Hoje foi dia de frenesi na política brasileira e em época de regresso do Congresso Nacional. Todos falaram.

Falou o presidente Bolsonaro, o ministro da Justiça, Braga Neto, o ministro da Economia, Paulo Guedes, duas vezes, o relator da reforma do imposto de renda, o presidente do Senado e assim passamos todo o dia. Aparentemente os investidores gostaram, com os mercados reagindo positivamente na parte da tarde. Também foi dia da oposição cair de pau no governo por ter dado maior espaço para o centrão, que sempre foi negado pelo presidente (agora se diz integrante do centrão pejorativo), de falar em golpe de não ter eleições sem voto impresso, etc.

Tudo isso nos remete a leitura de que as eleições de 2022 já começaram, depois da queda de prestígio do presidente nas últimas semanas. Bolsonaro precisa recuperar o apoio do Congresso e todo o governo fala em programas populistas. Bolsa Família turbinado (ou outro nome que se queira dar), desbloqueio de contingenciamento de todos os ministérios, recriação do Ministério do Emprego, e muito mais. As reformas vão sair ainda nesse ano, o ajuste do imposto de renda em agosto, a equipe econômica falando em receitas primárias crescentes (boa parte deriva da inflação alta). Tudo isso pode ser verdade ou passível de interpretação, mas também parece ação coordenada de apoio.

É bem verdade que os mercados no exterior melhoraram durante a parte da tarde e isso acaba influindo também por aqui. O BCE (BC europeu) manteve a política monetária estabilizada, com taxa de depósito negativa em 0,5%, e refinanciamento zero, a compra de ativos PEPPs de 1,85 trilhão de euros e os juros seguirão nos níveis atuais até a inflação de 2%, que ainda pode passar moderadamente desse patamar. As compras de títulos seguirão até pelo menos março de 2022, ou até que a crise do covid-19 tenha fim. Foi uma postura suave do BCE, que envolveu também a coletiva de imprensa da presidente Christine Lagarde.

Nos EUA, o índice de atividade nacional de Chicago caiu para 0,09 pontos em julho, vindo de 0,26 pontos no mês anterior. Os pedidos de auxílio-desemprego da semana anterior surpreenderam em alta de 51 mil posições, evoluindo para 419 mil, quando o esperado era que ficasse em 350 mil pedidos. Já o presidente Biden mantém boa expectativa de bom acordo para o programa de infraestrutura de US$ 3,5 trilhões. A Casa Branca diz está focada em lidar com os gargalos da cadeia produtiva e instou a China a se engajar nas investigações da OMS sobre o covid-19. Os casos de covid-19 nos EUA subiram na última semana e a variante delta é mais agressiva e contagiosa e já representa 83% dos casos.

A África do Sul manteve os juros estabilizados em 3,5%e elevou a previsão de inflação, na zona do euro a confiança do consumidor caiu para -4,4 pontos em julho (de previsão de -2,5 pontos) e na Rússia o banco central orientou as Bolsas não permitirem pagamentos em criptomoedas. Na China, o volume de investimento externo direto do primeiro semestre de 2021 foi de US$ 91,0 bilhões, com alta sobre igual período de 2020 de 33,9%.

No mercado internacional, o petróleo em boa alta foi novamente importante para os mercados de risco. O WTI, negociado em NY, mostrava alta de 2,29%, com o barril cotado a US$ 71,91. O euro era transacionado em queda para US$ 1,177 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 1,223%, depois de muito oscilar. O ouro e a prata operavam com altas na Comex e commodities agrícolas com viés positivo. O minério de ferro negociado em Qingdao, na China, registrou queda de 5,66%, com a tonelada em US$ 2902,83.

No segmento local, o ministro da Justiça, Braga Neto, se defendeu de reportagem da imprensa dizendo que não fala por interlocutores, mas defendeu o voto impresso, atribuição do Congresso. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, disse que seja qual for o modelo, haverá eleições em 2022. Já Paulo Guedes, achou natural o desmembramento em seu ministério e a coalizão política de centro-direita para sustentar reformas e melhorar a animosidade do Senado. Disse já ter espaço orçamentário para programas sociais turbinados e que o presidente nunca cedeu na política econômica e reformas. Boatos davam conta da fusão de três partidos do centrão (DEM, Progressistas e PSL) tornando o governo refém do maior partido, com mais de 120 deputados.

A área econômica anunciou desbloqueio de R$ 4,5 bilhões do orçamento de 2021, estimando receitas primárias do ano em R$ 1,82 trilhão (anterior em R$ 1,75 trilhão) e despesa total em R$ 1,63 trilhão. O déficit primário estimado em R$ 155 bilhões, de anterior em R$ 187,7. A folga para o teto de gastos está em R$ 12,3 bilhões.

No mercado, dia de dólar em alta de 0,41% e cotado a R$ 5,21. No segmento Bovespa, da B3, na sessão de 20/07, os investidores estrangeiros voltaram a sacar recursos no montante de R$ 755,6 milhões, deixando o saldo negativo de julho em R$ 5,46 bilhões, mas com o ano positivo em R$ 42,55 bilhões.

No mercado acionário, dia de queda da Bolsa de Londres de 0,43% (resultado ruim de Unilever), Paris com +0,26% e Frankfurt com +0,60%. Madri e Milão com altas de respectivamente 0,61% e 0,53%. No mercado americano, o Dow Jones com +0,07% e Nasdaq com +0,36%. Na Bovespa, dia de reviravolta para alta de +0,17% e índice em 126.146 pontos.

Na agenda de amanhã teremos a prévia da inflação oficial pelo IPCA-15 de julho e o IPC-S da terceira quadrissemana de julho pela FGV. No exterior, indicadores de atividade PMI de julho para diferentes países.

Boa noite!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais