Ontem, no finalzinho do dia a Bovespa voltou a reverter para tendência de queda, fechou com -0,12% e índice em 122.056 pontos, enquanto o dólar encerrou com alta de 0,38% e cotado a R$ 5,22. Mercados dos EUA com comportamento misto, apesar de o Dow Jones e S&P terem batidos novos recordes históricos de pontuação.

A nova expansão do covid-19 e variante delta estressando os investidores, com a possibilidade de bancos centrais de países desenvolvidos anteciparem a retirada de estímulos monetários (tapering). Aqui, a expectativa com a votação da reforma do imposto de renda na câmara (adiada), ruídos remanescentes, fala de Bolsonaro sobre eleição não confiável, calote nos precatórios, quebra da regra de ouro e crise hídrica, permearam as decisões de investimento.

Hoje, mercados da Ásia terminaram o dia com comportamento negativo, Europa operando em alta neste início de dia e até reforçando e mercados futuros americanos começando misto, mas agora também mais forte. Aqui, no patamar de 124.000 pontos do Ibovespa enxergamos algum alívio nas tensões, mas melhor mesmo só quando conseguir ultrapassar o patamar de 126.500 pontos do índice.

Nos EUA, o déficit orçamentário dos 10 primeiros meses do ano fiscal (encerra em setembro) encolheu para US$ 2,5 trilhões contra igual período de 2020, que foi de US$ 2,8 trilhões. Janet Yellen, secretária do Tesouro americano, estuda viagem à China e pode ser momento de redução da tensão diplomática entre os dois países, justamente quando os EUA estudam as restrições impostas ainda no governo de Trump.

No Reino Unido, o PIB do segundo trimestre de 2021 mostrou expansão de 4,8%, mas a produção industrial de junho caiu 0,7%, quando a previsão era de -0,1%. Isso força comportamento negativo para Bolsa de Londres. Na zona do euro, a produção industrial também encolheu 0,3%, de esperada alta de 0,2%. O banco central da Turquia manteve a taxa de juros inalterada em 19% e a lira turca tem ganho frente ao dólar.

A Agência Internacional de Energia cortou a expectativa de demanda por petróleo em 100 mil barris/dia, por conta da variante delta, mas a OPEP em seu relatório mensal manteve a previsão de demanda e ampliou a projeção de crescimento global de 2021 e 2022.

No mercado internacional, o petróleo WTI, negociado em NY, mostrava leve queda de 0,26%, com o barril cotado a US$ 69,07. O euro era transacionado em US$ 1,174 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 1,35%. O ouro em alta e a prata em queda na Comex e commodities agrícolas com viés de queda na Bolsa de Chicago.

Aqui, a votação da reforma do imposto de renda foi adiada sem nova data, com muita pressão de última hora de governadores e prefeitos, que alegam perda de receita da ordem de R$ 16,5 bilhões. O governo prevê parcelamento de precatórios de R$ 39,4 bilhões, que abriria espaço para o saco de bondades pré-eleitoral. Mas existem alegações até de inconstitucionalidade. Empresas começam a preparar planos de contingências para falta e apagões de energia, muito embora o governo insista que isso não ocorrerá.

A agenda do dia tem dados que podem mexer com os mercados, além dos ajustes pontuais dos ativos, em função de resultados mostrados (muitos) referentes ao segundo trimestre. Expectativa de Bovespa podendo buscar recuperação, dólar mais fraco e juros em alta.

Bom dia e bons negócios!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais