Essa frase foi uma das aberturas do discurso de posse de Joe Biden hoje. Biden também disse que “neste dia de janeiro minha alma inteira está dedicada a unir nossa nação”. Biden gastou boa parte de seu tempo pregando a união de seu povo, e com isso deixou porta aberta para os republicanos, que terão que descalçar a bota de Donald Trump que voou para a Flórida, antes da posse. Trump, segundo relato, cumpriu uma única formalidade histórica deixando um bilhete para Biden.

Vários presidentes e primeiros-ministros cumprimentaram Biden pela posse e Boris Johnson, do Reino Unido, parabenizou e se disse ansioso para trabalhar com ele. Aqui, no final da tarde, Bolsonaro cumprimentou pela posse e ressaltou as relações longas com os EUA. Disse ter encaminhado correspondência para Biden. O presidente do Conselho Europeu defendeu o acordo com o Mercosul, mas alertou para o risco ambiental. Aliás, Biden também citou a preservação do meio ambiente.

Os investidores no mundo também reagiram positivamente ao discurso de Biden, e o melhor exemplo foi o batimento de recorde de pontuação pelo Nasdaq e S&P. Aqui, em função dos problemas com vacinas e a questão fiscal (além do lado político complicado), a Bovespa chegou a perder o patamar de 119 mil pontos do índice, atingindo na mínima 118.739 pontos.

O presidente do BOE (BC inglês) disse esperar robusta recuperação da economia após vacinação massiva e disse que os membros não chegaram a decisão sobre juros negativos. Nos EUA, o indicador NAHB de confiança do construtor caiu para 83 pontos, vindo de 86 pontos. O banco central do Canadá manteve a taxa de juros estabilizada no patamar mínimo de 0,25% e, com isso, a moeda registrou valorização em relação ao dólar americano. A China anunciou sanção contra 28 pessoas dos EUA, incluindo ex-secretários.

Depois das comemorações da posse, os investidores aguardam agora o anúncio de medidas, principalmente mais estímulos fiscais. No mercado internacional, o petróleo WTI negociado em NY mostrava alta de 0,49%, com o barril cotado a US$ 53,24. O euro era transacionado em leve queda para US$ 1,21 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 1,09%. O ouro e a prata com boas altas na Comex e commodities agrícolas majoritariamente em quedas na Bolsa de Chicago.

Aqui, como já está se tornando rotina, Bolsonaro corrigiu sua declaração de ontem sobre as forças armadas que “determinam se o povo vai viver numa democracia ou ditadura”, dizendo que “os militares seguem o norte indicado pela população”. Porém, o Brasil segue relegado no que tange às vacinas. A Rússia pediu autorização para uso emergencial da vacina Sputnik V para a Europa. Também culpou a embaixada da China pelos desentendimentos, sem admitir qualquer culpa pelos ataques de sua família e ministros. Rodrigo Maia esteve com o embaixador da China e declarou que o encontro foi ótimo e sem obstáculos políticos para exportação de insumos para o Brasil. O embaixador prometeu trabalhar para acelerar a exportação de insumos.

Na mesma postura da Moody’s na semana passada, a Fitch, uma das três principais agências de classificação de risco do mundo, disse que o teto de gastos é âncora fiscal importante para o Brasil e ressaltou reformas como importantes para restabelecer confiança e sustentabilidade. O Bacen informou que o fluxo cambial até 15/1 estava positivo em US$ 2,91 bilhões, com o canal financeiro responsável por +US$ 3,24 bilhões. A posição cambial líquida até 15/1 estava em US$ 287,65 bilhões.

No mercado, dia de dólar mostrando novamente fraqueza (com curto período de alta) e terminando o dia com queda de 0,63% e cotado a R$ 5,312. Na Bovespa, na sessão de 18/1, os investidores estrangeiros voltaram a aportar recursos no montante de R$ 2,26 bilhões, deixando o saldo positivo de janeiro em R$ 21,11 bilhões, após ter encerrado 2020 com saídas líquidas de R$ 32 bilhões.

No mercado acionário, dia de alta da Bolsa de Londres de 0,41%, Paris com +0,53% e Frankfurt com +0,77%. Madri e Milão com altas de respectivamente 0,06% e 0,93%. No mercado americano, dia de Dow Jones em +0,83% e Nasdaq com +1,97%. Na Bovespa, dia de queda de 0,82% e índice em 119.646 pontos.

Na agenda de amanhã teremos o monitor do PIB pela FGV em novembro, e a CNI a sondagem da indústria de dezembro. Teremos que repercutir também a decisão do Copom de hoje, aparentemente mantendo a Selic em 2%, mas podem retirar o forward guidance. O BCE (BC europeu) também decide sobre política monetária e nos EUA teremos novas construções e permissões de dezembro, os pedidos de auxílio-desemprego da semana anterior e o índice de atividade de Filadélfia de janeiro.

Boa noite.

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais