Investidores passaram boa parte da sessão de hoje em compasso de espera de dois eventos principais. De um lado a safra de balanços do segundo trimestre de 2020 e, de outro, a decisão do FED sobre política monetária, seguida de coletiva de imprensa do presidente Jerome Powell. A safra do dia de resultados não veio tão positiva, principalmente no que tange aos resultados dos bancos europeus. Já a decisão do FED foi um anticlímax, não incorporando nenhuma novidade.

Em comunicado, o FED praticamente repetiu posturas anteriores de usar o ferramental disponível para apoiar a recuperação da economia, vai ampliar compra de títulos do Tesouro e hipotecários e estendeu as operações de swap cambial com 9 outros bancos centrais até o final de março de 2021. Os juros foram mantidos no intervalo entre zero e 0,25% exatamente comi previsto.

Em coletiva, o presidente do FED, Jerome Powell, disse que quando a crise passar vai interromper ferramentas emergenciais e que os gastos das famílias já recuperaram metade das perdas. Na verdade, a intensão é não mexer muita na política monetária que está dando certo. Porém, os EUA ainda necessitam de mais estímulos fiscais que estão sendo discutidos e esse foi outro ponto abordado pelo presidente. Ainda nos EUA, as vendas pendentes de imóveis cresceram 16,6%, bem mais do que estava sendo previsto em +12,5%. Os estoques de petróleo calculado pelo DOE encolheram na semana anterior, 10,6 milhões de barris com queda prevista de 0,6 milhões. A utilização da capacidade subiu para 79,5%.

O presidente Trump estuda bloquear o aplicativo TikTok e voltou a pressionar as empresas de tecnologia, exatamente no mesmo dia em que os executivos prestam depoimentos no Congresso. O secretário do Tesouro americano, Mnuchin, disse que Democratas e republicanos estão ainda longe do consenso sobre novo pacote de estímulos fiscais. No mercado internacional, o petróleo WTI negociado em NY mostrava alta de 0,51%, com o barril cotado a US$ 41,25. O euro era transacionado em alta para US$ 1,178 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 0,57%. O ouro e a prata com altas na Comex e commodities agrícolas com viés positivo na Bolsa de Chicago.

O minério de ferro é que teve forte alta durante a madrugada, subindo 3,67% e fechando com a tonelada em US$ 110,57. No cenário local, o estoque total de crédito atingiu R$ 3,62 trilhões, cerca de 50,4% do PIB em junho (anterior em 49,7%) expandindo 0,8%, enquanto a inadimplência no crédito livre caiu para 3,7%. Já o Tesouro Nacional anunciou que a dívida pública federal atingiu em junho R$ 4,39 trilhões, com a participação dos estrangeiros retroagindo para 9,09% do total. O Bacen também anotou o fluxo cambial até 24/7 negativo em US$ 4,19 bilhões deixando o saldo total do ano em US$ 16,7 bilhões negativos.

No mercado, o dólar encerrou o dia com +0,34% e cotado a R$ 5,175. Na Bovespa, na sessão de 27/7, os investidores estrangeiros sacaram R$ 896,5 milhões, deixando o mês de julho negativo em R$ 5,8 bilhões, e o ano com saídas líquidas de R$ 82,3 bilhões. No mercado acionário, dia da Bolsa de Londres com leve alta de 0,04%, Paris com +0,60% e Frankfurt com -0,10%. Madri e Milão com perdas de respectivamente 0,55% e 0,11%. No mercado americano, o Dow Jones com +0,61% e Nasdaq com +1,35%. Na Bovespa, dia de alta de 1,44% e índice em 105.605 ponto. Mercados melhoraram um pouco com a fala de Powell no final.

Na agenda de amanhã teremos o IGP-M de julho e o resultado primário do governo central de junho. Nos EUA, os pedidos de auxílio-desemprego da semana anterior e o PIB do segundo trimestre de 2020.

Boa noite.

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais