Ontem os mercados de risco tiveram um dia de comportamento indefinido. Aqui, a Bovespa encerrou praticamente estável em +0,05% e índice em 120.594 pontos, depois de muitas oscilações. O dólar fechou o dia em nova queda de 0,88%, cotado a R$ 5,45. Nos EUA, o Dow Jones encerrou com queda de 0,18% e Nasdaq em alta de 0,87%.

Hoje, o dia está começando mais pesado, com as Bolsas da Ásia terminando no campo negativo. Europa começando em queda, mas já afastada das mínimas e futuros do mercado americano com desempenho misto, mas também passando para o campo positivo. Aqui, vai ser difícil trabalhar diferente do exterior e manter alta, mesmo considerando a divulgação do resultado da Vale (ontem) com desempenho sólido. Vamos precisar de fluxo de recursos e agenda bem positiva.

No início da madrugada, o BOJ (BC japonês) divulgou sua decisão sobre política monetária, mantendo estável, o que significa taxa de depósito de -0,10% e juros dos JGBs de 10 anos próximo de zero. O presidente Kuroda disse que pode fazer mais e quer estender ajuda de empréstimos para empresas afetadas pela pandemia.

Na China, o lucro industrial de março cresceu 92,3% e no trimestre cresceu 137% na comparação anual. Já a S&P, manteve a classificação de risco do Canadá em AAA, com perspectiva estável, mesmo considerando que o BC de lá elevou a taxa de juros, sendo o primeiro entre os países desenvolvidos.

A safra de balanços do primeiro trimestre prevista para toda a semana vai mexer pontualmente com as ações. No mercado internacional, o petróleo WTI, negociado em NY, mostrava alta de 0,81%, com o barril cotado a US$ 62,41. Isso ajuda nas ações da Petrobras, que mostra hoje o relatório de produção e vendas do trimestre. O euro era transacionado em queda para US$ 1,208 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 1,573. O ouro e a prata mantinham altas na Comex e commodities agrícolas com desempenho de alta na Bolsa de Chicago.

Aqui, a Vale divulgou o resultado do 1º trimestre com lucro de US$ 5,55 bilhões, com crescimento de 2220% sobre igual período do ano anterior e números sólidos em todas as linhas, inclusive com endividamento líquido negativo. Porém, veio dentro do previsto, o que não tira o mérito e mantém as perspectivas positivas por conta de oferta insuficiente de minério no mercado internacional.

Um juiz de Brasília impediu que Renan Calheiros assuma a relatoria da CPI do Covid-19, mas Rodrigo Pacheco, presidente do Senado, diz que essa é uma prerrogativa do presidente da comissão. O Brasil também tem dívidas com contribuições para organismos internacionais em montante de R$ 10 bilhões, o que pode impedir de votar nas decisões e compromete a imagem externa.

A FGV anunciou que a confiança do setor de construção caiu 3,8 pontos para 85 pontos e o INCC da construção civil desacelerou para 0,95% em abril, vindo de 2% no mês anterior. O dia ainda contempla indicadores e resultados importantes com capacidade de mexer com Bolsas, câmbio e juros, mas podemos seguir traçando expectativa favorável para esses segmentos de mercado na sessão de hoje.

Bom dia e bons negócios!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais