Vamos encerrando uma das piores semanas de 2021 para os mercados de risco no mundo, notadamente no Brasil. Variante delta do covid-19 ampliando espectro de contaminação, China endurecendo regulação em diferentes setores da atividade, bancos centrais de países desenvolvidos discutindo e preparando a retirada de estímulos, além de alguma desaceleração na recuperação econômica.

Aqui, além do impacto que isso acarreta, temos a crise institucional, política e econômica levando à redução das expectativas para o resto do ano, em 2022, e a percepção de tendência para furar teto de gasto e políticas populistas pré-eleitorais. Governo, por exemplo, estuda como conter tarifas de energia em 2022 para facilitar eleição. Bolsonaro acrescenta que fará denúncia sobre gestão da Caixa em governos anteriores e decide hoje sobre sanção ou veto do fundo partidário.

No exterior, o PBOC (BC chinês) manteve a taxa referencial de juros estabilizada pelo 16º mês seguido em 3,85% e anunciou a lei de proteção de dados mais restritiva do mundo, pior que a europeia. No Reino Unido, as vendas no varejo de julho encolheram 2,5% e na comparação com julho de 2020 em alta de 2,4%, mas frustrou expectativas.

Na Alemanha, a inflação medida pelo PPI (atacado) de julho registrou elevação de 1,9% e na comparação anual, 10,4%, maior taxa desde 1975. Nos mercados, prevalece cautela generalizada por mais um dia e na Ásia o encerramento de hoje mostrou queda, Europa também operando no campo negativo neste início de manhã e futuros do mercado americano com igual tendência. Aqui há espaço para recuperação, mas a situação continua complicada.

No mercado internacional, o petróleo WTI tem mais um dia de queda de 0,47%, com o barril cotado a US$ 63,39. O euro mostrava queda para US$ 1,167 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros em queda para 1,23%. O ouro em alta e a prata com queda na Comex e commodities agrícolas com viés de alta na Bolsa de Chicago.

O presidente Bolsonaro entrou com ação para impedir que o STF abra investigação por conta própria, o que mantém o clima de tensão. Já o Bacen, aprovou resolução regulamentando depósitos voluntários remunerados de instituições financeiras.

A agenda do dia é fraca contemplando declarações de Paulo Guedes (as de ontem foram criticadas na Câmara) e de Bruno Funchal, do Tesouro, e nos EUA, fala o presidente do FED, de Dallas, Kaplan.

Expectativa para o dia de Bovespa podendo recuperar, mas a tendência é de investidores procurando proteção, dólar e juros pressionados.

Bom dia e bons negócios!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais
Fonte: https://www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado