Novamente perdemos boa chance de operar na sessão de hoje em sintonia de alta com os principais mercados de risco do mundo. Nitidamente, temos duas grandes preocupações locais (dentre outras) inibindo melhor comportamento dos mercados. De um lado, o risco político fazendo preço nos ativos e espantando investidores e, de outro, o quadro fiscal que em vez de melhorar só faz trazer mais sombras. Precatórios de R$ 90 bilhões, novo refis com redução e parcelamento de dívidas de pessoas físicas e jurídicas comprometem ainda mais, junto a reformas que não sabemos bem quais serão.

Começamos o dia até bem, com as ações de Petrobras garantindo o mercado (e Vale jogando para baixo) e seguindo o exterior, mas aos poucos fomos descolando negativamente pelo peso da percepção fiscal e novas declarações de Bolsonaro contra as urnas eletrônicas e sua rixa pessoal com Luiz Roberto Barroso. Conclusão: tempos difíceis para deglutir tanta notícia ruim, aqui e no exterior.

No exterior, o BOE (BC inglês) manteve a política monetária estabilizada com juros em 0,10% e compra de ativos de 895 bilhões de libras, melhorando projeções de crescimento e alerta para inflação em alta. Estimam PIB do terceiro trimestre com +3,0%. Mas o presidente Bailey declarou que, se a economia evoluir, algum aperto modesto da política monetária pode ser necessário.

Nos EUA, o déficit da balança comercial de junho subiu para US$ 75,7 bilhões, de estimativa de US$ 74,2 bilhões, e os pedidos de auxílio desemprego declinaram 14.000 posições para 385.000, conforme previsto. Dirigente do FED, Waller disse que o mercado de trabalho está recuperando e o órgão de controle da pandemia (CDC declarou que 83% dos condados tiveram transmissão do vírus alta ou substancial). O FED de NY é que segue fazendo operações diárias em repo reversas perto de US$ 1 trilhão. Hoje, foram US$ 944,3 bilhões. O líder da oposição, McConnell, disse que os republicanos não vão apoiar a elevação do teto da dívida americana.

Pressão também na Turquia, com o presidente Erdogan questionando a política monetária do banco central e desvalorizando com isso a moeda local. Mercado internacional com forte oscilação do petróleo, mas saindo de negativo para positivo. O óleo WTI, negociado em NY, mostrava alta de 1,28%, com o barril cotado a US$ 69,02. O euro era transacionado próximo da estabilidade em 1,184, e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 1,22%. O ouro e a prata com quedas na Comex, e commodities agrícolas com altas na Bolsa de Chicago. O minério de ferro, durante a madrugada em Qingdao, na China, tombou 6.61%, com a tonelada em US$ 171,55, derrubando ações de siderúrgicas e Vale no mercado local.

No cenário doméstico, destaque para as reiteradas críticas de Bolsonaro ao sistema eleitoral eletrônico, defendendo uma CPI sobre invasão de urnas e o sistema do TSE e conclamando o povo brasileiro a ir para a avenida Paulista em manifestação pela Constituição. Tudo isso depois de o STF acolher notícia-crime do TSE para investigar o presidente no inquérito das fake news. Isso não para nunca?

Além disso, existem todas as medidas que a Câmara quer aprovar rapidamente, e para as quais não há consenso e sim muitas críticas. O projeto do novo refis é a mais nova preocupação, dentro de um quadro fiscal deteriorado e o viés adotado de política assistencialista. Nessa tarde, 52 entidades de classe divulgaram manifesto contra a reforma do Imposto de Renda.

Tudo isso junto mudou a tendência dos mercados na Bovespa para queda e o dólar para alta, deixando os mercados na contramão do exterior. O dólar, depois de voltar ao patamar de R$ 5,11, fechou com +0,58% e cotado a R$ 5,21. No segmento Bovespa da B3, na sessão de 03/08, os investidores estrangeiros voltaram a alocar recursos no montante de R$ 391,7 milhões, deixando o saldo de agosto positivo em R$ 1,08 bilhão e o ano de 2021 com entradas de R$ 40,84 bilhões.

No mercado acionário, dia de queda da Bolsa de Londres de 0,05%, Paris com +0,52% e Frankfurt com +0,33%. Madri e Milão com altas de respectivamente 0,50% e 0,69%. No mercado americano, dia de Dow Jones encerrando com +0,78% e Nasdaq também com +0,78%. Na Bovespa, mercado revertendo boa alta na parte da tarde e fechando com -0,14% e índice em 121.632 pontos.

A agenda curta de amanhã é importante. Aqui, as vendas e produção automotiva de julho pela Anfavea. Na Alemanha, a produção industrial de junho e, nos EUA, o payroll de julho com a criação de vagas na economia, setores público e privado, com estimativa de 900 mil vagas criadas.

Boa noite!

Alvaro Bandeira
Economista-chefe do banco digital modalmais