A cautela dominou os investidores nos dias que correm, e hoje até com maior razão. Dados divulgados na China durante a madrugada deixaram clara a desaceleração da economia em julho, com boa dose de responsabilidade para o covid-19 e variante, mas também pelas inundações ocorridas. Mas o covid-19 assusta outros países, investidores e pode provocar novas quarentenas e lockdown brando. Aqui, esse medo também existe, mas o que tem importunado mais é o risco político e o fiscal.

Hoje, o jornal Valor Econômico publicou entrevista com o ministro Paulo Guedes versando sobre precatórios fatiados, tributação de dividendo e redução de alíquota do IRPJ, com boas explicações, mas não encontra eco dentro da equipe econômica e fora dela. A reforma do imposto de renda precisa ser melhor “vendida” para a sociedade e tirar do projeto muitas brechas.

Com isso, mercados cederam em quase todo o mundo, que ainda vai ter que avaliar as consequências da ocupação do Afeganistão pelo talibã, além da postura da China e também da Rússia sobre isso, e qual será a decisão do Conselho de Segurança da ONU. Fica faltando a posição dos EUA depois da velocidade de tomada do país.

Falamos cedo dos números divulgados pela China, mas nos EUA, o índice de atividade de NY (Empire Manufaturing) também assustou com queda para 18,3 pontos, quando o esperado era que ficasse em 29,0 pontos. Isso pode ser atribuído às dificuldades na cadeia de suprimentos para a indústria. Na China, o governo ampliou a injeção de recursos no sistema financeiro com empréstimos de médio prazo em US$ 92,6 bilhões, mas o governo projeta que a economia vá seguir ainda desacelerada pelos motivos expostos.

A OPEP+ também não vê necessidade de ampliar mais a oferta de óleo em 400 mil barris/dia a partir de agosto de forma mensal, e até que chegue ao corte de 5,8 milhões feito anteriormente. Com isso, não cedeu às pressões americanas para ampliar a oferta de óleo.

No mercado internacional, depois da decisão da OPEP+, o preço do barril recuperou um pouco das perdas (caía mais de 3,0%), com o óleo WTI com queda de 1,40% e barril cotado a US$ 67,48. O euro era transacionado em queda para 1,177 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 1,24%, evidenciando a busca por segurança dos investidores. Ao contrário, o ouro e a prata operavam com altas na Comex e commodities agrícolas com altas na Bolsa de Chicago. O minério de ferro negociado em Qingdao, na China, registrou alta na madrugada de 0,89%, com a tonelada cotada em US$ 163,52.

No cenário local, com boa parcela dos parlamentares ainda fora de Brasília, o dia até que foi tranquilo, diante do final de semana instável. Na entrevista citada, Paulo Guedes declarou que sem a aprovação da PEC do fatiamento dos precatórios, o governo para e suspende atividades. Falou ainda do sistema “S” e a proposta de opção das empresas em treinar ou passar recursos para treinamento.

Na economia, a FGV anunciou o IPC-S da segunda quadrissemana de agosto em desaceleração para 0,82%, de anterior em 0,97% e podendo desacelerar mais até o final do mês. Já a pesquisa semanal Focus, do Bacen, mostrou inflação na perspectiva do final do ano acelerando para 7,05% (anterior em 6,88%) e em 2022 chegando a 3,90% (de 3,84%), acima do centro da meta de 3,50%. A taxa Selic também evoluiu para 7,50%, saindo de 7,25% na semana anterior. O PIB projetado para 2021 encolheu para 5,28% e 2022 com queda na margem para 2,04%. A produção industrial foi na mesma direção de queda para 6,43% (de 6,47%) e dólar mantido estável em R$ 5,10. A previsão para superávit na balança comercial subiu para US$ 69,70 bilhões (de US$ 69,40 bilhões), mas não podemos descartar a quebra de safra pela seca. O déficit primário caindo para 1,80% do PIB e déficit nominal também em contração para 6,30% do PIB (inclui juros pagos).

No mercado, dia de dólar novamente com largas oscilações ao sabor dos problemas internos e variações externas, encerrando em +0,83% e cotado a R$ 5,284. Na Bovespa, na sessão de 12/08 os investidores estrangeiros retiraram R$ 237,0 milhões, deixando o saldo positivo de agosto em R$ 1,36 bilhão e o ano com entradas líquidas de R$ 41,1 bilhões.

No mercado acionário, a Bolsa de Londres registrou perda de 0,90%, Paris com queda de 0,83% e Frankfurt com -0,32%. Madri e Milão também com perdas de respectivamente 0,81% e 0,76%. No mercado americano, melhora na parte da tarde, mas o Dow Jones fechando com +0,31% e Nasdaq com -0,20%. Na Bovespa, dia de queda de 1,66% e índice em 119.180 pontos. Voltamos à estaca zero do Ibovespa em 2021, chegando mesmo a ficar negativo no ano.

Na agenda de amanhã teremos o IPC da Fipe da segunda quadrissemana de agosto, o IGP-10 de agosto e o monitor do PIB de junho. Nos EUA, as vendas no varejo de julho e produção indústria e o indicador de confiança do construtor (NAHB) de agosto. Teremos ainda discurso de Jerome Powell, do FED, e Kashikari, de Minneapolis.

Boa noite!

Alvaro Bandeira
Economista-chefe do banco digital modalmais