O dia começou com a divulgação de indicadores de atividade PMI para diferentes países no preliminar de abril, com a Alemanha mostrando desaceleração, mas com a zona do euro tendo expansão junto com o Reino Unido. Já que ambos aceleraram acima de 50 pontos que é a fronteira entre ter contração e expansão. Nos EUA, esses indicadores vieram fortes com o PMI composto (indústria e serviços) mostrando alta para 62,2 pontos (anterior em 59,7), indústria com 60,6 e serviços em 63,1 pontos.

Ainda nos EUA, as vendas de imóveis novos de março cresceram 20,7%, quando o previsto 14,6%. Tudo isso evidenciou o que temos relatado, que a economia se americana recupera com força e que pode mesmo crescer mais de 6% em 2021, quando aqui estamos comemorando possível expansão ao redor de 3%, o que abre ainda bem mais o diferencial.

Mas o que gerou notícias no exterior foram os posicionamentos sobre alterações climáticas. O presidente Biden disse ter ouvido notícias encorajadoras sobre a posição do Brasil e Argentina. A secretária do Tesouro, Janet Yellen, disse que o setor privado terá papel importante no processo climático e no estudo para neutralizar emissões do setor de óleo e gás. China e Índia afirmaram ter com problemas na exploração de carvão e a União Europeia revelou que o investimento público não será suficiente para cumprir a meta ambiental.

Na China, o superávit em conta-corrente do primeiro trimestre do ano foi de US$ 88,5 bilhões e em março somente US$ 19,7 bilhões. Na Rússia, o banco central elevou a taxa de juros básica de 4,5% para 5%. No Japão, o BOJ de Kuroda disse ser cedo para discutir reversão de estímulos, exatamente quando o país começa nova rodada de isolamento social, que deve durar possivelmente até 25/05.

No mercado internacional, o petróleo WTI, negociado em NY, mostrava alta de 0,98%, com o barril cotado a US$ 62,03. O euro era transacionado em boa alta para US$ 1,21 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros 1,5576. O ouro e a prata com quedas na Comex e commodities agrícolas com ligeiro viés positivo. O minério de ferro negociado em Qingdao, na China, com alta durante a madrugada de 1,43% e com a tonelada em US$ 186,25.

Aqui, o orçamento sancionado por Bolsonaro, com vetos parciais, preocupou os investidores. Pois, distorce a visão do quadro fiscal e claramente fragiliza as regras do teto de gastos. O governo terá de fazer malabarismo para manter esse orçamento, que penalizou quase todos os ministérios, especialmente Educação e Desenvolvimento Regional, mantendo quase intacta as emendas parlamentares e desonerações. No que tange aos gastos com pandemia, não havia muito o que fazer e o governo ainda trouxe alguns gastos para bases mais realistas, como a Previdência com R$ 707,2 bilhões estimados.

Com os cortes de verba do Minha Casa Minha Vida, a faixa 1 vai paralisar e deixar muitos desempregados. Já o ministro Paulo Guedes disse estar reavaliando o Mercosul, devido a desalinhamento de interesses. É preciso rever também a TEC (tarifa externa comum). Também foram anunciadas pesquisas sobre a performance do governo, todas indicando queda na avaliação ótima e boa. No mercado, o dólar começou o dia em queda, mas foi subindo ao longo do dia para encerrar com +0,78%, cotado a R$5,50. Na Bovespa, na sessão de 20/04, os investidores estrangeiros sacaram recursos no montante de R$ 1,62 bilhão, deixando o saldo de abril ainda positivo em R$ 5,43 bilhões e o ano com ingressos líquidos de R$17,6 bilhões.

No mercado acionário, a Bolsa de Londres encerrou estável, Paris com -0,15% e Frankfurt com -0,27%. Madri e Milão com quedas de respectivamente 0,48% e 0,05%. No mercado americano, o Dow Jones em alta de 0,67% e Nasdaq com +1,44%. Na Bovespa, o índice lutou o dia todo para se manter acima dos 120 mil pontos, para fechar com +0,97%, e índice em 120.530 pontos.

RESUMO DA SEMANA
BOVESPA: -0,48%
DOW JONES: -0,45%
NASDAQ: -0,25%
DOLAR: -1,52%
PETRÓLEO WTI: -1,58%

Bom final de semana, se cuidem e marcamos um encontro segunda-feira!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais