Em dia de vencimento de derivativos e acompanhando o momento positivo do mercado internacional, a Bovespa rondou os 121 mil pontos, e a confirmação disso vai remeter para objetivo na casa dos 125 mil pontos, recorde histórico alcançado em 08 de janeiro deste ano. O mercado americano ajudou nessa empreitada com altas até a divulgação do Livro Bege, uma síntese dos indicadores da economia.

Cabe destacar que isso aconteceu em meio ao imbróglio com o orçamento e notícias de perda de prestígio do ministro Paulo Guedes junto ao Congresso e pares de ministérios. A tal PEC badalada durante o dia de ontem parece ter tido vida curta, e o parecer da equipe econômica recomenda que Bolsonaro vete itens do orçamento.

Nos EUA vários dirigentes do FED discursaram ao longo dia, incluindo o presidente Jerome Powell. Powell falou sobre o rápido crescimento e melhora do emprego que o nível da dívida americana é sustentável e que a maioria dos dirigentes não espera alta de juros antes de 2024. Alta de juros em 2022 é altamente improvável, e quer inflação moderada acima de 2%. O dirigente do FED de Dallas, Robert Kaplan, quer criar atmosfera competitiva com a China em campo de disputa justo. Diz que quando a recuperação estiver clara, defenderá a retirada de medidas extraordinárias. John Williams, de NY, disse que, com a vacinação, estarão de volta ao normal em um ou dois anos.

A presidente do BCE, Christine Lagarde, falou que os investimentos americanos podem puxar o PIB da Europa em 0,3%, concentrado em 2022. Mas Lagarde também espera aumento de falências na região do euro. Repete que existem muitas incertezas ainda rondando. O dia também foi marcado pela divulgação de resultados do primeiro trimestre começando por instituições financeiras como JP Morgan, Goldman Sachs e Wells Fargo, afetando as cotações e humor dos investidores. Os dados do Livro Bege vieram mostrando a expansão da economia, do emprego dos gastos das famílias e aumentos de salários; dentre outros indicadores também positivos.

No mercado internacional, o petróleo teve dia de alta forte, vazando valorização de mais de 5%, por conta da redução de estoques na semana anterior em 5,89 milhões de barris, quando o esperado era queda de 2,5 milhões. Com isso o óleo WTI negociado em NY mostrava alta de 4,94%, com o barril cotado a US$ 63,15. O euro era transacionado em alta para US$ 1,198 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros em 1,64%. O ouro tinha queda e a prata em alta na Comex e commodities agrícolas com bom desempenho de alta na bolsa de Chicago. Daí deriva a boa performance de Petrobras e do setor de commodities por aqui. O minério de ferro negociado em Qingdao na China registrou alta de 0,17%, com a tonelada em US$ 173,54.

No segmento local, Bolsonaro reagiu as pressões recentes, como sempre antecipando algo não definido ao dizer que “não quer brigar com ninguém, mas estamos na iminência de ter problema sério”. Completou que apurar omissões do presidente é fazer palanque e perguntou: “por que investigar omissões minhas e não quem pegou o dinheiro na ponta”; referindo-se a governadores e prefeitos. Porém, cálculos indicam que com pandemia e imbróglio do orçamento, os gastos podem crescer mais de R$ 100 bilhões.

Em coletiva de Rodrigo Pacheco e Queiroga foi anunciado que no trimestre devem chegar 15,1 milhões de doses de vacinas da Pfizer. Já a OPAS (Pan-americana de Saúde) identificou que na última semana 1,3 milhão de pessoas contraíram covid-19 com epicentro na América do Sul. A semana também computou 36 mil mortes pelo vírus. Enquanto isso nos EUA a média móvel de vacinação está em 3,3 milhões dia e 122 milhões já tomaram pelo menos a primeira dose e 75 milhões já imunizados.

Já o Bacen mostrou que o fluxo cambial até 9/04 ficou negativo em US$ 11 milhões, com saídas pelo canal financeiro de US$ 743 milhões e pelo comercial positivo em US$ 731 milhões. No ano, o fluxo está positivo em US$ 8,71 bilhões e a posição cambial líquida está em US$ 271,8 bilhões. No mercado o dólar registrou queda de 0,82% e fechou cotado a R$ 5,67. Na Bovespa, na sessão de 12/04, os investidores estrangeiros alocaram recursos no montante de R$ 658,3 milhões, deixando o saldo positivo de abril em R$ 1 bilhão e no ano com ingressos líquidos de R$ 13,16 bilhões.

No mercado acionário, dia de alta de 0,71% na bolsa de Londres, Paris com +0,40% e Frankfurt com -0,17%. Madri com alta de 0,68% e Milão em queda de 0,10%. No mercado americano o Dow Jones fechou com +0,16% e Nasdaq com -0,99%. Na Bovespa, dia de alta de 0,84% e índice fechando em 120.294 pontos.

Na agenda extensa de amanhã teremos a inflação pelo IGP-10 de abril e volume de serviços prestados em fevereiro. Nos EUA, os pedidos de auxílio desemprego da semana anterior, as vendas no varejo de março, indicadores de atividade de NY e Filadélfia e muitos discursos de dirigentes do FED. Durante a noite a bateria de dados da China do mês de março influenciando aberturas da sexta-feira e o PIB do primeiro trimestre.

Boa noite.

Alvaro Bandeira

Economista-Chefe do banco digital modalmais