia do IGP-M de julho e nos EUA, a construção de novas residências e permissões de junho.

Boa noite!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais

 

Fonte: https://www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado