Como dito e repetido, os mercados vão parando nessa preparação de virada do ano, com apenas algumas manutenções e proteções de ativos, mas sem grandes ímpetos já que os resultados estão dados. Hoje foi um dia típico disso, com pequenas oscilações nas principais Bolsas do mundo e sem padrão comportamental.

Os investidores ainda aguardavam o desfecho do principal fato do dia, a aprovação pelo Senado americano da ajuda ao cidadão de US$ 2 mil, ao invés de US$ 600, aprovada ontem na câmara. Porém, no meio da tarde, McConnell vetou a aprovação por unanimidade e o mercado americano foi todo para o negativo. As Bolsas europeias, exceto Londres (voltando do feriado) e Paris, já tinham encerrado o dia no campo negativo. Mas, aparentemente, existem votos suficientes para que a ajuda maior seja aprovada hoje.

A cepa variante da covid-19 mais contagiosa também deu as caras na Índia e na China. Na China, Pequim adotou bloqueio em 10 áreas de Shunyi para conter nova expansão do vírus, e a União Europeia declarou que vai comprar mais vacinas da Pfizer. Não seguiram a recomendação de Bolsonaro de que “quem quer vender vacina é que tem que correr atrás”, querendo subverter a oferta e demanda.

O FED estendeu o programa de empréstimos para pequenas empresas até o próximo dia 6/1, e o Reino Unido e a Turquia anunciaram acordo de comércio pós-Brexit. No mercado internacional, o petróleo WTI negociado em NY mostrava alta de 0,78%, com o barril cotado a US$ 47,99. O euro era transacionado em alta para US$ 1,224 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 0,93%. O ouro em alta e a prata em queda nas transações da Comex e commodities agrícolas em alta na Bolsa de Chicago. O minério de ferro é que teve mais um dia de queda, depois do regulador limitar abertura de posições. Fechou em queda de 0,51% e com a tonelada em US$ 163,02.

No segmento doméstico, o IBGE mostrou dados da PNAD contínua do trimestre encerrado em outubro, com a taxa de desemprego em 14,3%, menos que a prevista, enquanto que em igual período de 2019, estava em 11,6%. A renda média cresceu 5,8% sobre igual trimestre de 2019 e a renda real encolheu 5,3%. A população desocupada estava em 14,1 milhões e a ocupada em 84,3 milhões, caindo no ano, 9,8 milhões.

Segundo o IBGE faltou trabalho para 32,5 milhões de pessoas e a taxa de informalidade estava em 38,8% da população ocupada. Com carteira assinada, somente 29,8 milhões de pessoas. Quatro de dez atividades puxaram a taxa de ocupação e o emprego ainda é de baixa qualidade e a taxa de desemprego pode seguir aumentando nos próximos meses de 2021.

O Tesouro anunciou o déficit do governo central em novembro de R$ 18,2 bilhões, atingindo no ano R$ 699,1 bilhões, afetado pelos gastos com a covid-19. O déficit do INSS ficou em R$ 11,34 bilhões, a receita real cresceu 5,4% e a despesa em alta de 6,4%. O ano de 2020 projeta déficit menor do que o previsto de R$ 831,8 bilhões. Aparentemente estamos voltando ao padrão histórico que já não era bom e isso não autoriza elevar gasto. O ex-ministro Henrique Meirelles declarou que do ponto de vista fiscal estamos de fato numa emergência.

A associação dos shoppings centers computou que as vendas de Natal encolheram 12% em 2020 e a Anvisa concedeu certificado de boas práticas para a vacina da Pfizer. No mercado, o dólar terminou o dia com queda de 1,06% e cotado a R$ 5,183. Na B3, na sessão de 23/12, os investidores estrangeiros voltaram a alocar recursos no montante de R$ 512,3 milhões, deixando o saldo positivo do mês de dezembro em R$ 17,04 bilhões, mas com o ano mostrando saídas líquidas de R$ 34,5 bilhões.

No mercado acionário, dia de alta da Bolsa de Londres de 1,55% na volta do feriado, Paris com +0,42% e Frankfurt com -0,21%. Madri com alta de 0,24% e Milão com -0,13%. No mercado americano, o Dow Jones terminou com -0,22% e Nasdaq com -0,38%. Na Bovespa, dia de alta de 0,24% e índice em 119.409 pontos, após cravar recorde intraday em 119.860 pontos.

Na agenda de amanhã teremos a nota de política fiscal de novembro e o fluxo cambial da semana anterior. Nos EUA, o saldo da balança comercial de novembro, as vendas pendentes de imóveis, o índice de atividade de Chicago (ISM) de dezembro, os estoques de petróleo do departamento de energia. Durante a noite, indicadores de atividade na China.

Boa noite.

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais