Os mercados oscilam ao sabor do andamento das eleições americanas, onde Biden mantém pequena diferença contra Trump, mas com estados cruciais que ainda vão retomar a contagem de votos.

Antes disso, ontem os mercados reagiram com boas altas, principalmente a Bovespa na volta do feriado ajustando para altas fortes da véspera. Na Bovespa, encerramos com valorização de 2,16% e índice em 95.979 pontos e dólar em leve alta de 0,24%, cotado a R$ 5,754. No mercado americano, o Dow Jones com alta de 2,06% e Nasdaq com +1,85%.

Hoje mercados da Ásia terminaram o dia com altas e destaque para a Bolsa de Tóquio com +1,72%. Europa oscilando bastante nesse início de dia entre positiva e negativa e futuros do mercado americano também, agora caminhando mais para negativo. Aqui, há espaço para novas altas, mas até a abertura dos mercados em NY deve operar com grande prudência. Lá, os mercados abrem às 11h30.

Investidores oscilam desde a madrugada em função das eleições nos EUA. No início do dia, Biden detinha 224 delegados, contra 213 de Donald Trump. Mas faltava computar muitos votos em locais dito pêndulos como Michigan, Pensilvânia e Georgia. Tanto Trump como Biden declararam durante a madrugada que podem recorrer à Suprema Corte para recontagem de votos onde o resultado foi apertado, e isso era tudo que os mercados não desejavam. Mas os votos ainda estão chegando, e esse movimento pode durar até a próxima sexta-feira (Pensilvânia).

Mercados reagem também com a divulgação de indicadores de atividade PMI referentes ao mês de outubro. Na China, o PMI de serviços subiu para 56,8 pontos, vindo de 54,8 pontos. Na Alemanha, o índice composto (indústria e serviços) em alta para 55 pontos (de 54,7 pontos). Na zona do euro, queda para 50 pontos, vindo de 50,4 pontos. No Reino Unido, queda no indicador de serviços para 51,4 pontos, vindo de 56,1 pontos. Ainda na zona do euro, a inflação de setembro pelo PPI foi confirmada em 0,3%.

O petróleo em alta no mercado internacional também ajuda um pouco, já que os estoques API encolheram 8 milhões de barris, mas lembramos que hoje o departamento de energia divulga os estoques de petróleo de derivados. O petróleo WTI negociado em NY mostrava alta de 2,28%, com o barril cotado a US$ 38,52. O euro era transacionado em queda para US$ 1,169 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 0,79%. O ouro e a prata em quedas na Comex e commodities agrícolas com quedas na Bolsa de Chicago.

Ontem, o nosso Senado aprovou a independência do Bacen que segue para votação na Câmara, que pode não acontecer em 2020. Rodrigo Maia, em conversa com governadores, prometeu que colocaria em votação em 17/11 o projeto de renegociação da dívida, em troca de ajustes fiscais. Atenção também para o Itaú que divulgou resultados dentro do esperado e também anunciou que pode apartar sua participação na XP e vender cerca de 5%.

Também tivemos a divulgação do IPC da Fipe de outubro com alta de 1,19%, acumulando em 2020 alta de 3,72%. Expectativa dos mercados de risco na sessão de hoje com forte correlação com a contagem de votos nos EUA, que será retomada em alguns estados pêndulos por volta de 11 horas. Na agenda do dia teremos a produção industrial brasileira em setembro e a pesquisa ADP sobre criação de vagas no setor privado, que antecede ao Payroll que sai na próxima sexta-feira.

Bom dia e bons negócios!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais