Agora, ficou mais clara a nossa hipótese sobre o fim do último dia de julho: o mercado ajustou mais forte do que merecia. Hoje, então, podemos interpretar como correção da última sexta-feira, e não exatamente como recuperação. Mas tudo ficou bem melhor assim, pois estivemos mais fortes que outros mercados no exterior.

O dia começou mostrando maior propensão ao risco, com Bolsas asiáticas em boas altas e Europa também iniciando o dia forte, assim como os mercados futuros dos EUA. Isso, mesmo com o petróleo chegando a ter perdas de quase 4% para o WTI. Os indicadores PMI da atividade industrial de julho para diferentes países vieram positivos (comentamos logo cedo) e, na sequência, tivemos esse mesmo indicador positivo para Brasil e EUA.

Nos EUA, o PMI industrial de julho registrou alta para 63,4 pontos (previsão era 63,1 pontos). O ISM industrial com queda para 59,5 pontos e os investimentos em construção com alta de 0,1% em junho, após previsão de +0,5%. Os números mistos dos indicadores foram superados pela possibilidade de aprovação do pacote de infraestrutura bipartidário. Mas fica ainda a pendência de elevação do teto da dívida americana, que pode interferir na atividade normal de segmento do governo.

No mercado internacional, dia de forte queda do petróleo WTI, negociado em NY, com perda de 3,642% e barril cotado a US$ 71,26. O euro era transacionado em leve queda para US$ 1,186, e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 1,17%. O ouro e a prata revertendo para altas brandas na Comex, e commodities agrícolas com viés mais para negativo. O minério de ferro, negociado em Qingdao, na China, depois de perder mais de 7% na sexta-feira, mostrou alta de 1,57%, com a tonelada negociada em US$ 184,42.

No segmento local, a FGV anunciou o IPC-S de julho com alta para 0,92%, vindo de anterior em 0,64%. A confiança do empresário teve alta de 3,1 pontos em julho, para 101,9 pontos. A nova pesquisa semanal Focus trouxe poucas alterações, com a inflação do ano subindo mais uma vez para 6,79% em 2021 e alta na margem para 2022 em 3,81%, acima do centro da meta. A Selic estável para 2021 e 2022 em 7%, e PIB em alta para 5,30% em 2021 e +2,10% mantido para 2022. A produção industrial subiu para 6,38% em 2021, e 2022 com somente +2,2%. O dólar projetado para o fim do ano foi para R$ 5,10 (de R$ 5,09) e o superávit da balança comercial subiu para US$ 70,37 bilhões em 2021 (de US$ 69,70 bilhões na pesquisa anterior). O superávit da balança comercial em julho foi de US$ 7,4 bilhões, menor que o previsto, mas acumula superávit no ano de US$ 44,12 bilhões, 47,6% maior que em igual período de 2020. 

O PMI industrial brasileiro subiu de 56,4 pontos para 56,7 pontos em julho. O Ipea estimou que o investimento em maio cresceu 1,6%. Já a CNI (Confederação Nacional da Indústria) anunciou que o faturamento real encolheu 0,9% em junho com ajuste. A Selic acima do neutro em 7% no fim do ano. O ministro FUX, do STF, rebateu críticas sobre voto eletrônico feitas por Bolsonaro, que logo em seguida voltou a criticar, deixando a pergunta: estão com medo de quê?

Aqui, o dólar teve dia de queda acompanhando performance internacional e redução do estresse da sexta-feira. No fechamento, mostrava queda de 0,38% e cotado a R$ 5,20. No segmento Bovespa da B3, na sessão de 29/07, os investidores estrangeiros alocaram recursos no montante de R$ 938,1 milhões, deixando o saldo de julho negativo em R$ 6,12 bilhões, mas com ingressos líquidos de R$ 41,9 bilhões em 2021.

No mercado acionário, dia de alta de 0,70% na Bolsa de Londres, Paris com +0,95% e Frankfurt com +0,16%. Madri com alta de 0,96% e Milão em queda de 0,05%. No mercado americano, dia de Dow Jones com -0,28% e Nasdaq com +0,06%. Na Bovespa, recuperação em alta de 0,59% e índice em 122.515 pontos, desacelerando um pouco e seguindo mercado americano. Na máxima, chegamos a voltar até 124.536 pontos. 

Na agenda de amanhã, teremos a produção industrial de junho, as vendas de veículos de julho e o IPC da Fipe de julho. Nos EUA, as encomendas à indústria de junho.

Boa noite!

Alvaro Bandeira
Economista-chefe do banco digital modalmais

Fonte: https://www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado