A portabilidade de chave PIX é uma opção que foi criada para dar liberdade a um correntista de alterar a chave associada a uma conta corrente para realização de trasanções do Pix de uma Banco para outro.

Ao ser lançado, o PIX gerou uma série de dúvidas sobre o seu funcionamento. Afinal, é um sistema totalmente inovador que chegou para revolucionar a forma como as pessoas fazem transferências e pagamentos.

Neste artigo, mostraremos alguns pontos importantes sobre o Pix, o que significa a portabilidade da chave e como fazer isso. Acompanhe!

 

O que é PIX?

O PIX é um sistema inovador que tem por objetivo revolucionar totalmente a forma como as pessoas físicas e jurídicas movimentam valores entre contas bancárias.

O foco principal do novo sistema é possibilitar a transferência de valores de forma quase que instantânea, com uma latência de apenas alguns segundos.

Além disso, ele também permitirá que essas transações sejam feitas sem nenhum tipo de limitação de horários ou dias do mês. Atualmente, por exemplo, não existem compensações bancárias em dias de feriados ou fins de semana.

Também só é possível transferir valores para contas de uma mesma instituição bancária. Quando o assunto é o pagamento de boletos esse prazo fica ainda pior, podendo demorar dias para que o recebedor tenha acesso ao valor pago.

Entretanto, o PIX não tem o objetivo de substituir totalmente o TED, DOC, boleto bancário ou cartão de crédito e débito, mas, sim, servir como uma nova alternativa que dá o poder dos usuários escolherem como realizarão os seus pagamentos.

Existem dezenas de bancos que já estão fazendo o pré-cadastro para o PIX, mas a data oficial para o início desse processo é o dia 5 de outubro de 2020.

Depois disso, os usuários poderão começar a utilizar o sistema — ainda em uma fase de teste, que durará entre os dias 3 e 15 de novembro.

Nesse período, existirão algumas limitações quanto aos valores e horários. Afinal, será apenas um teste da ferramenta, para que possam ser verificados eventuais erros que necessitam de correções.

Finalmente, a partir do dia 16 do mesmo mês ocorrerá o lançamento oficial, e as pessoas e empresas já poderão utilizar.

Apenas os bancos com mais de 500 mil clientes serão obrigados a oferecerem o PIX para os consumidores.

 

Quais são os benefícios de utilizar o PIX

Entendido o conceito do Pix, mostraremos as principais vantagens que ele pode proporcionar tanto para as empresas quanto as pessoas físicas. Continue lendo!

 

Rapidez e praticidade na transmissão de valores

Sem dúvidas, a principal vantagem e o diferencial mais marcante do novo Pix é a praticidade na hora de realizar as operações e a velocidade com a qual elas acontecem.

Vamos entender melhor o porquê de esse ser o principal benefício do novo sistema. Atualmente, a transação mais rápida que existe para ambos os lados de uma negociação é a transferências entre contas bancárias da mesma instituição. Depois dela, temos o TED que, se emitido até as 16h ou 17h de um dia útil, cai em alguns minutos.

Por outro lado, DOCs, boletos bancários e cartões pode demorar alguns dias para serem finalizados. Nesse caso, o recebedor necessita aguardar esse período para pode utilizar o dinheiro recebido.

O PIX veio para revolucionar esses métodos de pagamento, oferecendo a possibilidade de realizar transações com valores em tempo real e sem limitações quanto ao dia ou horário em que a operação é realizada.

 

Segurança nas transações bancárias

A segurança deve ser a palavra de ordem quando o assunto é transferência de valores. Afinal, esses números que se movimentam entre contas-correntes diariamente são recursos financeiros de pessoas e empresas que, na maioria das vezes, trabalharam duro para conquistar.

É por isso que o Banco Central do Brasil e os órgãos ligados ao sistema lançaram uma série de programas de segurança, para garantir que as pessoas tenham o mesmo grau de segurança no PIX como existe no TED, DOC e em outros métodos de pagamento.

Uma dessas plataformas é o Sistema de Pagamentos Instantâneos (SPI), criado e gerenciado pelo Banco Central do Brasil e que é fiscalizado pelo Departamento de Operações Bancárias e Sistemas de Pagamentos (DEBAN).

Isso significa que todo esse processo vem sendo executado com o auxilio dos órgãos responsáveis para garantir toda a segurança que a transação de valores exige.

 

Baixo custo em transações

Até os dias atuais, muitas pessoas físicas e, até mesmo, algumas empresas sofrem com um altíssimo custo de taxas e cobranças bancárias. Existem instituições que cobram cerca de R$ 10,00 para realizarem um simples TED ou DOC.

Segundo um levantamento feito pelo GuiaBolso e publicado no ano de 2020 pela revista eletrônica Valor Investe, o brasileiro gasta cerca de R$ 900,00 por ano com tarifas bancárias.

Obviamente, a medida que foram surgindo novos bancos, alguns desses custos começaram a reduzir. Por exemplo, no modalmais, TEDs podem ser feitos de forma gratuita, entretanto, isso não é uma realidade para todas as instituições.

Com o Pix esse problema será consideravelmente reduzido, tendo em vista que não existirão taxas nesse tipo de transações para pessoas físicas e as empresas pagarão apenas alguns centavos para executá-las.

 

O que é a chave do PIX?

Segundo o próprio Banco Central do Brasil, a chave PIX é uma espécie de “apelido” que o usuário do sistema bancário utilizará para identificar a sua conta.

Explicando de forma mais técnica, é um código que representa e identifica uma pessoa ou empresa dentro do sistema PIX.

Funciona basicamente da seguinte forma: um cliente de banco que aderiu ao sistema de pagamentos e transferências PIX poderá emitir ou receber ordens de pagamento desse tipo.

Para facilitar todo esse processo, em vez de o pagador informar os dados bancários do recebedor, ele informa apenas a chave PIX, que é esse código ou apelido criado pelos usuários.

Vale a pena ressaltar que o PIX não é uma obrigatoriedade. Ele é apenas uma alternativa aos antigos métodos tradicionais de transacionar recursos.

Embora o lançamento oficial do PIX esteja agendado para novembro de 2020, muitas instituições bancárias, especialmente os bancos digitais, já iniciaram o processo de cadastramento dos seus clientes.

O PIX comporta 4 tipos diferentes de chaves para movimentação dos valores. São elas:

  • CNPJ ou CPF do titular da conta;
  • endereço de e-mail;
  • número de telefone celular;
  • chave aleatória criada pelo usuário.

O mais interessante do PIX é a liberdade que ele proporciona ao cliente para decidir como será acessado pelos seus pagadores.

Muitas pessoas, por exemplo, podem ter receio em cadastrar como chave PIX dados pessoais, como CPF, número de telefone pessoal ou e-mail.

Por esse motivo, o Banco Central do Brasil criou a possibilidade da determinação de uma chave aleatória, que não precisa ter nenhum tipo de referência a dados pessoais da pessoa que transfere ou recebe valores.

 

Aprenda a registrar a chave do Pix

Agora, discorreremos sobre como deve ser registrada a chave PIX. Inicialmente, é importante saber que uma pessoa pode ter registradas até 5 chaves por conta bancária que possui. Para as empresas, esse número pode chegar a 20.

Outro detalhe importante a ser mencionado é que a pessoa tem total liberdade para registrar as suas chaves na conta em que desejar. O que não pode existir é o mesmo código em uma única conta.

Exatamente por esse motivo o sistema permite 4 tipos diferentes e um totalmente personalizável, para evitar esse tipo de conflito entre as chaves.

Sobre o limite de 5 chaves, é importante destacar que ele ocorre por contas. Por exemplo, imaginemos que você tem uma conta no modalmais e mais 3 em bancos distintos.

Assim, poderá adicionar até 5 chaves diferentes em cada um deles, ou seja, é um sistema muito amplo, que possibilita diversos tipos de cadastro.

Para ter um controle maior sobre as suas transferências, é mais indicado que tenha todas as suas chaves em uma mesma conta, de modo a controlar melhor os recebimentos e pagamentos que são realizados.

Ainda sobre o registro da chave Pix, é importante mencionar que o recebedor não precisa ter esse código para receber valores, afinal, mesmo com a criação desse avançado sistema, ainda existirá a possibilidade de realização de TEDs e DOCs.

Entretanto, como o registro é algo muito simples, vale a pena contar com esse sistema para aproveitar todos os benefícios que destacamos anteriormente neste artigo.

O registro da chave Pix é feito pela instituição bancária ou financeira. Bancos mais modernos que já contam com sistemas de acesso às contas por meio de aplicativos ou internet banking disponibilizam a criação da chave Pix dentro do próprio sistema.

O processo de criação da chave Pix é diferente para cada instituição, entretanto, o Banco Central do Brasil proibiu a confirmação do código por meio de contato telefônico, link enviado por mensagem de texto ou e-mail. Portanto, tenha cuidado com isso para não cair em algum tipo de golpe.

 

O que significa portabilidade de chave PIX?

A portabilidade é um termo conhecido pela maioria das pessoas. Ela passou a ser disseminada com a criação da possibilidade de troca de números de telefone entre operadoras, mudanças de empréstimos entre instituições e outros tipos de transação.

A portabilidade do PIX, portanto, segue a mesma ideia. O foco central é dar a oportunidade ao cliente levar uma chave que ele tem cadastrada em uma conta de um Banco para o outro Banco, onde ele também tem uma conta.

Em outras palavras, seria como transferir o vínculo de uma chave para uma conta diferente — que pode ser dentro da mesma instituição bancária ou, principalmente, fora dela.

 

Como realizar a portabilidade de chave Pix

Entendido o que é a portabilidade de chave Pix, mostraremos como fazer esse processo. Antes disso, é necessário ressaltar alguns pontos importantes.

Primeiro, a portabilidade deve ser oferecida por todas as instituições financeiras que começarão a utilizar o Pix. Além disso, será possível fazer o processo somente a partir do dia 5 de outubro, quando inciasse o processo de cadastramento de chave.

A solicitação de portabilidade deve ser feita pelo usuário no Banco em que ele quer trazer a chave. Ao fazer essa solicitação ele via receber no Banco onde tem a chave cadastrada uma notificação para que a portabilidade seja aceita.

Na prática, basta tentar vincular uma chave já registrada em outra conta dele e autorizar o processo por intermediação da instituição bancária que já tem esse código vinculado à sua outra conta.

 

Por que solicitar a portabilidade da chave Pix?

Afinal, porque solicitar a portabilidade da chave Pix? Essa deve ser uma pergunta que muitas pessoas fizeram antes de iniciar a leitura deste artigo.

A resposta para isso pode ser muito simples: essa alternativa dá a possibilidade de uma pessoa física ou gestor de empresa escolher  a conta corrente do Banco que ele prefere trabalhar com aquela chave.

Outro bom motivo para realizar a portabilidade é para centralizar todos os seus recursos em uma única conta, facilitando o processo de investimento de valores e o próprio pagamento de despesas.

Essa centralização é especialmente importante para os empresários que, em muitos casos, devem manter diversas contas-correntes para facilitar o recebimento de alguns clientes. Com o PIX — e a medida que um número maior de pessoas aderir a ele — esse tipo de problema será eliminado por completo.

Ter a oportunidade de escolher a instituição com a qual terá um relacionamento possibilita ao usuário do sistema bancário selecionar um banco que atenda a todas as suas necessidades e, além disso, aumentará a concorrência entre essas empresas.

Como você pode perceber, a portabilidade de chave PIX proporciona liberdade para o usuário selecionar o banco ou instituição financeira com o qual deseja manter seu relacionamento, dando ainda mais credibilidade e importância para esse novo sistema.

Se você gostou destas informações e quer saber mais sobre o funcionamento do PIX, abra a sua conta no modalmais e veja todos os diferenciais que o banco digital dos investidores pode proporcionar.

 

Nova call to action