Ontem, fechamento do mês de novembro, a Bovespa interrompeu sequência de cinco pregões seguidos de alta, mas ainda assim, fechou o mês com valorização de 15,8%, aos 108.893 pontos, mas ainda mostra queda em 2020 de 5,84%. O dólar encerrou novembro com queda de 7,18%. Lembrando que durante o mês, os principais indicadores do mercado americano marcaram recordes de pontuação.

Hoje mercados no mundo retomam altas, com a Ásia com boas valorizações no fechamento (Xangai +,77%), Europa começando o dia com altas fortes, mas já saindo um pouco das máximas e futuros do mercado americano também no campo positivo. Aqui, precisamos recuperar aquele patamar perdido em 110 mil/111 mil pontos, para abrir objetivo na faixa ao redor de 115 mil pontos.

O dia está sendo de divulgação de indicadores PMI da atividade industrial de novembro para diferentes países. No Japão, o índice em alta para 49 pontos, na China, o PMI caixin em alta para 54,9 pontos e no maior nível desde 2010 e, na Alemanha, queda para 57,8 pontos. Na zona do euro, também contração para 53,8 pontos e no Reino Unido (com problemas com o Brexit) alta para 55,6 pontos. Lembramos que indicadores acima de 50 pontos mostra expansão da atividade.

Dia também de novas leituras de PIB em diversos países. Na Coreia do Sul, o PIB do terceiro trimestre cresceu 2,1%, mas na comparação anual encolheu 1,1%. Na Itália, alta no terceiro trimestre de 15,9%, mas encolheu na comparação anual 5%. O Brasil deve mostrar expansão do PIB de 8,8% no terceiro trimestre, segundo mediana das projeções.

Investidores no mundo voltam a fazer fé na aplicação rápida de vacinas, mesmo com a contaminação em alta. A empresa Moderna pediu autorização emergencial do FDA americano, assim com a Pfizer e Biontech. Já a OPEP adiou a reunião de hoje para quinta-feira, quando pode anunciar a extensão de cortes de produção. Aparentemente a Rússia e a Arábia Saudita concordam em manter por mais três meses.

No mercado internacional, o petróleo WTI negociado em NY estava próximo da estabilidade, com o barril cotado a US$ 45,34. O euro era transacionado em alta para US$ 1,198 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 0,85%. O ouro e a prata com boas altas na Comex e commodities agrícolas também com altas na Bolsa de Chicago.

Aqui, o presidente da Câmara Rodrigo Maia, diz já ter votos suficientes (fala em 320) para aprovar a reforma tributária. Já a associação de redes de comunicação diz que banir a Huawei do processo da 5G vai ser custoso (maior parte dos equipamentos já contratado é da empresa) e vai atrasar a implantação. O Itaú é que está iniciando a venda de participação de ações na XP que ficaram de fora da Newco.

A agenda do dia contém dados que podem mexer com os mercados, mas a expectativa é de Bovespa em alta seguindo exterior, dólar mais fraco (seria bom ver na casa de R$ 5,20) e juros podem afrouxar um pouco.

Bom dia e bons negócios!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais