Depois de toda desorganização das últimas semanas, o Legislativo e Executivo tentam colocar um pouco de ordem para lidar com a pandemia e auxílio emergencial, assim como, nos EUA, buscam aprovar hoje o pacote fiscal de estímulos que demora muito para sair.

Ontem, a Bovespa começou o dia no campo negativo, mas passou para o positivo quando as preocupações com a PEC emergencial se dissiparam, depois de fala do relator na Câmara sobre manter o texto vindo do Senado. Mais para o final, voltou a perder tração, seguindo comportamento idêntico do Dow Jones que bateu novo recorde intraday.

A Bovespa fechou ainda com alta de 0,65% e índice em 111.330 pontos e dólar com alta para 5,80, após arranhar R$ 5,90.

Hoje mercados da Ásia encerraram com comportamento misto, Europa operando com valorizações e buscando consolidar nova alta forte como ontem e futuro do mercado americano operando em alta nesse início de manhã. Aqui, precisamos fazer trabalho de voltar ao patamar de 115 mil pontos do Ibovespa, para abrir objetivo a ser superado em 118 mil, ainda longe.

Na China, a inflação medida pelo CPI (consumidor) de fevereiro mostrou deflação anual de 0,2%, de previsão de ficar em -0,4%. O PPI (atacado) fechou fevereiro com alta de 1,7% anual, de previsão de +1,4%. Lá, novos empréstimos de fevereiro encolheram 1,34 trilhão de yuans e a base monetária observou expansão de 10,1%.

Os EUA esperam conseguir aprovar na Câmara definitivamente o pacote de estímulo fiscal ainda hoje, segundo promessa da presidente Nancy Pelosi e Janet Yellen (Tesouro), de repassar recursos de forma rápida para Estados e cidadãos, depois de um ano de 2020 terrível. O presidente do BC australiano disse não esperar ter que elevar juros até 2024.

No mercado internacional, dia de petróleo buscando recuperação depois de realizações de lucros nos últimos dias. O WTI negociado em NY mostrava alta de 0,22% (saindo de negativo), com o barril cotado a US$ 64,15, depois da API divulgar estoques em alta na semana anterior. O euro era transacionado em queda para US$ 1,19 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros em ascensão nesse início de dia para 1,56% e puxando os bonds da Europa também, mas diante da expectativa de aprovação do pacote nos EUA. O ouro e a prata tinham quedas na Comex e commodities agrícolas com quedas na Bolsa de Chicago.

Aqui, a Câmara aprovou ontem em primeiro turno a PEC emergencial por placar de 341×121, agora, é esperar concluir o segundo turno em votação no começo da manhã. Isso depois de Arthur Lira e o relator terem pedido que Bolsonaro e centrão não desidratassem a PEC, como era o objetivo. Já o julgamento de suspeição do juiz Sérgio Moro na condenação de Lula ficou adiado pelo pedido de vista do novo ministro do STF, Nunes Marques.

Na economia, a FGV anunciou a primeira prévia do IGP-M de março com inflação em alta para 1,95% (anterior em 1,92%), acumulando alta da inflação de 7,21% em 2021 e de 29,83% em 12 meses. Destaque negativo para o IPA industrial com alta de 3,01% e gasolina exercendo pressão.

Na agenda do dia, ainda teremos dados da PNAD continua pelo IBGE e fluxo cambial na semana anterior. Nos EUA, sairá a inflação medida pelo CPI de fevereiro, provavelmente próxima de +0,3% e os estoques de petróleo e derivados da semana anterior, pelo departamento de energia. Expectativa de mercado com Bovespa buscando recuperação, dólar mais fraco e juros em queda, apesar da alta externa.

Bom dia e bons negócios!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais