Ontem os mercados tiveram o segundo dia positivo da semana, com a Bovespa fechando em alta de 0,42%, índice em 125.929 pontos e dólar com queda de 0,76%, cotado a R$ 5,19. Europa e EUA também com boas valorizações e com a volta do apetite ao risco.

Hoje, mercados da Ásia em novas altas no encerramento, com Hong Kong como destaque positivo com +1,83% e Tóquio fechada pelo feriado. Na Europa, dia começando meio indefinido, mas ganhando corpo com nova alta nesse início de manhã. Futuros do mercado americano também mostrando valorizações e petróleo novamente em alta, esbarrando em US$ 71,00. Aqui seria bom apontar para o patamar de 127.000 pontos, ganhando maior consistência na recuperação.

O petróleo ajudando bastante nesta recuperação com a safra de resultados do segundo trimestre de 2021. Saíram os resultados da AT&T com lucro de US$ 1,87 bilhão e American Airlines com US$ 19 milhões, e as ações sobem no pré-mercado.

Nos EUA, boas expectativas que o pacote de infraestrutura que chega a US$ 3,5 trilhões tenha aprovação bipartidária até a próxima segunda-feira, e o presidente Biden diz que ajudaria a reduzir as pressões inflacionárias e ampliar a competição, notadamente contra a China. Os EUA e a União Europeia fecharam acordo para conclusão do gasoduto da Rússia para a Europa sem sanções. Já o BOE (BC inglês) diz que os problemas de desequilíbrios na oferta do Reino Unido tende a ser superados e que a inflação é transitória. O comitê está atento ao mercado de trabalho.

No mercado internacional, o petróleo WTI, negociado em NY, mostrava alta de 0,91%, com o barril cotado a US$ 70,94. O euro era transacionado perto da estabilidade em US$ 1,179 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 1,30%, oscilando bastante. O ouro e a prata com quedas na Comex e commodities agrícolas com viés de queda nas negociações da Bolsa de Chicago.

Aqui as tensões e emoções na área política seguem fortes, mesmo com o Congresso em recesso. Luiz Eduardo Ramos foi demitido da Casa Civil e se disse surpreso e atropelado por um trem. Para seu lugar apareceu Ciro Nogueira, como cota do Centrão que parece comandar as ações. Outra mudança é a partição do superministério de Paulo Guedes, com a recriação do ministério do Trabalho e comando por Onyx Lorenzoni, que já ocupou vários cargos no governo de Bolsonaro.

Empresários também estiveram com o relator dos ajustes no imposto de renda e rejeitaram as mudanças mesmo depois do substitutivo. Seguem os ruídos sobre o tema. Já Bolsonaro errou na matemática ao falar sobre a recuperação do PIB.

A agenda do dia local está vazia, exceto pelos ruídos de mudanças e outras que surgirão. No cenário externo, teremos a decisão do BCE (BC europeu) sobre política monetária e coletiva de Christine Lagarde, presidente, mas política deve ser mantida, mas com indicações de mudanças futuras. Nos EUA, teremos os pedidos de auxílio-desemprego da semana anterior, o índice de indicadores antecedentes de junho e a atividade industrial de Kansas em julho.

Expectativa para o dia de Bovespa novamente com alta, dólar mais fraco e juros também.

Bom dia e bons negócios!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais