Na semana passada os investidores no mundo (e aqui também) buscaram proteção de seus investimentos em função da expansão do covid-19, da variante delta e da possibilidade de antecipação do tapering, pelo FED americano, que poderia ser anunciada na reunião de Jackson Hole. Mas isso mudou um pouco, aparentemente ficando para a reunião de final de setembro.

Aqui o estresse institucional foi cada vez mais forte e levou a Bovespa a acumular queda na semana passada de 2,59%, com índice em 118.052 pontos e o dólar fechando em R$ 5,38 (+2,67%), depois de quase esbarrar em R$ 5,50.

Hoje, tudo parece ter perdido o sentido, diante das altas dos mercados de risco. As Bolsas da Ásia encerraram o dia com boas altas (Tóquio +1,75% e Xangai com =1,45%), Europa começando o dia com boas altas e o mesmo acontecendo com os futuros do mercado americano. Aqui, muito ruído político pode limitar a recuperação e a Bovespa não deveria perder patamar de 117/116.000 pontos, sob pena de acelerar vendas e giro de ativos.

Investidores observam a divulgação de indicadores PMI da atividade composta (indústria e serviços) em diferentes países no mês de agosto, todos desacelerando, mas dentro das expectativas. No Japão, o índice composto cedeu para 45,9 pontos, vindo de 48,8, e o único abaixo dos 50 pontos, o que indica contração das atividades.

Na Alemanha, o índice cedeu para 60,6 pontos, vindo de 62,4. Na zona do euro, queda para 59,5 pontos, de 60,2 e no Reino Unido em contração para 55,3 pontos, vindo de 59,2, e no menor nível em seis meses.

No mercado internacional, o petróleo WTI, negociado em NY, mostrava alta de 2,96%, com o barril cotado a US$ 63,98. O euro era transacionado em alta para US$ 1,172 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros em alta para 1,28%. O ouro e a prata tinham altas na Comex e commodities agrícolas com viés de alta na Bolsa de Chicago.

Aqui, muito ruído desde o final da última sexta-feira quando o governo de Bolsonaro entrou no Senado com pedido de impeachment do ministro Alexandre de Moraes, do STF, e promete entrar também contra Luiz Roberto Barroso. Partidos, parlamentares, ex-ministros da Justiça e o próprio presidente do Senado dizem não haver fundamento para tal.

Isso já produziu a inviabilidade da indicação de André Mendonça para vaga no STF e deixou o presidente do Senado e o chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira constrangidos. Além disso, Bolsonaro disse que vai participar e discursar nas manifestações do 7 de setembro e já existem convocações sendo feitas por apoiadores, incluindo forças policiais.

Na agenda do dia, a nova pesquisa semanal Focus do Bacen, o saldo da balança comercial na semana anterior e o IPC-S da terceira quadrissemana de agosto. Nos EUA, as vendas de imóveis usados de julho. Expectativa para o dia de Bovespa seguindo comportamento externo de alta, dólar e juros ainda pressionados, apesar de mais fraco no exterior.

Bom dia e bons negócios!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais