Ontem a Bovespa engatou o terceiro pregão seguido de alta e chegou a vazar o patamar de 119 mil pontos, mas não resistiu com afrouxamento externo e realizações de lucros recentes. Os indicadores do mercado americano bateram recordes históricos de pontuação. A constatação é que existe muita liquidez, muito dinheiro sobre as mesas, e isso amplia o apetite ao risco.

Motivo para essa postura, as vacinas sendo distribuídas e aplicadas nas populações, expectativa de pacote de estímulo fiscal saindo nos EUA e algum acordo em relação ao Brexit. Ontem, o comitê do FDA (órgão que fiscaliza medicamentos nos EUA) recomendou a autorização para vacinas produzidas pela farmacêutica Moderna.

Hoje os mercados da Ásia encerraram o dia com comportamento de queda, Europa começando o dia majoritariamente em alta (pouco afastada das máximas) e futuros do mercado americano operando positivo, mas muito próximo da estabilidade. Aqui, podemos tentar ultrapassar novamente a faixa de 119 mil pontos e buscar o objetivo em 120 mil pontos, mas vamos precisar de fluxo ingressando para absorver realizações de lucros de curto prazo.

Durante a madrugada, o BOJ (BC japonês) manteve a taxa de depósito estável em -0,10%, mas ampliou as compras de ETFs em 12 trilhões de ienes, vai adquirir mais 15 trilhões de ienes em comercial papers e bônus corporativos estendeu empréstimos para empresas afetadas pela pandemia por mais seis meses, até 9/2021.

No Reino Unido, as vendas no varejo de novembro encolheram 3,8%, de previsão de -2,9%, mas no comparativo com novembro de 2019 +2,4%.

Na Alemanha, a inflação pelo PPI (atacado) de novembro, na comparação anual ficou com deflação de 0,5%, mas no mês teve alta de 0,2%. Lá, o índice IFO de sentimento empresarial de dezembro subiu para 92,1 pontos. A União Europeia, segundo seu principal negociado, Barnier, diz que há chance de acordo como Reino Unido no pós-Brexit, mas o caminho é estreito. Pega a soberania no mar para pesca.

No mercado internacional, o petróleo WTI negociado em NY mostrava alta de 0,02%, com o barril cotado em US$ 48,37. O euro era transacionado em alta para US$ 1,225 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 0,94%. O ouro e a prata realizam lucros na Comex em queda, commodities agrícolas com viés de alta na Bolsa de Chicago.

No segmento doméstico, a Câmara aprovou ontem o projeto original do Senado para o Fundeb, sem recursos para escolas religiosas e para o sistema “S”. Agora vai para sanção presidencial. A Câmara também pretende votar hoje o 13° salário do Bolsa Família que Bolsonaro jogou a culpa em Rodrigo Maia, enquanto o Senado pode fazer o mesmo na próxima segunda-feira.

A semana foi de intensa votação no Congresso, mas os parlamentares aproveitaram para colocar “jabutis em cima da árvore”, aprovando obras do ministério da integração regional e brechas para contratações que elevam gastos.

Na agenda do dia, alguma capacidade de mexer com a tendência dos mercados, mas a expectativa é de Bovespa em alta e absorvendo realizações, dólar e juros ainda fracos.

Bom dia e bons negócios!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais