Ontem os mercados americanos e a Bovespa conseguiram firmar altas na parte da tarde com o Ibovespa fechando em alta de 0,65% e aos 103.444 pontos, oscilando mais 2.500 pontos entre a máxima e mínima do dia. O Dow Jones registrou valorização de 1,30% e Nasdaq recuperando perdas acentuadas do dia, ainda fechou com queda de 0,39%. Dólar terminou o dia com valorização de 0,92% e cotado a R$ 5,47.

Hoje mercados da Ásia terminaram o dia com altas, exceto a Bolsa de Xangai com -1,15%, Europa operando com altas próximas de 3% nesse início de manhã e futuros do mercado americano também no campo positivo. Aqui, parece possível nos aproximarmos do patamar de 105 mil pontos e com isso abrir o objetivo em 108 mil pontos. O problema parece ser a proximidade do vencimento de derivativos que sempre agrega volatilidade e alguma proteção de posições assumidas.

Os investidores reagem à recuperação da economia chinesa, mas de olho no desgaste das relações diplomáticas com os EUA. Também assimilam a possibilidade de Democratas e Republicanos chegarem a um consenso sobre pacote de estímulos fiscais, enquanto isso, Trump quer também mexer no imposto de renda da classe média americana. Joe Biden também deve anunciar seu vice para as eleições, ainda nessa semana.

No Líbano, o primeiro-ministro renunciou depois das fortes pressões após a explosão no porto de Beirute. Na Alemanha, o índice Zew de expectativas econômicas de agosto surpreendeu positivamente com alta para 71,5 pontos, vindo de 59,3 pontos e com perspectiva de queda para 54,5 pontos. O índice de condições atuais observou queda para -81,3 pontos, de anterior em 80,9 pontos.

Na China, novos empréstimos de julho encolheram para US$ 142,8 bilhões, quase caindo para metade do mês anterior. Já a Rússia registrou a primeira vacina contra a covid-19. No mercado internacional, o petróleo WTI negociado em NY mostrava alta de 1,53%, com o barril cotado a US$ 42,58. O euro era transacionado em alta para US$ 1,17 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 0,60%. O ouro e a prata tinham fortes quedas na Comex e commodities agrícolas com comportamento misto na Bolsa de Chicago. O minério de ferro com mais um dia de alta na China de 1,55% e a tonelada fechando em US$ 21,09.

Aqui, a Fipe anunciou o IPC da primeira quadrissemana de agosto em alta para 0,28%, vindo de 0,25%. Já a equipe econômica montou força tarefa para manter o teto de gasto no Congresso Nacional e Paulo Guedes disse que os 12% de CBS (Contribuição Sobre Bens e Serviços) pode ser deduzida ao longo da cadeia produtiva e as desonerações da folha também compensam.

A ata da última reunião do Copom que está sendo divulgada está mostrando que se houver espaço para novas atuações sobre os juros, será pequena, mas não antevê redução de estímulos, apesar do balanço de risco assimétrico. Diz também que reformas são essenciais para não elevar a taxa estrutural de juros e as chances de inflação em alta.

O dia deve ser de Bovespa em alta, dólar um pouco mais fraco e juros também ajustando um pouco em queda. Os dados da agenda não têm grande capacidade de mexer com os mercados e vamos ficar por conta dos ajustes em derivativos e noticiário.

Bom dia e bons negócios!

Alvaro Bandeira

Economista-Chefe do banco digital modalmais