O dia pode ser interpretado como de expectativa por parte dos investidores com as decisões do FED (EUA) e do Copom amanhã.

Nos EUA, não é de se esperar mudança de postura, mas a renitente elevação dos juros deve ganhar espaço no comunicado e declarações. Já aqui, os investidores aguardam a elevação dos juros, com dúvidas se teremos 0,50% ou 0,75% na taxa Selic, em função da pressão inflacionária. Logo em seguida, teremos a decisão do BOE que pode trazer alguma alteração de política, e já na sexta-feira, a decisão do BOJ (BC japonês, onde o presidente Kuroda defende juros longos estavelmente reduzidos). Daí a grande parcimônia dos investidores.

Nos EUA, tivemos hoje o anúncio das vendas no varejo de fevereiro encolhendo 3%, quando o previsto era -0,4%. Também foi divulgada a produção industrial de fevereiro com queda de 2,2%, de previsão de +0,3%. Apesar da fraqueza ter mexido com os mercados, não é de se esperar que isso volte a acontecer principalmente depois da aprovação do pacote de estímulo fiscal. Também tivemos a confiança dos construtores de março (NAHB) com queda para 82 pontos.

O BCE (BC europeu) disse que pode reduzir a taxa de depósito se necessário, e o IIF (Institute of International Finance) identificou em estudo que o super ciclo de commodities pode acontecer, mas não será liderado pela China, como no início dos anos 2000. A demanda por commodities cresce na China, mas em ritmo mais moderado.

O Bank of America (BofA) em estudo chegou à conclusão que os investidores estão reduzindo o otimismo com o Brasil e acendendo interesse por Chile e México, muito em função dos problemas políticos e dificuldades com reformas.

No mercado internacional, dia de petróleo WTI novamente em queda 0,93% em NY, com o barril cotado a US$ 64,78. O euro era transacionado em queda para UA$ 1,19 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros oscilando muito, principalmente depois do leilão ocorrido, com taxa ao redor de 1,61%. O ouro e a prata com quedas na Comex e commodities agrícolas com comportamento misto e viés mais para o positivo. O minério de ferro é que teve dia de alta de 1,83% em Qingdao na China, com a tonelada fechando em US$ 166,32.

No cenário doméstico, a FGV divulgou o IGP-10 de março com alta acima do esperado de 2,99%, acumulando elevação em 2021 de 7,47%, e de 31,16% em 12 meses. Gasolina puxou o indicador, mas citamos bens intermediários com alta de 5,90%, que pode transferir para o produto final. Matérias-primas brutas também tiveram alta de 3,03%. Já o IPC-S da segunda quadrissemana de março também foi na mesma direção com alta de 0,88%, vindo de anterior em 0,67%.

Dados do Caged foram comemorados pelo governo com a criação de 260.353 vagas, puxadas basicamente pela indústria e serviços. O ministro Paulo Guedes deu entrevista dizendo que a economia está decolando e que há sinais por toda parte. Voltou a falar em vacinação massiva e que a receita de janeiro deve ser recorde. Espera ainda rápida aprovação da reforma administrativa, e admite que a tributária é mais complexa.

No mercado, dia de dólar operando no encerramento com -0,36% e cotado a R$ 5,62. sem interferência adicional do Bacen. Na Bovespa, na sessão de 12/3, os investidores estrangeiros voltaram a sacar recursos no montante de R$ 396,6 milhões, deixando o saldo negativo do mês em R$ 2,14 bilhões, mas com ingresso líquido em 2021 de R$ 14,63 bilhões.

No mercado acionário, dia de alta da Bolsa de Londres de 0,80%, Paris com +0,32% e Frankfurt com +0,66%. Madri e Milão também com altas de respectivamente 0,26% e 0,50%. No mercado americano, o Dow Jones com -0,39% e Nasdaq com +0,09%. Na Bovespa, dia de queda de 0,72% e índice em 114.018 pontos, sem notícias positivas para motivar e muitas expectativas em relação ao Copom de amanhã, mas conseguindo manter o patamar de 114 mil pontos.

Na agenda de amanhã teremos o IPC da Fipe da segunda quadrissemana de março, o fluxo cambial da semana anterior e a decisão do Copom depois de pregão fechado. Nos EUA, a decisão do FOMC do FED, sobre política monetária, seguida de coletiva de Jerome Powell e, ainda, a construção de novas residências e permissões de fevereiro.

Boa noite.

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais