Ontem, apesar do afrouxamento na parte da tarde, a Bovespa ainda conseguiu encerrar o dia com alta de 1,35% e índice em 112.690 pontos e dólar fechando praticamente estável com -0,11% e cotado a R$ 5,658. Mercados dos EUA fecharam pressionados por discurso de Jerome Powell (FED), e juros dos treasuries esticados, salvando as ações de petroleiras, por conta da alta do petróleo no mercado internacional.

Hoje dia de encerramento em queda nos principais mercados da Ásia, Europa operando no campo negativo, mas afastadas das mínimas do dia e futuros do mercado americano também com quedas nesse início de manhã. Aqui, há espaço para recuperação, mas o exterior inibe retomada. Seria importante tentar buscar novamente o patamar de 115 mil pontos, quando poderia ganhar maior tração.
Investidores ainda ajustam posições para juros em alta no EUA, mesmo com Powell descartando ser movimento consistente de maior prazo. Mas tem afetado juros em outros países como na Alemanha, nesse começo de manhã.

Nos EUA, o Senado começa o processo de discussão e votação do pacote de estímulo fiscal, mas deve demorar por conta da leitura do relatório de mais de 600 páginas. O presidente Biden também deseja acordo bipartidário para pacote de infraestrutura. Já na China, o partido comunista fixou crescimento de mais de 6% nos próximos anos e independência em tecnologia como metas.

No Japão, o governo prorrogou por mais duas semanas restrições de contato na região de Tóquio. Na Alemanha, as encomendas à indústria de janeiro expandiram 1,4%, quando o esperado era alta de 0,5%. No mercado internacional, mais um dia de alta do petróleo WTI negociado em NY, depois da decisão da OPEP+ de manter a meta de produção no mês de abril. O óleo subia 2,04%, com o barril cotado a US$ 65,13. O euro era transacionado em queda para US$ 1,193 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 1,56%. O puro e a prata tinham quedas na Comex e commodities agrícolas com viés de queda na Bolsa de Chicago.

Aqui, investidores avaliam perdas e ganhos da PEC Emergencial blindando recursos para segurança nacional e a safra de resultados do quarto trimestre e ano de 2020 vão afetar pontualmente os preços dos ativos na B3. O governo também avalia o uso conjunto de um fundo e a Cide para estabilização dos preços dos derivados.

A agenda do dia contém dados que também podem mexer com os mercados como a produção industrial de janeiro a ser anunciada pelo IBGE e o Payroll americano de fevereiro com a criação de vagas nos setores público, privado e a taxa de desemprego; além do saldo comercial e volume de crédito ao consumidor de janeiro.

Expectativa para o dia é de Bovespa com espaço para melhora se mercados no exterior ficarem mais positivos, dólar mais forte e juros em alta.

Bom dia e bons negócios!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais