O dia promete ser de noticiário quente e, portanto, os investidores terão que ficar de olho na volatilidade dos mercados. Ontem, a Bovespa ainda conseguiu encerrar o dia com leve alta de 0,17% e índice em 123.019 pontos, enquanto o dólar oscilou muito para fechar praticamente estável em R$ 5,24. Os mercados americanos terminaram com comportamento misto. Investidores preocupados com a expansão da covid-19 pela variante Delta, que se espalha pelo mundo, e aqui com o quadro fiscal e “saco de bondades” aberto com objetivo eleitoreiro.

Hoje, as Bolsas da Ásia terminaram o dia com comportamento positivo, destaque para Hong Kong, com 1,23%, e Xangai, com 1,01%. Europa tentando – e conseguindo – se manter no campo positivo neste início de dia, e futuros do mercado americano novamente com comportamento misto. Aqui, podemos ter o terceiro pregão seguido de alta, mas o dia promete ser quente.

O IBGE anuncia o IPCA (inflação oficial) de julho com expectativa de ficar em +0,95%. O Copom divulga a ata da última reunião, que pode conter dados para projeções novas. A Câmara avalia o voto impresso e, justamente hoje, teremos desfile de blindados na Praça dos Três Poderes, interpretado por parlamentares como uma forma de constrangimento para a votação.

No exterior, a Alemanha anunciou o índice Zew de expectativas econômicas em queda para 40,4 pontos, vindo de 63,3 pontos e com previsão de ficar em 57,5 pontos. Veio pesado. Já a OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico) vê sinais de moderação do crescimento de economias importantes. A desaceleração mostrada pela economia chinesa tem interferido diretamente na formação de preços de muitas commodities.

Nos EUA, o presidente regional do FED de Boston, Rosengren, defende que o tapering (retirada de estímulos) seja anunciado em setembro e comece a ser aplicado em meses seguintes. No mercado internacional, o petróleo WTI, negociado em NY, mostrava alguma recuperação depois da forte queda de ontem e subia 1,65%, com o barril cotado a US$ 67,58. O euro era transacionado em queda para US$ 1,172, e notes americanos de 10 anos em queda para 1,31%. O ouro e a prata mostravam altas na Comex, e commodities agrícolas com viés positivo na Bolsa de Chicago.

Aqui, Arthur Lira, presidente da Câmara, quer votar a reforma do Imposto de Renda amanhã, e o Consefaz (Conselho de Secretários da Fazenda) costura uma emenda (depois de pedir rejeição integral) para não reduzir queda do fundo de participação de estados e municípios (FPE/M). A CNI (Confederação da Indústria) fez pesquisa e apurou que mais da metade dos empresários acredita em racionamento de energia, e a medida proposta pelo governo para evitar apagão pode ter fraca adesão.

Na B3, no mês de julho, o volume médio negociado foi de R$ 29 bilhões por dia, com contração de 2,17%. Os investidores ativos eram 3,25 milhões e o valor de mercado das 449 empresas listadas estava em R$ 5,67 trilhões.

A agenda importante do dia pode mudar a direção dos mercados, assim como o noticiário corrente. Mas a expectativa é de Bovespa tentando mais um dia de alta, dólar forte e juros em alta.

Bom dia e bons negócios!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais
Fonte: https://www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado