Dados divulgados durante a madrugada na China e tensão política interna deve dominar o comportamento dos mercados de risco na sessão de hoje, juntamente com o Talibã dominando o Afeganistão, e quadro fiscal local.

A semana passada encerrou com a Bovespa em queda de 1,31% e índice em 121.193 pontos e dólar praticamente estável em R$ 5,24. O final de semana foi bastante tenso com notícias políticas internas, declarações diversas e no exterior, a tomada de Cabul pelo Talibã e fuga do presidente, forçando reunião do Conselho de Segurança da ONU marcada para hoje. Além disso, dados da China em desaceleração, divulgados na madrugada forçando mercados em queda no mundo.

As Bolsas asiáticas encerraram o dia com quedas (destaque para Tóquio com -1,62%), Europa operando com quedas e acelerando neste início de manhã e futuros do mercado americano na mesma direção. Aqui, não deveríamos perder o patamar de fechamento na última sexta-feira, sob pena de chamar mais vendas e poder buscar zona de resistência em 117.000 pontos. Mas a Bovespa sobe no ano somente 1,83%, estando bem defasada do mercado americano com altas beirando 20% no ano.

Dados da China divulgados durante a madrugada mostraram que a desaceleração prossegue. A produção industrial cresceu 6,4% anual em julho, de previsão de ser 7,8% e no mês +0,30%. As vendas no varejo com alta anual de 8,5%, de previsão de +11,4% e investimento em ativos fixos com expansão nos primeiros sete meses de 10,3%, menor que o previsto. As vendas de imóveis com alta de 33,1, mas desacelerando. A contaminação pelo covid-19 e inundações ocorridas afetaram o comportamento.

No Japão, o PIB do segundo trimestre foi de 0,3% sobre o trimestre anterior, maior que o previsto. Nos EUA, Nancy Pelosi, presidente da Câmara, propôs que dados do orçamento americano de US$ 3,5 trilhões e o pacote de infraestrutura de US$ 1,2 trilhão sejam votados em conjunto, dadas as dificuldades existentes para aprovação.

No mercado internacional, o petróleo WTI, negociado em NY, mostrava queda de 1,43%, com o barril cotado a US$ 67,46. O euro era transacionado em queda para 1,178 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 1,27%. O ouro e a prata com quedas na Comex e commodities agrícolas com altas na Bolsa de Chicago.

Aqui, muitos ruídos políticos dominaram o final de semana, com o presidente dizendo que vai pedir que o Senado processe Alexandre de Moraes e Roberto Barroso, exercito se posicionando que a tropa não está envolvida politicamente e muitas críticas de senadores contra o presidente. Todos, sem exceção, elevando o tom.

A agenda da semana é pesada e com capacidade de afetar os mercados, mas a safra de resultados do segundo trimestre acabou. Hoje teremos a nova pesquisa semanal Focus do Bacen e saldo da balança comercial na semana anterior e IPC-S da segunda quadrissemana de agosto. Nos EUA, o índice de atividade de NY.

Expectativa de Bovespa perdendo patamar de 121.000 pontos, dólar forte e juros em alta.

Bom dia e bons negócios!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais
Fonte: https://www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado