Não é novidade que o Pix é um dos meios de pagamento de maior sucesso entre os consumidores pessoas físicas no Brasil. Segundo um levantamento divulgado pelo próprio Banco Central (BC), até o fim de fevereiro deste ano, o Pix havia movimentado mais de R$ 508 bilhões em 653 milhões de transações.

O levantamento ainda indica que, no mesmo período divulgado, havia cerca de 181 milhões de chaves cadastradas. Tudo isso com o Pix estando ativo para utilização em transações há pouco tempo: desde novembro de 2020.

Para quem ainda não está por dentro sobre o que de fato é o Pix, aqui vai uma breve explicação: esse é um meio de pagamentos instantâneo e gratuito, criado pelo BC, que permite a transferência de recursos entre contas de mesma ou diferentes instituições, em pouco segundos – até dez –, a qualquer hora e dia, incluindo finais de semana e feriados.

Com o sucesso desse sistema de pagamentos instantâneo, o Banco Central está estudando inovar e expandir as vantagens do recurso a nível internacional. Nesse sentido, a proposta de criação do Pix Internacional visa permitir a transferência de recursos do Brasil para o exterior, utilizando a principal vantagem desse sistema: a velocidade de conclusão da transação, ou seja, o fato de que a transferência acontece em tempo real.

Apesar de ainda não haver previsão de data para sua implementação, a ideia é que o Pix Internacional seja uma contribuição do Brasil a um esforço global, que pretende permitir a todos, segundo o chefe do Departamento de Regulação Prudencial e Cambial (Dereg) do BC, Lúcio Oliveira, “transações mais baratas, mais rápidas, mais transparentes”.

Oliveira afirma ainda que, tal iniciativa, tornará mais viável o acesso dos clientes a pagamentos e transferências internacionais.

Para completar, o chefe do Dereg explica que a implementação do Pix internacional dependerá do devido alinhamento entre as regulamentações que giram em torno do Pix que está atualmente em vigor, das que envolvem o câmbio e suas possíveis futuras mudanças, e da infraestrutura da plataforma à nível internacional.

Como mencionado no início deste artigo, o Pix, sem dúvida, tem sido bem aceito, especialmente, entre os usuários pessoas físicas. No entanto, tais mudanças que aumentam ainda mais os benefícios do sistema, o tornará ainda mais atrativo para o público de pessoas jurídicas de todos os portes, além de se modernizar e acompanhar tendências globais.

 

Se você gostou deste artigo, compartilhe-o em suas redes sociais. E para não perder nenhum outro conteúdo publicado em nosso site, assine a nossa newsletter gratuita.

Gostou desse conteúdo? Então compartilhe-a em suas redes sociais. E se ainda não é cliente modalmais, baixe o aplicativo do banco digital em seu smartphone, abra a sua conta de forma rápida e prática e aproveite mais essa vantagem que só o banco digital dos investidores tem a oferecer.