O último dia útil da semana para o segmento B3, fechado amanhã pelo feriado da Revolução Constitucionalista de 1932, foi uma autêntica gangorra de sobe e desce, mas de certa forma acompanhando os movimentos do mercado americano, tendo como motivação adicional a tensão no cenário político que tem atrapalhado o desempenho dos mercados de risco.

Hoje, as aberturas de mercados (e fechamento na Ásia) foram muito ruins com investidores pressionando por decisões na China. O governo anunciou que pode flexibilizar mais a política monetária, inclusive reduzindo o depósito compulsório e as vendas de veículos caíram em junho 5,1%, depois de 11 meses em expansão. Isso permitiu a leitura de que a economia está desacelerando, e poderia alterar o comportamento das commodities.

Os investidores também ficaram na expectativa da revisão de política monetária pelo BCE (BC europeu), que vai trabalhar com meta de inflação de 2%, mas de forma diferente que trabalha com média. Christine Lagarde, presidente, disse que a política monetária não pode lidar com flutuações de curto prazo, e que o ambiente é de juros baixos e houve unanimidade sobre manutenção, o que traz maior credibilidade. Vão dar ênfase para os efeitos climáticos e juros negativos pode ser uma opção de resposta aos choques. No Japão, ficou decidido que os jogos olímpicos serão sem público, por conta de novas restrições impostas em Tóquio.

Nos EUA, o FED, de NY, anunciou mercado secundário de bônus corporativo a partir de 12/07 e hoje fez operação de repo reversa de US$ 793,4 bilhões. Lá, os pedidos de auxílio-desemprego cresceram 2 mil posições para 373 mil, quando o previsto era ficar em 350 mil. Já a Casa Branca emitiu nota dizendo estarem mais perto de acabar com a pandemia e retornar à normalidade. Segundo nota a variante delta se espalha mais nas regiões de cobertura vacinal fraca, mas internações e óbitos devem seguir em queda. Afirmaram que vão seguir pressionando por imposto corporativo mínimo global. Os estoques de petróleo na semana anterior pelo Departamento de Energia encolheram 6,9 milhões de barris.

No mercado internacional, o petróleo WTI, negociado em NY, que começou o dia com queda reverteu para alta e operava com variação de +0,71%, com o barril em US$ 72,71. O euro era transacionado em alta para US$ 1,184 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 1,29%. O ouro e a prata também reverteram de alta para quedas na Comex e commodities agrícolas com viés mais negativo. O minério de ferro negociado em Qingdao, na China, também registrou queda de 1,96% durante a madrugada, com a tonelada em US$ 218,04.

No segmento local, dia de divulgação da inflação oficial medida pelo IPCA de junho, em desaceleração para 0,53%, de anterior em 0,83%. No ano a inflação acumula alta de 3,77%, e em 12 meses de 8,35%. A inflação veio abaixo do previsto, mas quando olhados por dentro os números não são tão positivos. A inflação em serviços veio mais forte, preços livres começaram a subir e alguns itens básicos da população de baixa renda pressionados. O IBGE também anunciou a previsão de safra de grãos em 258,5 milhões de toneladas, com alta de 1,7%.

Do lado político, Bolsonaro terçou armas com o presidente da Argentina na abertura da reunião do Mercosul e disse que Omara Aziz desviou recursos do Amazonas no montante de R$ 260 milhões. Ameaçou dizendo que ou fazemos eleições limpas, ou não fazemos eleições, elevando o tom da semana.

A Fitch declarou que com a perda de confiança o Brasil pode ter fuga de capital, enquanto pesquisas continuam mostrando a queda de aprovação do governo Bolsonaro. No mercado, o dólar chegou a vazar a cotação de R$ 5,31, mas o Bacen entrou realizando operação adicional de swap de 10 mil contratos (US$ 500 milhões), dando liquidez aos vendidos, e o mercado retroagiu. No final do dia mostrava +0,29% e cotado a R$ 5,25. No segmento Bovespa, da B3, os investidores estrangeiros na sessão de 06/07 sacaram recursos de R$ 834,3 milhões, deixando o mês de julho negativo em R$ 1,06 bilhão, mas com o ano com ingresso líquido de R$ 46,95 bilhões.

No mercado acionário, dia da Bolsa de Londres em queda de 1,68%, Paris com -2,01% e Frankfurt com -1,73%. Madri e Milão com quedas de respectivamente 2,32% e 2,55%. No mercado americano, o Dow Jones em queda de 0,75% e Nasdaq com -0,72%. Na Bovespa, queda de 1,25% e índice em 125.427 pontos.

Amanhã feriado em São Paulo e mercados fechados, mas teremos a primeira prévia do IGP-M de julho e nos EUA os estoques e as vendas no atacado de maio, além da divulgação durante a madrugada da inflação pelo CPI (consumidor) e PPI (atacado) na China no me de junho.

Boa noite e até a próxima segunda-feira!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais

Fonte: https://www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado